Cloud Computing - Faculdades Integradas do Vale do Ivaí ?· Google usou o termo “Cloud Computing”…

  • Published on
    03-Dec-2018

  • View
    212

  • Download
    0

Transcript

<ul><li><p>6</p><p>: : www.mundoj.com.br : : </p><p>ste artigo far uma abordagem geral sobre o estado da arte da Computao em Nuvem (Cloud Computing). O objetivo fazer o leitor perceber a importncia desse </p><p>conceito, cada vez mais presente em diversos tipos de solues. No se trata de um tutorial ou passo-a-passo de configurao ou uso de ambiente em nuvem e sim de uma apresentao desse novo e emergente paradigma. So apresentados o conceito de computao em nuvem, a origem desse termo, suas caractersticas essenciais seus modelos de implantao e de servios. Notcias recentes e importantes so citadas. Uma sucinta descrio de seus prs e contras feita, assim como uma breve descrio de algumas opes para programar para a Nuvem. Finalmente, apresentada uma recomendao bibliogrfica sobre o tema do artigo. </p><p>Cloud Computing (ou computao em nuvem) vem sido muito citado em revistas e sites da rea de TI e h uma grande movimentao da indstria acerca de seu uso. Entusiastas e crticos tm divulgado constantemente suas ideias sobre essa nova tecnologia. Ignor-la ficar fora de um novo paradigma que vem se consolidando e sendo adotado por gigantes da TI. Este artigo apresenta uma abordagem geral das funcionalidades e novidades em torno desse conceito, a fim de ajudar o leitor a saber como investir nessa tecnologia no cotidiano pessoal e profissional.</p><p>Jos Yoshiriro Ajisaka Ramos(jyoshiriro@gmail.com): Bacharel em Sistemas de Informao (IESAM) e mestrando em Cincia da Computao (UFPA). Possui as certificaes internacionais SCJP 6, SCWCD 5, SCBCD 5 e OCUP Fundamental. Criador e colaborador de alguns projetos open-source da Apache.org. Desenvolvedor concursado do TJE/PA. Professor de cursos de graduao em TI nas Faculdades Integradas Ipiranga e na UAB/IFPA e de cursos de Java na EquilibriumWeb.</p><p>Cloud ComputingIntroduo ao </p><p>Conhea o conceito de Computao em Nuvem (Cloud </p><p>Computing), seus benefcios e aplicaes e como as </p><p>gigantes da TI vm investindo srio nele.</p></li><li><p>7</p><p>O termo Computao em Nuvem comeou a ter maior reper-cusso em meados de 2008 (embora Google e Amazon tenham criado servios dessa natureza em 2006), mas de origem incerta, principalmente se considerarmos como ele tem sido implementa-do. Entretanto, no raro encontrar referncias a um trabalho de 1961, do professor John McCarthy do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) como sendo o precursor desse conceito. Nes-se trabalho foi descrito um modelo de computao oferecido nos moldes do sistema de distribuio de energia. Isso parecido com o que est ocorrendo atualmente, graas a fatores como expanso e barateamento da banda larga e do aumento da capacidade compu-tacional dos equipamentos atuais. Desde a divulgao do trabalho do professor MacCarthy, tal conceito ficou como que hibernando, pois a tecnologia da informao s passou a ser capaz de por em prtica tal ideia recentemente. Foi que, em 2006, Eric Schmidt da Google usou o termo Cloud Computing passando a ser conside-rado por muitos autores como o pai desse termo.</p><p>Origem da expresso Computao em Nuvem</p><p>O que Computao em Nuvem</p><p>Computao em Nuvem (ou em Nuvens, como alguns traduzem), do ingls Cloud Computing, no ainda um conceito 100% preciso. H um bem humorado vdeo na internet chamado What is Cloud Computing (criado em 07/05/2008) que mostra, dentre outros, personalidades como Tim O'Reilly, Dan Farber (editor-chefe da CNet) e Matt Mullenweg (co-fundador do Wordpress) com vises muito diferentes sobre esse conceito. Ocorre que nunca houve um dia em que algum parou e disse agora vamos comear a usar computao em nuvem. O que houve foi que se comeou a chamar um conjunto de prticas da TI atual por esse nome. Em todo caso, a maioria dos conceitos converge para um modelo no qual os recursos computacionais (processamento, armazenamen-to e softwares) esto disponveis em uma rede de computadores e so acessados remotamente, via internet ou intranet. </p><p>Se no h consenso sobre o conceito, sobre os objetivos e caracte-rsticas h bem menos divergncias. Esse modelo objetiva prover uma alta disponibilidade de recursos e composto de cinco carac-tersticas essenciais, quatro modelos de implantao e diferentes modelos de servios. </p><p>Voc anda muito mais nas nuvens do que imagina</p><p>Caractersticas essenciais </p><p>Talvez o leitor imagine que Cloud Computing seja um modismo ou ento algo com que s os CIOs das empresas devam se preo-cupar. Nada disso.</p><p>Para que o leitor tenha um entendimento mais claro sobre o con-ceito de Cloud Computing e como ela j est presente em nosso cotidiano, temos alguns exemplos de aplicaes que seguem esse conceito e que so muito populares mesmo entre pessoas que no trabalham com TI. </p><p> Gmail, Hotmail, Yahoo!Mail (figura 1) dentre outros so exemplos de sistemas na nuvem. O usurio que possui conta de e-mail em alguma dessas empresas no sabe onde seus e-mails esto de fato. Esto no Brasil? Nos EUA? Na Europa? No, esto na nuvem. Consegue-se acess-los de qualquer lugar do mundo bas-tando possuir conexo com a internet. Voc no precisa instalar nada nem fazer atualizaes, pois esses sistemas esto na nuvem e acessveis com uso de um navegador. </p><p>Figura 1. Gmail, Hotmail e Yahoo!Mail: exemplos de uso da nuvem para envio, rece-</p><p>bimento e armazenamento de e-mails.</p><p>Figura 2. Google Docs, DropBox, Live Document e Amazon Cloud Drive: exemplos </p><p>de armazenamento on-line na nuvem.</p><p> Google Docs, Office Web Apps, Dropbox, Live Documents, Amazon Cloud Drive (figura 2) dentre, outros tambm so exemplos de sistemas na nuvem. Igualmente, o usurio no sabe onde os arquivos esto verdadeiramente, pois esto na nuvem. Com exceo do Dropbox, esses sistemas sequer exigem a instalao de algum software no computador do cliente, pois funcionam por meio do navegador.</p><p>Vrios outros exemplos de uso popular de Cloud Computing poderiam ser citados, tais como: Youtube, Picasa, Redes Socais e programas antivrus on-line. </p><p>E o que o leitor observou em comum nos exemplos citados? Uso reduzido dos computadores pessoais, certo? No seu compu-tador que envia o e-mail quando voc usa o Gmail. No seu computador que edita o documento no Live Documents. No em seu computador que est o vdeo que voc assiste pelo Youtu-be (e nem l fica depois de assistir). O computador pessoal passa a ser apenas um meio de solicitar e receber os servios da nuvem. Quem processa, faz IO, usa memria etc. o sistema em nuvem que voc acessa via navegador ou outro programa-cliente. </p><p>Para que exista um ambiente onde seja possvel oferecer e usar computao em nuvem, so necessrias as seguintes caracters-ticas:</p><p> caracterstica bsica em todos os conceitos de nuvem. Sem rede no h como existir ou ingressar na nuvem. O acesso rede deve observar a heterogeneidade de hardware e software.</p></li><li><p>8</p><p>: : www.mundoj.com.br : : </p><p> um consumidor pode, unilateralmente, provisionar recursos computacionais, como servidor dns, storage, sgbd, dentre outros, de acordo com sua necessidade, sem a obri-gatoriedade de interao humana com o provedor de servio.</p><p> os recursos computa-cionais de um provedor de servios em nuvem so agrupados, ficando disposio de mltiplos clientes, com recursos fsicos e virtuais diferentes, realocados de acordo com a demanda de cada cliente. Quanto localizao, algo bem diferente de ter um data center, pois o cliente no sabe exatamente onde esto os recursos que usa. Os recursos normalmente so: processador, memria, espao em disco, banda de rede e mquinas virtuais.</p><p> capacidade de elasticamente alocar recursos o mais rpido possvel. Assim, deve-se rapidamente aumentar os seus recursos quando necessrio e logo aps o trmino voltar ao estado inicial. O usurio final no tem gerncia sobre essas opera-es. A ideia aqui evitar recursos ociosos em uma infraestrutura, disponibilizando mais recursos para que mais precisa. O limite de aumento de alocao desses recursos pode variar conforme o contrato entre o cliente e o provedor de servios em nuvem.</p><p> automaticamente, sistemas em nuvem devem controlar e otimizar recursos levando em conta a capacidade de medir o uso dos recursos, como storage, processamento, banda de rede e usurios ativos, dentre outros. Recursos usados podem ser monitorados, controlados e reportados com transparncia, tanto para o provedor quanto para o consumidor dos servios usados.</p><p>Com essa caracterstica aplicada, possvel gerenciar melhor o pool de recursos e ter condies de oferecer a rpida elasticidade citada anteriormente. Ainda nesta caracterstica, ela que permite a um provedor de servios clould cobrar por cotas de processa-mento, banda, armazenamento etc.</p><p>Modelos de implantao</p><p>Talvez o leitor tenha ouvido falar que clould sempre gratuita, pois alguns dos exemplos mais conhecidos so de servios gratui-tos, como o Google Docs e o Delicious. Mas no bem assim. Os modelos de implantao de cloud mais citados so:</p><p> as nuvens privadas so aquelas construdas exclusi-vamente para um nico usurio (uma empresa, por exemplo). Como a infraestrutura utilizada pertence ao usurio, ele possui total controle sobre como as aplicaes so implementadas na nuvem. Uma nuvem privada , em geral, construda sobre um data center privado, assim, uma nuvem privada como que um data center configurado com caractersticas de provedor de ser-vios em nuvem. Nesse caso, o data center usado como uma mininuvem. A infraestrutura da nuvem pode ser gerida por uma empresa terceirizada.</p><p>Nesse modelo, muitas vezes usada a virtualizao de servidores para evitar que um nico servidor fsico fique muito tempo ocio-so. Isso no significa dizer que fazer virtualizao sinnimo de ter uma nuvem privada.</p><p> as nuvens pblicas so aquelas que so mantidas por terceiros e disponveis para o pblico em geral ou grupo de indstrias. As aplicaes de diversos usurios ficam misturadas </p><p>nos mesmos sistemas de armazenamento. Tal abordagem pode parecer ineficiente, porm, se a implementao de uma nuvem pblica considera questes fundamentais, como desempenho e segurana, a existncia de outras aplicaes sendo executadas na mesma nuvem permanece transparente tanto para os prestadores de servios como para os usurios.</p><p>Exemplos desse modelo so as oferecidas pela Amazon, pela Goo-gle (alguns servios deles so pagos) e outros listados na tabela 1.</p><p>a infraestrutura de nu-vem compartilhada por diversas organizaes e suporta uma co-munidade especfica que partilha os valores e preocupaes (por exemplo, a misso, os requisitos de segurana, poltica e conside-raes de conformidade). Pode ser administrado por organizaes ou por um terceiro e pode existir localmente ou remotamente.</p><p>Exemplos desse modelo so como os citados na seo Voc anda muito mais nas nuvens do que imagina. </p><p>modelos de implantao onde h composio de duas ou mais nuvens (privada, comunitria ou pblica).</p><p>Modelos de servios</p><p>So como as implementaes de computao em nuvem. Aqui tambm h controvrsias, pois alguns autores consideram como sendo apenas trs IaaS, PaaS e SaaS e outros como sendo cinco DaaS e CaaS alm dos trs citados anteriormente. Neste artigo, sero descritos os cinco.</p><p>IaaS Infraestrutura como servio (Infrastructure as a Service)</p><p>PaaS Plataforma como Servio (Plataform as a Service)</p><p>Quando oferecida ao cliente uma infraestrutura computacional via nuvem. Essa infraestrutura engloba processamento, armazena-mento, rede e outros recursos que permitem ao cliente implantar e rodar vrios tipos de software, inclusive sistemas operacionais. Exemplos: </p><p> para processamento e armazenamento. Aqui o cliente aluga parte da infraestrutura da Amazon tendo acesso root no sistema operacional. Pode usar diferentes configuraes de hardware e contratar o servio com diferentes formas de pagamento e existem opes de plataformas Linux e Windows. Site: </p><p>para armazenamento. Aqui o cliente aluga espao em disco na infraestrutura da Amazon. possvel acessar as informaes via APIs. Site: </p><p>Joyent o qual prov uma infraestrutura sob demanda escalvel para rodar web sites aplicaes Web de interface ricas. Dentre seus clientes esto LinkedIn, Gilt Groupe, and Kabam. Site: </p><p>Representa um ambiente de mais alto nvel para o desenvolvi-mento de aplicaes customizadas. Geralmente so ambientes que fornecem um conjunto de primitivas para que uma aplicao tenha uma maior escalabilidade, entretanto impem um conjunto de restries no software que ser implementado. PaaS provm </p></li><li><p>9</p><p>SaaS Software como Servio (Software as a Service)</p><p>servios para desenvolvimento, testes, publicao, hospedagem e manuteno de aplicaes. Exemplos: </p><p>plataforma hospedada nos data centers da prpria Microsoft. A plataforma suportada por um sistema ope-racional, que o prprio Azure, e um framework de servios para desenvolvedores que podem ser utilizados em aplicaes a fim de obter o potencial da plataforma. Oferece componentes para execuo das aplicaes e armazenamento das informaes, um SGBD Relacional baseado no SQL Server, infraestrutura de servi-os baseado e hospedado na nuvem que fornece servios para as aplicaes e um mercado de dados disponvel para usurios finais de desenvolvedores compartilhar, vender e comprar qualquer tipo de dado, como treinamento, servios e aplicaes. H APIs em vrias linguagens para seu uso, inclusive em Java (vide tabela 1).</p><p> (ou GAE) plataforma hospedada nos data centers da prpria Google. Permite hospedar e executar aplicaes Web desenvolvidas em Java (qualquer linguagem que compile para a JVM) e Python. Possui um SGBD no relacional (BigTable) e suporte, ainda em beta, a MySql e suporte a mltiplas verses do mesmo sistema. Como finalidade o GAE est para PaaS, mas como com ele usa-se a infraestrutura da Google, poderia ser cita-do como exemplo de IaaS tambm.</p><p>Modelo de servio mais usado pelos usurios domsticos. Repre-sentado pelos sistemas on-line, como Webmails e alguns dos exemplos citados na seo Voc anda muito mais nas nuvens do que imagina. Sistema de e-commerce tambm se enquadra neste modelo. Neste modelo os computadores pessoais so apenas canais de comunicao entre o sistema que est na nuvem e o usurio. </p><p>A pirataria de software traz bilhes de dlares de prejuzos por ano. S no Brasil, esse prejuzo foi da ordem de US$2,2 bi, segundo o portal Tiinside. Uma alternativa que parece eficaz e que tem ganha-do bastante fora no Brasil e no mundo o SaaS, uma modalidade altamente flexvel, na qual o cliente paga apenas pelo que consumir. Aqui uma empresa de software pode deixar de criar um software de caixa de fcil cpia para criar um sistema on-line. Assim, fica muito mais difcil usar o software sem pagar.</p><p>E o prprio cliente sai ganhando consumindo Saas, pois um relatrio produzido pela Hurwitz &amp; Associates mostra que o investimento em aplicaes baseadas em SaaS pode ser at 77% menor que as solu-es que utilizam infraestrutura de TI do prprio cliente. E, segundo dados divulgados recentemente pelo instituto de pesquisas Gartner, a oferta SaaS crescer em mdia 29% ao ano em todo mundo, at 2014.</p><p>SaaS pode se tornar um grande aliado contra a pirataria</p><p> ferramentas compartilhadas, ferramentas de desen-volvimento web-based e servios baseados em mashup. uma aplicao Web que usa contedo de mais de uma fonte para criar um novo servio completo. Podem possuir cdigos de terceiros que se comunicam atrav...</p></li></ul>

Recommended

View more >