• 1. O Consílio dos Deuses Língua Portuguesa 9º ano Professora: Ana Paula Silva
  • 2. “Já no largo Oceano navegavam” PLANO DA VIAGEM “Quando os Deuses no Olimpo luminoso” PLANO DOS DEUSES Júpiter convoca o consílio para que os Deuses se pronunciem sobre o futuro dos homens que levam a cabo um novo empreendimento: chegar à Índia por mar. Júpiter reconhece o valor do povo português e pretende premiá-lo ajudando-o a encontrar um porto seguro onde possam repousar. Gera-se uma discussão Vénus e Marte, defensores dos Portugueses Júpiter decide a favor dos Portugueses Baco, opositor ao empreendimento dos Portugueses
  • 3. “Já no largo Oceano navegavam” O narrador inicia a sua narração quando a acção já está a decorrer. Este processo de narração designa-se: “narração in medias res” No meio dos acontecimentos, a meio do curso da acção. PLANO DA VIAGEM
  • 4. Início da narração in medias res
  • 5. Planos Personagens Espaço Ação
  • 6. Planos Personagens Espaço Ação Plano da viagem Os Portugueses (Vasco da Gama e os seus homens). O Oceano Índico (Entre a costa sudeste africana e a ilha de Madagáscar). Os Portugueses navegam (“cortava o mar a gente belicosa”). Plano dos Deuses Os deuses reunidos em consílio. O “Olimpo luminoso”. Mercúrio, por ordem de Júpiter, convoca os deuses, que discutem se devem ou não ajudar os portugueses a chegar à Índia (“as cousas futuras do Oriente”).
  • 7. “Quando os Deuses no Olimpo luminoso” Júpiter convoca o consílio para que os Deuses se pronunciem sobre o futuro dos homens que levam a cabo um novo empreendimento: chegar à Índia por mar. PLANO DOS DEUSES
  • 8. Decisão de Júpiter Júpiter decidiu ajudar os Portugueses a encontrarem um porto seguro na costa africana, para poderem descansar e para se reabastecerem antes de continuarem viagem.
  • 9. Razões da decisão de Júpiter O desígnio dos fados: os Portugueses tornar-seão mais famosos do que os povos da Antiguidade Os Romanos O valor guerreiro dos Portugueses na luta contra: “O Mouro forte e guarnecido” O Castelhano tão temido A coragem e a ousadia deste povo que: “a mais se atreve”. Atravessa o “duvidoso mar num lenho leve. A sua persistência apesar : do tempo já percorrido do cansaço. das dificuldades da viagem Não teme a força dos ventos.
  • 10. Baco Posição face à determinação de Júpiter Razões para a posição assumida Vénus Marte
  • 11. Baco Vénus Marte Discorda Concorda Concorda O povo português assemelha-se ao povo romano pelas qualidades guerreiras e pela língua. Sabe que os Portugueses tornarão a língua célebre onde quer que cheguem. Apoia a posição de Vénus: - ou porque o amor antigo o obrigava; - ou por achar que os Portugueses merecem a sua proteção. Posição face à determinação de Júpiter Razões para a posição assumida Receio que, no Oriente, o esqueçam se os portugueses lá chegarem.
  • 12. Ea viagem continuou
Please download to view
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
...

O consílio dos deuses

by annapaulasilva

on

Report

Category:

Documents

Download: 2

Comment: 0

1,953

views

Comments

Description

 
Download O consílio dos deuses

Transcript

  • 1. O Consílio dos Deuses Língua Portuguesa 9º ano Professora: Ana Paula Silva
  • 2. “Já no largo Oceano navegavam” PLANO DA VIAGEM “Quando os Deuses no Olimpo luminoso” PLANO DOS DEUSES Júpiter convoca o consílio para que os Deuses se pronunciem sobre o futuro dos homens que levam a cabo um novo empreendimento: chegar à Índia por mar. Júpiter reconhece o valor do povo português e pretende premiá-lo ajudando-o a encontrar um porto seguro onde possam repousar. Gera-se uma discussão Vénus e Marte, defensores dos Portugueses Júpiter decide a favor dos Portugueses Baco, opositor ao empreendimento dos Portugueses
  • 3. “Já no largo Oceano navegavam” O narrador inicia a sua narração quando a acção já está a decorrer. Este processo de narração designa-se: “narração in medias res” No meio dos acontecimentos, a meio do curso da acção. PLANO DA VIAGEM
  • 4. Início da narração in medias res
  • 5. Planos Personagens Espaço Ação
  • 6. Planos Personagens Espaço Ação Plano da viagem Os Portugueses (Vasco da Gama e os seus homens). O Oceano Índico (Entre a costa sudeste africana e a ilha de Madagáscar). Os Portugueses navegam (“cortava o mar a gente belicosa”). Plano dos Deuses Os deuses reunidos em consílio. O “Olimpo luminoso”. Mercúrio, por ordem de Júpiter, convoca os deuses, que discutem se devem ou não ajudar os portugueses a chegar à Índia (“as cousas futuras do Oriente”).
  • 7. “Quando os Deuses no Olimpo luminoso” Júpiter convoca o consílio para que os Deuses se pronunciem sobre o futuro dos homens que levam a cabo um novo empreendimento: chegar à Índia por mar. PLANO DOS DEUSES
  • 8. Decisão de Júpiter Júpiter decidiu ajudar os Portugueses a encontrarem um porto seguro na costa africana, para poderem descansar e para se reabastecerem antes de continuarem viagem.
  • 9. Razões da decisão de Júpiter O desígnio dos fados: os Portugueses tornar-seão mais famosos do que os povos da Antiguidade Os Romanos O valor guerreiro dos Portugueses na luta contra: “O Mouro forte e guarnecido” O Castelhano tão temido A coragem e a ousadia deste povo que: “a mais se atreve”. Atravessa o “duvidoso mar num lenho leve. A sua persistência apesar : do tempo já percorrido do cansaço. das dificuldades da viagem Não teme a força dos ventos.
  • 10. Baco Posição face à determinação de Júpiter Razões para a posição assumida Vénus Marte
  • 11. Baco Vénus Marte Discorda Concorda Concorda O povo português assemelha-se ao povo romano pelas qualidades guerreiras e pela língua. Sabe que os Portugueses tornarão a língua célebre onde quer que cheguem. Apoia a posição de Vénus: - ou porque o amor antigo o obrigava; - ou por achar que os Portugueses merecem a sua proteção. Posição face à determinação de Júpiter Razões para a posição assumida Receio que, no Oriente, o esqueçam se os portugueses lá chegarem.
  • 12. Ea viagem continuou
Fly UP