...

1500 pontos umbanda letras de pontos de umbanda

by jose-moacir-ramos-jr

on

Report

Category:

Spiritual

Download: 0

Comment: 0

272,064

views

Comments

Description

O PONTOS DE UMBANDAS SÃO CANTOS CONSIDERADOS COMO MANTRAS QUE MANIPULAM AS ENERGIAS EM TORNO DO SEU AMBIENTE E RELAXA E AMPLIA SUA MENTE. POIS ENTÃO CANTE E SINTA AS BOAS ENERGIAS DOS SEUS GUIAS.
Download 1500 pontos umbanda letras de pontos de umbanda

Transcript

  • 1. Tenda Caboclo Sete Cachoeiras 1
  • 2. 1.540 Pontos Cantados de Umbanda2 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 3. Este livro é dedicado a todos os filhos de Umbanda que,em seu mais puro íntimo, dedicam sua vida neste plano carnalao amor e fraternidade para com seus irmãos, permitindo levar a luz aos necessitados e o conhecimento aos incultos, sem sequer saber quem são,fazendo-os sentir e saber de Sua Onipresença, aproximando-os cada vez mais da graça de Deus.Pai Joaquim D’Angola Tenda Caboclo Sete Cachoeiras3
  • 4. 1.540 Pontos Cantados de Umbanda4 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 5. Hino de UmbandaRefletiu a luz divinaCom todo o seu esplendorVem do reino de OxaláOnde há paz e amorLuz que refletiu na terraLuz que refletiu no marLuz que veio de AruandaPara tudo iluminarA Umbanda é paz e amorÉ um mundo cheio de luzÉ força que nos dá vidaE à grandeza nos conduzAvante filhos de féComo a nossa lei não háLevando ao mundo inteiroA bandeira de OxaláTenda Caboclo Sete Cachoeiras 1
  • 6. 1.540 Pontos Cantados de Umbanda2 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 7. ABERTURAØ DEFUMAÇÃOØ BATE A CABEÇAVamos incensar esta casa Bate a cabeça filhos de UmbandaQue o dono dela chegou Bate a cabeça filhos de féVamos incensar esta casa Pra você que é filho de pemba |Casa de meu pai XangôPra você que é filho de fé>Nossa Senhora incensou a Jesus CristoVamos, bate a sua cabeça|Jesus Cristo incensou aos filhos seusE peça a Deus o que quiser>Eu incenso, eu incenso esta casa|Ø SAUDAÇÃO AO ANJO DA GUARDAFé em Xangô, Ogum e Oxalá >Lá no céu uma luz brilhouEstou incensando, estou defumando| Anjos do terreiro eu chameiA casa do Bom Jesus da Lapa> Oh Deus, oh Deus Como brilha bonito|Corre gira pai Ogum (eles) O Anjo que está em mim>Filho quer se defumar (elas) Se Oxalá permitir, que venha meu anjoUmbanda tem fundamento(eles) Me guarde meu AnjoÉ preciso preparar(elas) Me abençoe meu AnjoCheira a incenso e alecrim(eles) Meu Anjo da GuardaCheira arruda e guiné (elas)Umbanda tem fundamento(eles) Me guarde meu AnjoDefumai filhos de fé(elas) Me abençoe meu Anjo Meu Anjo de luz.Defuma com as ervas da Jurema|Defuma com arruda e guiné> Ø PRECE DE ABERTURABenjoim, alecrim e alfazemaOxalá meu paiVamos defumar filhos de fé, defuma.Tens pena de mim, tens dó A volta do mundo é grande O teu poder é maior.Povo de UmbandaVem ver os irmãos seus Ø ABERTURA DA GIRADefuma este ambiente Eu abro a nossa giraNas auras de DeusCom Deus e Nossa SenhoraPovo de Umbanda, Eu abro a nossa giraVem ver os irmãos seus Sandorê, pemba de AngolaDefuma estes filhos, Gira, gira, gira dos caboclos,Nas auras de DeusSem sua gira eu não posso trabalhar Assim, assim na fé de Xangô meu pai, Sem gira eu não posso trabalhar. Tenda Caboclo Sete Cachoeiras 3
  • 8. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ SAUDAÇÃO À PEMBA E À TOALHA Ø SUBIDA DO PAI JOÃODeus salve a pemba, | A sineta do céu bateu|Também salve a toalha > Oxalá já diz é hora>Salve a coroa,| Eu vou, eu vou, eu vou |É de nosso Zambi, é o maior > Ficar com Deus e Nossa Senhora >Ø SAUDAÇÃO ÀS SETE LINHAS DE UMBANDAØ SAUDAÇÃO A SEU TRANCA RUASQuando os caboclosExú, Exú Tranca Ruas, |Trazem as folhas da JuremaMe abre o terreiro e me fecha a rua. 3>E os Pretos VelhosTrazem arruda e guiné Ø SAUDAÇÃO A EXÚ TRANCA GIRAEles vêm trabalhar na lei de Umbanda |Seu Tranca Gira é rei lá na calunga |Tem licença de Aruanda |Sem este Exú não se pode fazer nada |Pra salvar a quem tem fé >7 velas encruzadas|O sabiá canta alegre na palmeiraEm cima daquela tumba |E Xangô lá na pedreiraSaravá Seu Tranca Gira|Os seus filhos vem salvar,Salve o povo da calunga3>Meu pai Ogum| Ø SALVE OGUM DE RONDAEmpunhando a sua espada | Quem está de ronda é São JorgeManda um toque de alvorada| Meu Pai me diz aonde éToda a linha vai chegar > Quem está de ronda é São JorgeSalvai os filhos de féØ SAUDAÇÃO ÀS CRIANÇASQuem vem lá, quem vem lá de tão longe | Rondai, rondai oh São JorgeSão os anjinhos que vêm trabalhar > Meu Pai me diz aonde éRondai, rondai oh São JorgeOi dai-nos forças|Jesus, Maria e JoséPelo amor de Deus, meu Pai |Oi dai-nos forças aos trabalhos meus >Olha Ogum está de rondaQuem está chamando é São MiguelØ SALVE O PAI JOÃOÉu, éu, éu, na linha de UmbandaNo clarão da noite, no romper do dia| Quem está chamando é São MiguelChama Pai João, chama Mãe Maria >Pra me defender da feitiçariaSaravá o Pai João, saravá a Mãe MariaSaravá povo de UmbandaSalve a estrela guiaØ SAUDAÇÃO A EXÚ SETE PORTEIRAS (7X)Lá na porteira eu deixei meu sentinela >Eu deixei Sete Porteiras |Tomando conta da cancela >4 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 9. Ø SAUDAÇÃO A OGUM BEIRA MARVibraçãoBeira Mar auê Beira Mar>Ogum já jurou bandeiraØ 1. XANGÕNos campos do Humaitá É Xangô o rei de lá da pedreira >Ogum já venceu demandaÉ Oxum, rainha da cachoeira >Vamos todos saravar Xangô é rei, Xangô é rei OrixáEscreve lei pros filhos de OxaláBeira Mar auê Beira Mar>Eu estava na minha gira Ø 2. OXALÁEu estava no meu CongáOxalá seus filhos lhe pedem auxílioEu estava na minha gira Vinde a eles ajudarVamos todos saravar Derramai vossos olhos piedososA estes filhos de féBeira Mar auê Beira Mar>Ø 3. OGUMØ LOUVAÇÃO A XANGÔNesta casa de guerreiro OgumQuando a lua apareceu,Vim de longe pra rezarOgumLeão da mata roncou,Rogo a Deus pelos doentes OgumA passarada estremeceu, Na fé de ObataláOgumFoi a Coral que piou, piou, piouOgum salve a casa santa OgumFoi a Coral que piouOs presentes e ausentes OgumSalve o povo de Congá Salve nossas esperanças OgumAí vem nosso Rei de Umbanda Salve os velhos e criançasOgumSaravá nosso Pai Xangô.>Nego velho ensinouOgumNa cartilha de AruandaOgumØ XANGÔE Ogum não esqueceu OgumXangô, Xangô, meu Pai Xangô Como vencer as demandas OgumKaô, kabecile, obá, XangôA tristeza foi embora OgumSaravá Xangô 3>Na espada de um guerreiro OgumXangô ô ô ô ô, meu Pai, XangôE a luz do romper da aurora OgumXangô mora na pedreiraVai brilhar neste terreiroOgumQuem mandou relampejarKaô, kabecile, obá, Xangô Ø 4. YEMANJÁSaravá Xangô 3> Hoje é dia de Nossa SenhoraDe nossa mãe Yemanjá,Ø CHAMADA DE SEU SETE CACHOEIRASCalunga e, e, e, e, e, e,Ele vem de longe |Calunga a, a, a, a, a, a,Da cidade da Jurema>Brilham as estrelas no céuEle é Sete Cachoeiras|Brincam os peixinhos no mar,E vem com ordem suprema>Calunga e, e, e, e, e, e,Calunga a, a, a, a, a, a Tenda Caboclo Sete Cachoeiras 5
  • 10. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ 5. OXUMØ 10. DESCARREGO DAS SETE LINHASAieiê, Mamãe OxumDescarrega, descarregaAieiê, vem nos ajudarTodo o mal que aqui estáAieiê, Mamãe OxumLeva, leva, levaDas cachoeiras de OxaláTudo pro fundo do mar.Aieiê, Mamãe Oxum,Dê-me água pra beber Ø 11. SUBIDA DOS CABOCLOSTenho sede de esperançaØ A.Tenho sede de aprender Já volteei lá na pedreira E Xangô disse que simØ 6. OXÓSSIQuem tem santo tem CabocloEu corri terra, eu corri mar,Tá na hora de subirAté que eu cheguei na minha raizOra viva Oxóssi na mata |Ø B.Que a folha da mangueira ainda não caiu >Xangô já vai, já vai pra Aruanda > Sua benção meu, proteção pra nossaØ 7. IANSà banda>Eram duas ventarolas, duas ventarolasQue ventavam o mar Ø C.Se a minha mãe é Iansã Eparrei Caboclo, pega a sua flecha |Agora que eu quero ver Eparrei Pega o seu bodoque, o galo já cantou > O galo já cantou na Aruanda|Ø 8. NANà BURUQUÊOxalá lhe chama para sua banda >São flores, Nanã, são floresSão flores, Nanã BurukêØ SUBIDA DO CABOCLO SETE CACHOEIRASSão flores, Nanã, são flores,Xangô de ouro e ouro ô|Do seu filho Abaluaê Xangô me coroou > Filhos de pemba, a Umbanda choraNas horas de agoniaÉ Xangô que já vai emboraÉ ele quem vem nos valerÉ ele, Nanã, é meu Pai, |A Umbanda gira, gira, girê |É seu filho Abaluaê >A Umbanda gira, gira, gira, girá >Ø 9. DESCARREGO DOS ORIXÁSOgum bateu na terraNum raio de XangôToda a poeira que sobrouOxum pra Aruanda levou, levou, levouLicença de Oxóssi ela ganhouNa onda de Yemanjá,Iansã pro barravento de OxaláTudo levou, levou, levou.6 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 11. Tenda Caboclo Sete Cachoeiras 7
  • 12. 1.540 Pontos Cantados de Umbanda8 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 13. XANGÔPontos IndividuaisØ DA CACHOEIRAMeu Pai Xangô é rei lá na pedreiraØ SETE CACHOEIRAS Também é rei, Caboclo da CachoeiraEle vem de longe |Da cidade da Jurema>Na sua aldeia tem os seu caboclosEle é Sete Cachoeiras|Na sua mata tem a cachoeiraE vem com ordem suprema>No seu saiote tem pena dourada |Seu capacete brilha na alvorada>Ø QUEBRA-PEDRAØ DA PEDRA PRETA Letra e música: entidadeCheguei, sou Quebra-Pedra|Tava em cima da pedreiraSou caboclo de Xangô >Quando o céu trovejouTem vez que estou aquiÉ o caboclo Pedra PretaTem vez que não estou Esse filho é de XangôSó venho quando pedem E de cima da pedreiraA justiça de XangôEle vem neste CongáKaô, kaô, kaô|Tem licença de XangôSou Quebra-Pedra |Ele vem pra trabalhar.Sou guerreiro de Xangô >Ø SERRA NEGRASeu Serra NegraØ SETE PEDREIRASVem chegando de AruandaSeu juramento ele fez Trazendo pembaEm cima da cachoeiraPra salvar filhos de UmbandaFoi ouvido por XangôQue lhe deu sete pedreirasEle é guerreiro, é flecheiro, atirador |Na sua mata, Serra Negra é caçador >Sua lança é o raioNa sua serra, Serra Negra é de Xangô >O seu brado é o trovãoEle reina nas montanhas Ø SERRA NEGRAA pedreira é seu chão No alto da serra, capitão da serraNa serra negra onde caboclo moraÉ justiceiro, é guerreiro, é Orixá |No alto da serra, capitão da serraEle é Sete Pedreiras |A sua seta é uma jibóiaE seus filhos vem salvar >Estava no alto da serraGrande jibóia que por mim passouØ SETE PEDREIRASTrazia um grande diadema|Por detrás daquela serra >Dizendo que era o rei dos caçadores >Tem uma linda cachoeira>Seu Serra Negra vem chegando de AruandaÉ de meu Pai Xangô >Trazendo pembaÉ de Xangô Sete Pedreiras>Pra salvar filhos de UmbandaEle é guerreiro, é flecheiro, atirador|Na sua mata, Serra Negra é caçador|Na sua serra, Serra Negra é de Xangô >Tenda Caboclo Sete Cachoeiras9
  • 14. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ SERRA NEGRAEle é do reino de XangôEle é da força de OxaláCaboclo Serra Negra| É quem chegou pra trabalhar >Ø VENTANIAOi, rouxinol VentaniaRouxinol Ventania na raiz da UrucaiaSua cobra é um segredoEle mora num lajedoSentado na Beira MarØ VENTANIAMas que caboclo é aqueleEle vem de AruandaEle vem trabalharEparrei, Eparrei, IansãSaravá a Rainha do MarEparrei, Eparrei IansãSaravá a Mamãe YemanjáØ DA PEDRA BRANCASaravá Meu Pai Xangô, Kaô>Caboclo da Pedra BrancaVem gira na UmbandaSaravá Meu Pai XangôØ DA PEDRA BRANCASubi na pedreira |Encontrei um caboclo de Xangô>Era Seu Pedra Branca, caboclo deUmbandaSaravá XangôSeu Pedra Branca vem salvar seus filhosE vencer demandaØ SETE MONTANHASXangô brada na pedreiraSeu machado de ouro não se apanhaEle é o rei, mas ele é o rei da AruandaSaravá meu filho Caboclo Sete Montanhas10 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 15. XANGÔ Pontos de Linha Ø 7. Pedra rolou, Pai Xangô, lá na pedreiraØ 1. Segura o ponto, meu Pai, na cachoeiraXangô é corisco |Nasceu na trovoada>Tenho o meu corpo fechadoTrabalha na pedreira|Xangô é meu protetorAcorda na madrugada >Firma esse ponto, meu filho Pai de cabeça chegouLonge, tão longe|Aonde o sol raiou >Ø 8.Saravá Umbanda|Xangô, meu pai, atende essa romaria>Oi, saravá Xangô>Dos filhos que vem de longe| E não podem vir outro dia>Ø 2.Escureceu, a noite chegou> Ø 9.Firma ponto na pedreira, saravá Xangô> Xangô mostrai a força que vós tendes >Saravá Xangô3> Xangô é o rei da justiça E não engana ninguémØ 3. Xangô Kaô, Xangô Agodô 3>Subi na pedreira, subiUma pedra rolou no corisco de XangôØ 10.Dizem que Xangô mora na pedreira|Meu Pai Xangô chegou no reino|Mas não é lá sua morada verdadeira>Meu Pai Xangô já vai girar >Xangô mora na cidade de LuzOlha seus filhos lhe pedem meu pai |Aonde está Maria e o Menino JesusNão deixe os filhos tombar >Dizem que Xangô mora na pedreira|Mas não é lá sua morada verdadeira>Ø 11. Na beira do Cariri, eu vi Xangô sentadoØ 4. Yemanjá e Oxum e Santa Bárbara ao seu ladoLá em cima daquela pedreira |Na beira do CaririTem um livro que é de Xangô >Kaô, kaô|Ø 12.Kaô é kabecile é de Xangô >Xangô, Xangô, meu pai XangôØ 5. Xangô mora na pedreiraDeixei meu filho em cima da pedreira Quem mandou relampejarE de repente ele escorregouKaô Kabecile, obá, XangôMe ajoelhei e olhei pra baixoSaravá Xangô 3>Estava nos braços de meu pai Xangô Ø 13.Ø 6. Machadinha de cabo de ouroMeu pai Xangô |De ouro, de ouroDeixa essa pedreira aí>Machadinha de cabo de ouroA Umbanda está lhe chamando |É machadinha de XangôDeixa essa pedreira aí>Tenda Caboclo Sete Cachoeiras 11
  • 16. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ 14. Ø 19.Ele vem de AruandaSenhor dono da casaEle vem trabalhar Me dá licença de entrarEle vence demanda Minha banda é de Xangô,Ele é seu Pangará É de Zambi e OxaláKaô, kaô, kaô, kaôA justiça chegou, Xangô Ø 20.Xangô é rei de YorubáEle vem de AruandaXangô é rei da pedreiraEle vem trabalhar Xangô é rei dos astrosEle vence demanda Xangô é rei de UmbandaEle é seu AriráKaô, kaô, kaô, kaôOs teus filhos te chamamA justiça chegou, Xangô Xangô, Xangô, Xangô AgodôØ 21.Ø 15. Meu pai Xangô sentado na pedreiraQuem rola pedra na pedreira é Xangô | Com sua machadinhaVivô a coroa de Zambi2> Cravejadinha de estrelasVivô a coroa de Zambi é maiorØ 22.Ø 16. Naquele tempo em que Agodô escreviaXangô chegou na terra Pena de ouro ele traziaXangô girou na UmbandaCom seu grito de guerra Ø 23.Xangô venceu demandaMeu pai Xangô, olhai seus filhosQue eu também sou filho seuØ 17. Seu Agodô,Quebra pedra na pedreira |Yemanjá Sobá, Yemanjá SobáQuero ver arrebentar >Seu Aganju,Quem demanda com meus filhos |Yemanjá Sobá, Yemanjá SobáEu também sei demandar >Ø 24.Ø 18. Oh, Gino. Olha a sua bandaSentado na pedreira de XangôOh, Gino. Olha o seu CongáEu fiz um juramento até o fim Aonde o rouxinol cantavaSe um dia me faltar a fé em meu SenhorAonde Xangô moravaQue role esta pedreira sobre mimOh, ele é Gino da Cobra Coral >Meu Pai Xangô chegou do ReinoMeu Pai Xangô é Orixá Ø 25.Olha, seus filhos lhe pedem meu Pai|Eu vi Santa Bárbara e XangôFé e proteção neste congá>Estavam sentados em cima da pedraEstavam rezando para os seus filhosXangô é homem que vai pra guerra.12 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 17. XANGÔØ 26.Ø 31.Eu fui lá nas matas buscar minhas guiasXangô mora na pedreira |E lá encontrei pai Xangô que dizia Onde canta o rouxinol>Zum, zum, zum, pai Xangô é Kaô Sua pedreira é tão lindaZum, zum, zum, pai Xangô é Agodô Pai Oxalá abençoou Toda coberta de estrelasØ 27.Saravá meu pai XangôÉ na mesa de UmbandaQue Xangô faz refeição Ø 32.Xangô vem cuspindo fogoXangô, ele rei da pedreiraPra levantar filhos do chãoRei da pedreira ele é o rei de Umbanda Xangô ele é o nosso PaiØ 28.E filhos de XangôEcoou lá na mata da Jurema Bambeia mas não caiNão muito longe, num pé de caneleiraEstou ouvindo o eco do infinito, Ø 33.O que será?Estava sentado na pedraÉ o ronco da pedreira, Esperando meu Pai XangôXangô, Kaô, meu paiXangô na AruandaMe cubra com sua bandeiraXangô na quimbanda Xangô na linha das almasØ 29.Com Ogum venceu demandaXangô, KaôXangô meu pai, venha me ajudar Ø 34.Xangô é meu guia, Xangô é meu paiSegura a pedra XangôA pedra na pedreira ela rola, mas não caiNão deixa a pedra rolarVem trabalhar Xangô, vem trabalhar Pega no livro e na penaNo terreiro ele é cabocloPara a justiça firmarNa pedreira ele é Orixá Ø 35.Ø 30.Eram seis horas quando o sino tocouEu pedi a meu pai XangôNa Marambaia, cidade da JuremaQue me tirasse desta aflição Eram dez horas quando o galo cantouOlha o seu bom filho Com licença de Zambi, saravá Pai XangôEle tem fé e lhe traz no coraçãoSofrer como eu sofri Ø 36.Só mesmo um filho de féNa pedreira da mata virgemHoje eu agradeço a Xangô Aonde mora meu Pai XangôEu tinha esperança Água minou, Nanã Buruquê |Que a bonança voltaria e voltou. Pedra rolou, saravá Pai Xangô>Tenda Caboclo Sete Cachoeiras 13
  • 18. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ 37. Ø 44.Que pedreira tão alta Xangô é dono da pedreira |Que nem limo criouSegura o meu destino até o fim >Oh não me quebra pedraSe algum dia eu perderQue a morada é de Xangô A fé no meu SenhorRolai essa pedreira sobre mimØ 38. Meu Pai XangôSeu Ariri, Ariri, AririSeu Ariri ele é o Rei da Mata VirgemØ 45.Aonde o sabiá cantava Oxossi é rei das matasNa pedra onde Xangô moravaXangô é da pedreiraIansã da ventaniaØ 39. Mãe Oxum da cachoeiraLá no alto da pedreiraXangô, Xangô, Xangô, kaô, KabecilêA faísca vem rolandoAgüenta a mão cabra de forçaØ 46.Que a faísca vem queimandoO Ganga ôA terra é da JuremaØ 40. O leão é lá das matasMinha mãe cadê XangôA pedra é tão forteXangô foi passear O rei, é XangôMinha mãe cadê OgumFoi pra guerra guerrear Ø 47.Xangô veio das virgens matasØ 41. Com seu bastão de prataMeu Pai Xangô, olhai seus filhosPara nos salvar Xangô kaôQue eu também sou filho seu Xangô no reino é meu SenhorKaô, Kabecilê, saravá congá>Ø 48.Ø 42. Graças a Deus, meu DeusXangô, Xangô, Xangô, Xangô meu PaiPelo dia de hojeFoi o Senhor mesmo quem disse Louvado seja DeusFilho de Umbanda não caiMeu Pai Xangô, muito obrigadoQue Deus nos dê muita luz em nossosØ 43. caminhosTererê Xangô, ô tererê XangôNa calunga, Ø 49.Segura filhos de UmbandaCacheoria da mata virgemNão deixa filhos cair Onde mora meu pai XangôPedra rolou da cachoeiraPedra rolou, saravá pai XangôSaravá, pai Xangô14 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 19. XANGÔØ 50.Subida de XangôEram seis horas quando o sino batiaNa Marambaia, cidade da JuremaEram seis horas quando o sino tocouØ 1.Com licença de Zambi, saravá Pai Xangô Xangô já vai| Já vai pra Aruanda> A bênção meu pai| Proteção pra nossa banda> Ø 2. Camboteei lá na pedreira E Xangô disse que sim Quem tem Santo tem Caboclo Tá na hora de subir Ø 3. Xangô de ouro e ouro ô| Xangô me coroou > Filhos de pemba, a Umbanda chora É Xangô que já vai embora A Umbanda gira, gira, girê| A Umbanda gira, gira, gira, girá> Ø 4. Meu pai Xangô já berimbou na aldeia > Kaô, cunhanha, ô cunhanha | Kaô cunhanha>Tenda Caboclo Sete Cachoeiras15
  • 20. 1.540 Pontos Cantados de Umbanda16Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 21. OXALÁ Pontos de LinhaØ 7.Bendito, bendito JesusFilho da Virgem MariaØ 1.Expande a Vossa LuzAbre a porta, oh genteNo reinado deste diaQue aí vem JesusEle vem cansado Ø 8.Com o peso da cruzEstrela de Oxalá brilhou, brilhouVem de porta em porta Estrela de Oxalá no jacutá chegouVem de rua em ruaPra salvar as almas Ø 9.Sem culpar nenhumaSalve o mar sagradoPor onde caminhou JesusØ 2.Abençoai meus passosOxalá, meu PaiPara que eu possa carregar a minha cruzOxalá, meu PaiQuem é seu filho de féØ 10.Balanceia, mas não cai. Oh pescador da GaliléiaØ 3.Tu és discípulo de JesusOxalá, seus filhos lhe pedem auxílioSegue com esse filho amadoVinde a eles ajudar Que no espaço segue a luzDerramai vossos olhos piedososA estes filhos de fé. Ø 11.Lá no alto da montanhaØ 4.Eu ouço o grito de JesusMaior do que Deus ninguém Eu sofro tanto, oh Virgem SantaMaior do que Deus não háAjuda a carregar a cruzOra viva Deus, meus irmãos>São tantos os que mandam nesta terraOh Maria, oh MariaMaior é DeusVós que sois enviada por DeusOh Maria, oh MariaØ 5.Auxiliai esses filhos seusJesus Cristo é nosso Pai aruêÉ filho da Virgem Mariaaruê Ø 12.Lá do alto do calvário aruê Olha que cruz tão pesada, senhorÉ a estrela que nos guia aruê Foi que Jesus carregouØ 6.Ø 13.Nós vamos nos curvarJustina, tu és uma estrelaPerante a luz de Deus Que guiou o nosso guia ao redentorRogamos ao nosso PaiGuiai-me com o seu casteloAs bênçãos pros filhos seus Aos pés da Virgem Maria ImaculadaTenda Caboclo Sete Cachoeiras 17
  • 22. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ 14.Ø 21.Nossa Senhora pediuOi dai licença meu Pai OxaláAo seu filho redentorDai-me licença minha mãe YemanjáQue não deixasse esse mundoSe meu pai é o rei do mundoTenha dó dos pecadores Minha mãe é a rainha do marØ 15.Ø 22.Ora viva Deus, ora viva JesusRosa vermelha representa OgumOra viva a fé, na Santa Cruz Rosa amarela Iansã, Oxum A rosa branca representa YemanjáØ 16.Representa também nosso pai OxaláA nós desceu divina luz >No mais profundo abismoØ 23.Sem fim, sem fim e sem errar Andorinha voou Os anjinhos foram buscarØ 17.Quando voltouEstrela do céu que guiou nosso Pai Salve grande OxaláGuiai esse filho que vai Tenham fé meus cafiosViva Jesus nosso redentorQue em mesa de UmbandaQue na Santa CruzOxalá tem que vencerSeu sangue derramou Ø 24.Ø 18.Como gira ê como giraPombinho branco mensageiro de OxaláComo gira dentro do gongáLeva esta mensagem Oh gira para filhos de fé >De todo coração até JesusComo gira ê como giraDiga a ele Como gira dentro do gongáQue somos soldados de UmbandaOh como gira filhos de féSaravá nossa banda, nosso pai é OxaláVamos salvar a guia Do nosso Pai OxaláØ 19.Ela é uma pombinha branca, mas não é Ø 25.Ela é uma pombinha brancaJesus Cristo é nosso Pai, aruêEla é Jesus, é de Nazaré.É filho da Virgem Maria, aruê Por entre espadas e lanças, aruêØ 20.O santo nome de Jesus, aruêBendito e louvado seja|O nome de Oxalá a a >Ø 26.E manda pro fundo do mar, YemanjáOxalá, enviai teus GuiasOs pedidos dos filhos de Oxalá És o nosso protetor Nós somos filhos de Deus E Oxalá Nosso Salvador18Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 23. OXALÁØ 27.Eu vi brilhar >Lá no horizonte eu vi brilharEra uma Luz >Era uma Estrela Nosso Rei OxaláEle vem, ele vem,Do além, do alémTraz paz e amor a quem no mundo fazØ 28.Oxalá, Senhor do sétimo céuDá sua benção, meu Pai>Aos meus irmãos cá na terraAos meus irmãos de missãoDai sua benção, meu Pai >Ø 29.Quando Jesus nasceu uma estrela brilhouAnunciando ao mundo a vinda do SenhorOxalá Divino venha nos salvarAbençoai seus filhos e também o congáØ 30.Oxalá vai abençoarOs seus filhos no CongáVai pedir a Virgem SantaPra seus filhos ajudarOxalá é Rei na UmbandaE seu Reino é de LuzIlumina os caminhosQue até Ele conduzTenda Caboclo Sete Cachoeiras 19
  • 24. 1.540 Pontos Cantados de Umbanda20Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 25. YEMANJÁPontos IndividuaisØ 3.Mãe d’água, rainha das ondas Sereia do marMãe d’água, seu canto é bonitoØ CABOCLA DO MARQuando faz chuáQuando as águas do rioÊh, Yemanjá>Encontrarem as ondas do mar Rainha das ondas, sereia do mar>Eu farei um pedidoPra Cabocla na areia firmar Como é lindo o canto de YemanjáSempre faz o pescador chorarA lua no céu clareouQuem escuta a mãe d’água cantar |Os filhos de YemanjáVai com ela pro fundo do mar>Salve a mãe sereiaSaravá a Cabocla do Mar.Ø 4.Eu vou à praia grande, eu vou pro marPontos de Linha Levar botões de rosas à YemanjáEu vou à praia, vou riscar ponto na areiaØ 1.Vou pedir à Mãe SereiaYemanjá é a rainha do mar4> Todas as forças do marSalve o povo de Aruanda Que nos protejaSalve meu Pai Oxalá Com seu manto inteiro brancoSalve Oxóssi, salve os guiasQue nos cubra com os encantosSalve Ogum Beira MarQue tem as ondas do marYemanjáØ 5.Yemanjá é a rainha do mar4> Quem quiser viver sobre a terraVai ter festa na AruandaQuem quiser viver sobre o marVai ter reza no CantuáDo mar salve as sereiasVai ter gira a noite inteiraSalve as ondinas do marE muitas flores no marRuê, ruê, ruê, ruá, ruá, ruá, YemanjáYemanjáØ 6.Ø 2.Saia do mar, linda sereiaEu fiz um pedido à mamãe Sereia|Saia do mar, venha brincar na areiaA Yemanjá, para nunca mais penar >Saia do mar, sereia belaFoi na areia, numa noite linda |Saia do mar, venha brincar com elaNa areia branca do mar >Ø 7.Oh lua clara no céuSalve as conchinhas de prataIluminou seu divino manto,Sereia.Salve quem aqui estáOh rainha do mar, Sereia.Salve a Mãe SereiaOh mamãe Yemanjá, Sereia.Rainha, Mãe Yemanjá.Oh rainha do mar, Sereia. Tenda Caboclo Sete Cachoeiras21
  • 26. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ 8. Ø 13.Eu fui na beira da praia | Yemanjá é sereia do fundo do marPra ver o balanço do mar > Yemanjá, YemanjáEu vi um retrato na areiaTrabalha na areia junto com Beira-MarMe lembrei da sereia Ogum-yê, ÔdoiáComecei a chamar Rainha sereia, minha mãe YemanjáOh Janaína vem ver | Ø 14.Oh Janaína vem cá| Retira a jangada do mar |Receber suas flores| Mãe d’água mandou avisar|Que venho lhe ofertar> Que hoje não pode pescar| Pois hoje tem festa no mar>Ø 9. Ê Ê Ê Ê Ê Ê Yemanjá |Vamos saravar mãe YemanjáEla é, ela é a rainha do mar>Vamos todos juntos jogar flores no mar Traz pente traz espelho Ô Ô Ô ÔÉ do mar, é do mar, é do mar Pra ela se enfeitar Ô Ô Ô ÔÉ do mar minha mãe sereiaTraz flores traz perfume e enfeita todo marÉ do mar, é do mar, é do marÉ do mar, é nas águas, é nas areiasØ 15. A lua branca traz o mar |Vamos saravar mãe YemanjáPara lhe enfeitar >Vamos todos juntos jogar flores no mar Ela quer amor, ela quer a pazÉ do mar, é do mar, é do mar Ela é harmonia em todo lugarÉ do mar minha sereiaFilha de Yemanjá, OdociaPapai risca ponto nas pedras Filha de Yemanjá, vamos saravarMamãe risca ponto na areia Ela é alegria aonde vai No seu coração ela traz a pazØ 10.A lua branca traz o mar |O que é que me deram para levarPara lhe enfeitar >Pra dona Janaína no fundo do mar?Frasco de cheiro, laço de fita Ø 16.Pra dona Janaína que é muito bonitaE vem, vem, vem e vem beirando o mar E vem a mãe Sereia para todo o mal levarØ 11.Chegou, chegou, chegou a mãe sereiaA onda do mar rolou> Para todo o mal levarSaravá a rainha do mar | E foi , foi, foi e foi beirando o marSaravá minha mãe Yemanjá | E foi a Mãe Sereia para todo o mal levarMamãe Yemanjá> Ø 17.Ø 12.Eu sou filha de Yabá|Filha de Yemanjá, toda de azul Yabá é minha mãe>Filha de Yemanjá, de corpo azulA rainha do tesouro | Oh doce Yabá no fundo do mar 3>22Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 27. YEMANJÁØ 18.Ø 26.Yemanjá sobá, baba ebô Uma estrela lá no céu brilhouBaba ebô Yemanjá, baba ebô E o clarão refletiu no mar Era uma estrela guiaØ 19.Que refletia o lindo manto de YemanjáYemanjá, sereia bonita, rainha do marYemanjá, Yemanjá, Yemanjá.Sereia bonita, rainha do mar, YemanjáSe nessas águas eu pudesse navegarComo é lindo o canto de YemanjáEu traria um pedacinho do seu mantoEla faz o pescador chorarE essa luz que brilha em seu olharQuem escuta a mãe d’água cantarVai com ela pro fundo do mar Ø 27. Com uma dúzia de velas,Ø 20.Numa noite tão lindaA estrela brilhou lá no alto mar Eu fui para o mar, rezando e chorando...Quem vem nos salvar é nossa mãeFazer meus pedidos para YemanjáYemanjáÔ Yemanjá, venha me ajudar Ô mãe Oxum, venha me salvarØ 21.Sou peregrino trazendo floresBotei meu barco n’água para navegarFrutas e velas pra mãe YemanjáPedi licença à primeira embarcação deYemanjáØ 28.Yemanjá, ô Yemanjá,Ajoelhei-me na beira da praiaRainha das águas é Yemanjá Pra pedir proteção a minha mãe Yemanjá A água que me batia, Yemanjá respondiaØ 22.Filho vou te ajudar.Yemanjá, Yemanjá, Yemanjá >Venha me ajudar, Odoiá Ø 29.Vem nas ondas do mar Yemanjá, Yemanjá. Sou pescador, moro nas ondas do mar...Ø 23.Também sou filho de YemanjáSou filho do mar, das ondas do mar Quero morrer no marDa espuma do mar, sou filho do mar Nos doces braços de YemanjáMinha mãe Yemanjá, Yemanjá minha mãeRainha ela é do marØ 30. Quem vem vindo na crista da ondaØ 24.É sereia, rainha do marYemanjá coroou é de arariou >Quem vem vindo na crista da ondaÉ de doce malembe é de arariou>É sereia, mamãe Yemanjá Vem senhora das águas do marØ 25.Abençoe esse nosso CongáYemanjá ôIô cindô rê rê YemanjáTenda Caboclo Sete Cachoeiras 23
  • 28. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ 31. Ø 38.Oh, como é lindo as flores brancas de Yemanjá Se as ondas do mar são verdesChegou a hora Me leva pro fundo do marVindes com Deus e Nossa Senhora Yemanjá Sereia, sereia...Um buquê de rosas brancas, ê êSereia é a mãe GuiomarVou levar pra Yemanjá, ê áØ 39.Ø 32. Em cima de uma pedraA minha mãe é mãe de mesa Em cima da pedra, outra pedraÉ a rainha do mar Embaixo da pedra tem areiaPede a Deus a proteçãoQuem manda no mar sereia>Para seus filhos salvarØ 40.Ø 33. Como ela nada no mar>Yemanjá, Yemanjá, Com as ondas bem fundasNo fundo do mar tem areia Como ela nada no marAreia do fundo do marEm cima do mar tem as ondas Ø 41.Ondas que vão me levarA sereia canta, os peixinhos nadamNum barco enfeitado de flores Levando o barco de YemanjáPra ouvir a sereia cantar Êêêá>Ø 34. Ø 42.Mãe, mãe, mãe Sereia, sereia, minha rainha do marPor que é que tu vives no fundo do mar? Todo o mal de seus filhos, sereiaEu sou a mãe sereia, rainha de OxaláLeva para o fundo do marEu venho trazer forçasPara os meus filhos salvarØ 43.Minha mãe é sereia, rainha do marØ 35. Oh sereia tá no marBrilhou, brilhou, brilhou, brilhou no mar Sereia tá no mar, sereia tá no marO manto da nossa mãe YemanjáBrilhou, brilhou no mar Ø 44.E agora vai brilhar nesse Congá Sereia, sereiaØ 36. Olha a sereia que nada no mar >Como está tão lindo o altar Ela é dona do reinarCom as flores de nossa mãe YemanjáSalve a caridade pura Ø 45.Salve a sereia do mar É vem, é vem, é vem, e vem beirando o marE vem a mãe sereia, chegou beirando o marØ 37. Chegou, chegou, chegou, chegou a mãe sereiaSereia, sereia, como ela nada no marPra nos auxiliarSe minha mãe é sereia, oh sereiaBaixou, baixou, baixou, beirando o marBaixou a mãe sereia pra todo o mal levar24Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 29. YEMANJÁØ 46. Ø 51.Minha jangada de vela Adormeceu, sob o amparo da mãe d’águaCorre um vasto do mar Sentindo o amor que não se esgotaDe dia o vento é na terra Dessa fonte que é Deus, Yemanjá,De noite o vento é no mar Doce YemanjáRemai! Remai!>Sou pequenino grão de areiaNossa Senhora da LuzNa imensidão desse seu marMãe do povo do marÉ a tua luz que me clareiaLevai a vossa barquinha O caminho e o trabalhoPra Jesus adorarQue Oxalá me concedeuRemai! Remai!>E é por isso que, serena,A minha alma adormeceuØ 47.Veio navegando pelas ondas do mar Ø 52.Para saravar no recinto de YemanjáQuando as ondas brancas vem rolar na areiaViva mamãe Oxum, viva a sereia do mar Eu sinto saudades da minha mãe sereiaE quando na UmbandaØ 48. Eu canto pra YemanjáNo clarear de uma manhã Eu sinto saudades das águas rolando o marEu tive um sonho tão bonito Odoiá minha mãe YemanjáSonhei que as águas de YemanjáOdoiá sereia do mar.Me transportavam ao infinitoØ 53.De suas águas generosas A Rainha das Ondas é tão belaAs suas mãos me estendeuComo bela nos campos é a florE na carícia das marolasSalve Ogum Beira Mar, seu guerreiroA minha alma adormeceuEla é a Rainha do AmorSalve, salve Yemanjá no terreiroØ 49. Salve os campos do seu jacutáQue caminho de espinhoSalve Ogum Beira Mar, seu guerreiroQue caminho de areiaEla é a Rainha do MarSaravá mãe YemanjáNossa Senhora das CandeiasØ 54.Ela vem beirando o mar |Ø 50. Oi, ela vem berando a areia>Ela é uma flor nos jardins do SenhorSaravá a mamãe YemanjáEla é uma Rosa, uma rosa em botão Saravá a sua aldeiaEla é toda a pureza, ela é toda ternuraEla é todo Amor, ela é Senhora da ConceiçãoTenda Caboclo Sete Cachoeiras25
  • 30. 1.540 Pontos Cantados de Umbanda SubidaØ 1.A onda do mar rolou4>Os filhos de Yemanjá|A onda do mar levou >Ø 2.A marola do mar vai levandoYemanjá é quem vai navegandoA marola do mar vai levandoE seus filhos ela vai deixandoØ 3.A onda que te trouxeÉ que te leva para o marAuê, auê, auê Yemanjá>Vai com a onda vaiVai com a onda vemVai com a onda vaiQue com a onda eu vou também26 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 31. YEMANJÁØ CONTO DE AREIAToninho NascimentoÉ água no mar, é maré cheia oi...Mareia oi, mareia, é água no mar!É água no mar, é maré cheia oi...Mareia oi, mareiaContam que toda a tristeza que têm na BahiaNasceu de uns olhos morenos molhados de marNão sei se é conto de areia ou se é fantasiaQue a Luz da Candeia ilumina pra gente contarUm dia, a morena enfeitada de rosas e rendasAbriu seu sorriso de moça e pediu pra dançarA noite emprestou as estrelas bordadas de pratasE as águas de Amaralina, eram gotas de luarEra um peito só, cheio de promessa era só >Quem foi ...quem mandou o seu amorSe fazer de canoeiroO vento que rola nas palmasArrasta o veleiroE leva pro meio das águas de YemanjáE o Mestre Valente vagueiaOlhando pra areia sem poder chegarAdeus amorAdeus meu Amor não me esperaPorque eu já vou embora,Pro reino que esconde os tesouros de minha Senhora,Desfia colares, conchas pra vida passarE deixa de olhar pros veleirosAdeus meu amor eu não vou mais voltarFoi Beira Mar, foi Beira Mar quem chamouFoi Beira Mar ê, foi Beira Mar>É água no mar é maré cheia.Tenda Caboclo Sete Cachoeiras 27
  • 32. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ A LENDA DAS SEREIAS Beth CarvalhoOguntê, Marabô, Caiala e Sobá |Oloxum, Inaê, Janaína e Yemanjá >São rainhas do marMar, misterioso mar, que vem do horizonteÉ o berço das sereias, lendário e fascinanteOlha o canto da sereia, que Ialaô, Okê, IaloáEm noite de lua cheia, ouço a sereia cantar.E o luar? E o luar sorrindoEntão se encantaCom as doces melodiasOs madrigais vão despertarEla mora no mar, ela brinca na areia |No balanço das ondas, a paz ela semeia >Ai quem é?Oguntê, Marabô, Caiala e Sobá |Oloxum, Inaê, Janaína e Yemanjá >Olha o canto da sereia, que Ialaô, Okê, IaloáEm noite de lua cheia, ouço a sereia cantarEla mora no mar, ela brinca na areia |No balanço das ondas, a paz ela semeia >A paz ela semeia>Oguntê, Marabô, Caiala e Sobá |Oloxum, Inaê, Janaína e Yemanjá >São rainhas do mar28 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 33. YEMANJÁTenda Caboclo Sete Cachoeiras 29
  • 34. 1.540 Pontos Cantados de Umbanda30Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 35. NANà BURUQUÊ Pontos de Linha Ø 5. Saravá Nanã, oi Nanã Buruquê >Ø 1. A sua saia é roxaAtraca, atraca|O seu telhado é de sapê.Que aí vem na onda, é Nanã> Ø 6.É Nanã, é Oxum,Nanã, oh minha mãe Nanã>É quem vem saravar, ei ahProtege os seus filhosÉ Nanã, é Oxum,Segure o meu CongáÉ a sereia do mar, ei ah Eu sou de JuremaØ 2. E eu quero trabalharSão flores, Nanã, são floresSão flores, Nanã BurukêØ 7.São flores, Nanã, são flores,Nanã vem das neves,Do seu filho Abaluaê Ela vem das ondas do mar > Saravá OxumaréNas horas de agoniaSaravá a sereia do marÉ ele quem vem nos valer Saravá Nanã BuruquêÉ ele, Nanã, é meu Pai, |Saluba >É seu filho Abaluaê >Ø 3. Ø 8.O mar roncava, entre as pedras se batiaAtraca, atraca, que eu vi NanãAo gemido da mãe d’água, Bangu, BangulêA sereia respondia Atraca, atraca, que eu vi Nanã auêSão flores, são flores...Atraca, atraca, que eu vi NanãSão flores, Nanã Buruquê Que eu vi Nanã BuruquêSão flores, são flores>Pergunte à sua canhanha Se eu vi Nanã, se eu vi Nanã BuruquêØ 4.Minha mãe é Nanã Ø 9.É o Orixá mais velho do céuSenhora Santana, mãe de misericórdiaNanã, oh Nanã BuruquêEu vou pedir a elaFirma seu filhos, agora eu quero ver Pra ela pedir a Deus Oh, minha mãe, rogai por mimSenhora SantanaDai-nos vossa proteção Ø 10.Valei-nos avó de Aruanda Nanã é mãe dos OrixásValei-nos com sua benção Está na terra e na cachoeira e está no marCom seu manto consagrado Eu vou pedir à boa NanãCom sua estrela benditaQue abençoe seus filhos e seu OgãValei-nos senhora NanãLivrai-nos das horas aflitasTenda Caboclo Sete Cachoeiras 31
  • 36. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ 11. Ø 16.Oh Nanã, cadê OxumNanã é a Velha MãeOxum tá nas ondas do marDe todos os OrixásEla é dona do reinarNanã manda muitas floresSalve OxumPra enfeitar o nosso CongáØ 12. Ø 17.Oi nas ondas do mar eu vi Nanã| Se Nanã não chegar >Oi Nanã Buruquê > Como é que eu vou girar>Oi nas ondas do mar Nanã teu filho pede>Dá forças pra trabalhar>Ø 13.Oh Yemanjá, oh YemanjáØ 18.Que linda sereia nadandoSaluba ê, saluba ê NanãAreia nas águas do marSaluba ê Nanã, ê Nanã BuruquêVai dizer pra SantanaQue toda semana eu rezo pra ela Ø 19.Em seu louvor Saluba Nanã, salubaÉ Nanã Buruquê> Saluba Nanã, na lagoa e no marØ 14.Nas cachoeiras de Nanã BuruquêSó se lava a cabeça do filho de UmbandaQuando é pra valerMas se você não é, então não vai láPorque Nanã Buruquê, meu filhoPode não gostarØ 15.Maleime Velha NanãMaleime Deus é quem dáMaleime Meu Pai OxossiMaleimeMaleime Deus é quem dáMaleime Velha NanãMaleime Deus é quem dáMaleime Meu Pai XangôMaleimeMaleime Deus é quem dáMaleime Velha NanãMaleime Deus é quem dáMaleime Meu Pai OgumContinua.......para todas as linhas32 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 37. NANÃ BURUQUÊTenda Caboclo Sete Cachoeiras 33
  • 38. 1.540 Pontos Cantados de Umbanda34Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 39. OXUM Pontos Individuais Pontos de LinhaØ DA AREIA BRANCAØ 1.Oxum quando canta na beira do rio |Olha o barquinho de Cinda |Faz o peixe ciscar na areia >Cinda é quem vem trabalhar>É o Caboclo da Areia Branca |Cinda é Mamãe Oxum, aiêiêo|Que traz o ouro pra minha senhora >Cinda é a Cobra Coral >Aieiê Ø 2.Oxum quando canta na beira do rio |Oxum estava na beira do rio |Faz o peixe ciscar na areia >Colhendo lírios pro seu Congá >A Aruanda já está em festa|Iluminou lá na pedreira |Seu Areia Branca ilumina a terra>Os lírios brancos da cachoeira>Aieiê Ø 3.Ø DA AREIA BRANCAEu sou da mina|Na beira daquele rio|Eu sou da mina de ouro>Tem uma areia branca>Onde mora mamãe Oxum|Onde passa um cavaleiro |Guardiã do meu tesouro>Cavaleiro de Umbanda>Mamãe Oxum rainha cheia de luz|Caboclo da beira do rioCubrai-nos com vosso manto|Caboclo da beira do marRogai por nós a Jesus >Ele vem cavalgando de AruandaØ 4.Vem trazendo sua Umbanda No céu uma estrela vem brilhandoPra seus filhos ajudar Nas águas o amor refletindo Aiêiê Oxum|Ø DA AREIA De alegria estou sorrindo >Na beira do rio verde |Eu vi um caboclo na areia >Também nas cachoeirasPegando peixe miúdo |Tem a força de OxumPra levar pra sua aldeia>Oxum é minha mãe E meu Pai é Ogum aiêiêo Ø 5. Se minha mãe é Oxum | Na Umbanda e no Candomblé > Aiêiê, aiêiê, minha mãe | Aiêiê, minha mãe Oxumaré> Mas ela vem beirando o rio Colhendo lírios pra nos ofertar Aiêiê, aiêiê minha mãe| Orixá desça e vem nos abençoar>Tenda Caboclo Sete Cachoeiras35
  • 40. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ 6. Ø 12.Eu vi mamãe Oxum na cachoeira| Mamãe Oxum dona dos rios e dos lagosSentada na beira do rio> Mamãe Oxum olha nossos laresColhendo lírios, lírios ê| Ela vem na banda nos traz felicidadesColhendo lírios, lírios á| Mamãe Oxum, quando vai deixa saudadesColhendo lírios pra enfeitar nosso Congá > Ø 13.Ø 7. No alto da cachoeiraOxum, Oxum Tem uma gruta do lado de láOxum é minha mãe Tem um banquinho de ouro, mamãeÉ a rainha do meu congá> Onde Oxum vai se sentarØ 8. Ø 14.Meu pai me diga quem é | Eu vi mamãe OxumQuem é que vem de Aruanda> Sentada na cachoeiraÉ mamãe Oxum, das cachoeiras E ela cantava tantoMeu pai me diga quem é | Chamava Ogum para jurar bandeiraQuem é que vem de Aruanda>É mamãe Oxum na lei de Umbanda Ø 15. ÁGUAS DE OXUMØ 9. O rio é de Oxum, aiê-iê-oMamãe Oxum chegouO lago é de Oxum,aiê-iê-oNa gira dos Orixás Águas de Oxum, aiê-iê-oE traz das águas dos riosAiê-iê, Oxum,aiê-iêSua mensagem de pazÁguas de Oxum, aiê-iê-o Aiê-iê, Oxum,aiê-iêMamãe Oxum, malei-me mamãe Oxum |Água da cachoeira, aiê-iê-oOlhai pros seus filhos da gira|Força da cachoeira,aiê-iê-oNa fé de meu pai Ogum> Água cristalina, aiê-iê-oOi gira gira gira| Aiê-iê, Oxum,aiê-iêOi gira e torna a girar| Águas de Oxum, aiê-iê-oPra chamar povo de pemba | Aiê-iê, Oxum,aiê-iêNa gira dos Orixás > O rio passa na mata, aiê-iê-o Na pedra uma cascata,aiê-iê-oØ 10.Oxóssi e Xangô,aiê-iê-oA água que sai da cachoeiraAiê-iê, Oxum,aiê-iêE vai correndo pelo rio aforaÁguas de Oxum, aiê-iê-oSalve Oxum! Salve YemanjáAiê-iê, Oxum,aiê-iêSalve Nanã! Salve a sereia do marUm vento na campina, aiê-iê-oØ 11.O rio corta a campina, aiê-iê-oEla é flor de maio > Iansã e Ogum,aiê-iê-oSe a minha mãe é linda flor de maio ArerêAiê-iê, Oxum,aiê-iêÉ flor de maio Águas de Oxum, aiê-iê-o Aiê-iê, Oxum,aiê-iê36Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 41. OXUMO rio encontra o mar,aiê-iê-oØ 22.Nos braços de Iemanjá, aiê-iê-oMamãe Oxum, mamãe OxumMãe de Oxalá,aiê-iê-oMamãe Oxum, NanãAiê-iê, Oxum, aiê-iê Me leva pras águas clarasÁguas de Oxum, aiê-iê-oEu quero ver a sereia cantarAiê-iê, Oxum,aiê-iê. Eu quero ver os caboclinhos da areia Trabalhando pra mãe YemanjáØ 16.Arerê... arerê mamãe Oxum> Ø 23.Arerê mamãe Oxum! Arerê OxumaréMamãe Oxum, mamãe Oxum lá do infinito Ai vem ouvir, ai vem ouvir o nosso prantoØ 17.Nós te adoramos com amor e com carinhoCom sua saia bordada de ouro Na esperança de sentir o vosso mantoE o seu saiote todo rendadoMamãe Oxum, que vem de AruandaAuê oh minha mãe Oxum auêCom o divino espírito santoOs anjos do céu dizem amém.Vem salvar filhos de UmbandaØ 18.Caiu uma estrela dentro desse Congá> Ø 24.Era uma estrela azul Estrela D’Alva, estrela que brilhaEra uma estrela benditaÉ a mamãe OxumDo manto sagrado da mamãe Oxum É a mamãe Oxum que ilumina Ilumina a terra, ilumina o marØ 19.Estrela matutina que ilumina esse CongáA Lua vem surgindoPor detrás da cachoeiraØ 25.Arerê mamãe Oxum... Arerê OxumaréEu fui na cachoeira chorandoØ 20.Levava comigo uma dorOxum linda morenaEla surgiu dentre as águasPra você eu vou girarOlhando me disse assimO teu canto de sereia“Não chores meu filho queridoAgora vai me encantarPois sempre ao seu lado estarei” Ela me deu uma rosaSe você inda não sabeE entre as flores desapareceuQuem é este OrixáArerê! Arerê!É Oxum a mãe do ouro Arerê mamãe Oxum olha euRainha deste CongáØ 21.Ø 26.Oxum e mamãe Yemanjá Salve a Estrela Guia|És a rainha do céu, és a rainha do mar Salve o Cruzeiro do Sul >Oxum vem acender os candeeiros Salve nossa Mãe SantíssimaIluminar nosso terreiroE o manto sagrado de Mamãe OxumE a seus filhos abençoarTenda Caboclo Sete Cachoeiras37
  • 42. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ 27.Subida de OxumNas águas serenas da lagoaUma estrela apareceuE foi como num sonhoØ 1.A estrela desapareceu Mamãe OxumEu seu lugar eu viSalve a banda da senhoraA deusa das águas aparecerMamãe OxumFormou-se arco-íris Aiêiê já vai emboraEu gritei para ele me valerOxum, Oxumaré venha me socorrer Ø 2.O rio que te trouxeØ 28. É quem te leva pro marOxum, teu nome eu trago Auê, auê, auê seu canzuáNa palma de minha mãoOh! Oxum, teu filho rogaØ 3.De ti muita proteçãoE vai, vai, vaiE vai beirando o rioØ 29. E vai mamãe OxumEu vi, eu vi Nanã, eu vi Oxum na beira do rio Para todo mal levarAs aves cantam ao romper da AuroraÉ Mamãe Oxum que vai chegar agoraØ 30.Foi na beira do rio aonde Oxum chorou >Chora iêiêiêô, choram os filhos seus>38 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 43. OXUMTenda Caboclo Sete Cachoeiras 39
  • 44. 1.540 Pontos Cantados de Umbanda40Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 45. IANSÃPontos Individuais Ø 5. Iansã tem um leque que venta | Pra abanar dias de calor >Ø CABOCLO DA LUA E DO SOLIansã mora na pedreira |Caboclo da Lua, Caboclo do Sol Eu quero ver meu pai Xangô >São irmãos Gêmeos como Cosme e DamiãoPovo de Umbanda manda, mas não vai Ø 6.Filho de Umbanda tomba, mas não cai. Iansã cadê Ogum? Foi pro mar > Iansã penteia os seus cabelos macios Quando a luz da lua cheia Pontos de Linha Clareia as águas do rio Ogum sonhava com a filha de NanãØ 1. E pensava que as estrelasIansã, Orixá de UmbandaEram os olhos de IansãRainha de nosso Congá Mas Iansã, cadê Ogum? Foi pro mar3>Saravá Iansã lá na AruandaEparrei, eparrei Na terra dos Orixás, o amor se dividiaIansã venceu demanda Entre um Deus que era de paz E outro que combatiaIansã, saravá Pai XangôNo céu trovão roncou Como a luta só terminaE lá na mata o leão bradou Quando existe um vencedorSaravá Iansã, saravá Xangô Iansã virou rainha Da coroa de XangôØ 2. Mas Iansã, cadê Ogum? Foi pro mar>Oh, Iansã menina, é do cabelo louro.Sua espada é de prata, sua coroa é de ouro.Ø 7. Ventou nas matas ventou nas pedreiras |Ø 3. Que vento forte nas cachoeiras>Eram duas ventarolas|Duas ventarolas ventando o mar>Não é Oxóssi, nem é XangôUma era Iansã, ô Eparrei|É Iansã com seu patakotôA outra era Yemanjá, oh dociá >Deusa dos ventos e do trovão Oh minha mãe, quero sua proteçãoØ 4.Eram duas ventarolas>Ø 8.Que ventavam o mar Saravá Iansã dos cabelos louros|Se a minha é Iansã, o EparreiNo seu mar tem água, |Agora que eu quero ver Na sua pedra tem ouro> Seu ariri, seu arirá Saravá Iansã, a Rainha do MarTenda Caboclo Sete Cachoeiras 41
  • 46. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ 9. Ø 15.Na beira do cariri Eu vi Santa Bárbara no céuEu vi Xangô sentadoA trovoada roncou lá no marCom Yemanjá e Oxum Ai como gira meu Congo oiô >E Santa Bárbara ao seu ladoGira com féNa beira do cariri Ø 16.Ø 10.Yemanjá é a rainha do marEla é a senhora dos ventos E minha Santa Bárbara é rainha do JacutáEla é a mais linda Orixá É rainha do JacutáEla veio acalmar a tormentaQuem mandou foi meu pai OxaláØ 17.Iansã, minha mãe Iansã Oh lírio, oh lírio, como lírio éSua espada de ouro no céu brilhouNa linha de Umbanda formosa ela éIansã, minha mãe IansãObrigada senhora Ø 18.Porque a bonança chegouGuena guena agogô Vai na Angola girarØ 11.Minha sambarerê é quiromboEla é Matemba, ela é Oiá|Santa Bárbara no JacutáEla é Iansã neste Jacutá>Ela é Matemba do cabelo louroØ 19.Senhora dos ventos, da espada de ouroEparrei na Aruandaauê Arerê na AruandaauáØ 12.Salve Yemanjá que é a rainha do marMas que caboclo é aquele Salve Xangô Kaô KabecileEle vem de Aruanda É de quá quá quáEle vem trabalharEparrei, Eparrei Iansã Ø 20.Saravá a rainha do arÉ mina mina agogô>Eparrei, Eparrei Iansã É de angomé, em terra de angomáSaravá a Mamãe Yemanjá É de Santa Bárbara rainha do JacutáØ 13.Ø 21.Moça rica, com sua estrela luminosaAuê venta aqui venta no marSua coroa, seu ramo de rosaSanta Bárbara é rainha da seitaUmbanda ê! Umbanda á!Ela é dona do seu JacutáE minha Santa Bárbara rainha do Jacutá Quando ela chega no reino Filho da seita ela vem saravarØ 14.Oh Iansã, é dona do JacutáGuena guena agogô, guena guena orirá42Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 47. IANSÃØ 22.Ø 29.Espia o que vem pelo céu Eparrei OiáOlha o que vem pelo marDona do vento, mensageira de OxaláMas ela é nossa mãe IansãEparrei Oiá, eparrei OiáMas ela é dona do Jacutá Dona do vento, mensageira de Oxalá Saravá Santa GuerreiraØ 23.Deusa do fogo e da luzVento, mas que ventania >Minha Santa PadroeiraIansã é nossa mãeQue meu destino conduzYemanjá é nossa guia Proteção para seus filhosØ 24.Eparrei OiáA sua espada é de ouro Moça rica da UmbandaA sua saia bem rodadaVenha nos abençoarEla vem na ventaniaSanta Bárbara abençoadaØ 30. Iansã o seu leque é de ouroØ 25.Vem do céu, Oxalá quem mandouIansã chegou no reinoPara salvar os seus filhos IansãChegou com a chuva e com vento Na hora da agonia e da dorEla é dona de Jacutá, veio saravarOs seus filhos no CongáØ 31. Moça rica com sua espada luminosaØ 26.Sua espada é cravejada de brilhantesNuma bela noite eu caminhava Quimbanda auê, quimbanda auáSozinho, pedindo proteçãoSanta Bárbara do JaracutáDeu um relâmpago, o céu clareouMe ajoelhei e Iansã me abençoouØ 32. Santa Bárbara virgemØ 27.Dos cabelos lourosEla é moça bonitaEla vem descendoEla é dona do seu Jacutá Pela escada de ouroAuê, auê, auêOh mamãe de AruandaØ 33.Segura esses filhos que eu quero ver Saravá Iansã dos cabelos louros| Seu luar tem prata, sua coroa tem ouro >Ø 28.Auê, auê, auê, auáEla é Santa BárbaraSaravá Iansã, rainha do JacutáRainha do JacutáArererê! ArereráA mamãe de Aruanda já virou janga no marTenda Caboclo Sete Cachoeiras 43
  • 48. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ 34. SubidaÊh Iansã, só vós podeis me ajudarChame meu Pai OgumØ 1.Mande ele vir me salvar, êh Iansã O vento que te trouxePorque tem alguém trabalhando É que te leva para o arComigo querendo acabar, êh IansãAuê, auê, auê, seu canzuá >Avisa meu Pai Oxalá, êh IansãÊh Iansã, avisa meu Pai Oxalá,Ø 2.Eu peço justiça pra todos Beri, beri mas elas vão beirando o mar >Em nome de Xangô êh Iansã Iansã já vai embora e elas vão beirando omarØ 35. Beri, beri mas elas vão beirando o mar >Oiá, olha eu, Oiá, eparrei, eparrei Iansã >Viaja na ponta do ventoNo corisco do trovãoSenhora da tempestadeMe dê sua proteçãoOiá, olha eu, Oiá, eparrei, eparrei Iansã >Vencedora de demandaEla é Orixá GuerreiraNa Coroa de XangôYansã é a primeiraOiá, olha eu, Oiá, eparrei, eparrei Iansã >44Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 49. IANSÃTenda Caboclo Sete Cachoeiras 45
  • 50. 1.540 Pontos Cantados de Umbanda46Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 51. OGUMPontos Individuais Ø SETE ONDAS Ogum de lei,| Não me deixe sofrer tanto assim meu pai >Ø BEIRA MARQuando eu morrer vou passar na Aruanda |Beira Mar, auê Beira Mar > Saravá Ogum, saravá Seu Sete Ondas >Ogum já jurou bandeiraNas matas do Humaitá Ø NARUÊOgum já venceu demanda Magia, magia que faz o meu corpo tremerVamos todos saravá Magia, magia que chega em silêncioBeira Mar, auê Beira Mar > Sem a gente ver É o Senhor OgumEu estava na minha giraÉ o rei da magia que vem nos socorrerEu estava no meu Congá É o Senhor OgumEu estava na minha giraQuem vence a magia é Ogum Naruê,Vamos todos saravá OgunhêBeira Mar, auê Beira Mar > Ø IARAØ BEIRA MARSe meu pai é Ogum, Ogum |A sua espada brilha no raiar do dia| Vencedor de demanda |Seu Beira Mar é filho da Virgem Maria> Ele vem de Aruanda|Seu Beira Mar, beirando a areia| Pra salvar filhos de Umbanda>Seu Beira Mar é filho da mamãe sereia> Ogum, Ogum, Ogum, Ogum Iara > Salve os campos de batalhaØ MEGÊ Salve as sereias do marOgum Megê, general de UmbandaOgum, Ogum IaraCom seu cavalo Seu Ogum foi guerrearCom sua espada, com sua lançaØ IARAVenceu demanda nos campos de Humaitá Seu cavalo corre, sua espada reluzOgum MegêSua bandeira cobre todos os filhos de Jesus O seu cavalo corre, sua espada reluzØ MEGÊ Auê, Ogum Iara aos pés da Santa Cruz >Na porta da Romaria|Eu vi um cavaleiro de ronda> Ø BEIRA RIOTrazia um escudo no peito uma lança na mão Beira Rio, Beira Rio, Beira Mar |Ogum venceu a guerra e matou o dragãoO que se ganha de Ogum|A primeira espada quem ganhou foi ele> Só Ogum pode tirar>Mas ele é, ele é Ogum Megê | Seu Ogum de Ronda ele vem girar |Ele vem de Aruanda | E vem trazendo folhas |Pros seus filhos proteger> Pra descarregar >Tenda Caboclo Sete Cachoeiras47
  • 52. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ AKUAN Ø BEIRA-MAROgum chamou das matas Estrela clareia a terra |Akuan pra trabalhar Estrela clareia o mar>Sua lança e sua flechaClareia o Congá de Beira-MarclareiaSão armas deste Congá Clareia os filhos do seu CongáÉ vencedor de demandaE seus filhos vem salvarØ BEIRA-MARÉ guerreiro, é valenteQuando Ogum pisou na luaVamos todos saravar.Fez tremer a terraNos campos de batalhaØ BEIRA MAR Seu Ogum venceu a guerraSeu Ogum Beira Mar |Ê ê ê... ê ê êO que trouxe do mar? >Vamos saravar nosso pai Seu Beira-MarQuando ele vem beirando a areia|Vem trazendo no braço direito|Ø BEIRA-MARO rosário da mãe Sereia>Sua espada rebrilha e rebrilha no marSeu Ogum é guerreiro e só pode brilharØ BEIRA MAR Na sua morada que lhe deu YemanjáAuê, auê Ogum Beira Mar, auêSeu Ogum Beira-Mar vem a seu filho ajudarIansã virou o tempoPra Ogum não governar Ø BEIRA-MARMas durante o barraventoBeira-Mar, auê, Beira-MarOxum se pôs a cantarBeira-Mar, quem está de ronda é militarOgum já jurou bandeiraØ BEIRA MAR Nas matas de HumaitáMeu Pai, que guerreiro é esse Ogum já venceu demandaQue vence na terra |Vamos todos saravarQue vence no mar >Ele é lanceiro, ele é flecheiro Ø BEIRA-MAREle é marinheiro, ele é de YemanjáMinha espada é de aço,Salve esse guerreiro |Minha espada vai brilharSaravá Seu Ogum Beira Mar>Minha espada é de fogo e Ogum Beira-MarØ BEIRA-MAR Ø BEIRA-MAROgum, Iansã, Xangô, Yemanjá Na lua mora um cavaleiro|Salve os Caboclos das matas É, é, é o seu Ogum guerreiro>Salve Seu Ogum Beira-MarOi lá na lua tem, oi lá na lua háØ BEIRA-MAR Oi lá na lua mora seu Ogum Beira-MarOgum Beira-Mar o que trouxe do mar? Oi saravá Ogum e a falange de YemanjáQuando ele vem do mar, na mão direita Oi lá na lua mora seu Ogum Beira-Mar >Ele traz uma guia de mamãe sereia48 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 53. OGUMØ MEGÊ Ø MATINATAOxóssi assobiou |Que Ogum é aquelePra passar no Humaitá >Que vem cavalgando no céu azulPra falar com Ogum Megê |É Ogum MatinataMensageiro de Oxalá >Ele é defensor do Cruzeiro do SulØ MEGÊ Com a espada na cintaOgum Megê, Ogum Megê>Escudo no braço ele vem cavalgandoOgum Iara >É Ogum MatinataSaravá cavaleiros de Umbanda>Ele é o defensor do Cruzeiro do SulA noite é linda, é de luarOgum Megê, Ogum Megê Ø GUARACYÉ que vai chegar Salve a falange do Caboclo Guaracy Deus do céu permitaØ MEGÊ Que ele chegue até aquiNão bota fogo que é de Oxalá Salve Tupã, Itatiaia e PotiNão quebre a pedra que é de XangôSalve Blazô e viva GuaracyNão facilite com filho de pembaSalve o Sol, salve as estrelas e o CruzeiroOgum Megê sempre foi vencedorSalve Guaracy que chegou neste terreiroØ MEGÊLá vem Ogum em seu cavaloØ ROMPE MATOCom sua espada e sua lança na mãoA sua terra é longeA mata é vossa, deixa correr Uma estrela brilhouE vamos saravar Ogum MegêMas o seu filho de Umbanda Já lhe procurouØ MEGÊ Oi, já lhe procurou >Ele vem de longe montado em seu cavalo Cadê Seu Rompe Mato de UmbandaCom sua espada na cinta ele vem praQue até agora ainda não chegouguerrear Ainda não chegou>Ele guerreia por este mundoCadê Seu Rompe Mato de UmbandaO seu nome é Ogum Megê neste Congá Que até agora ainda não chegouØ MEGÊ Ø ROMPE MATOO homem que bebe e fuma ô GangaQue cavaleiro é aqueleÉ Ogum Megê ô GangaQue vem cavalgando no céu azulXerê, xerê, xerêô GangaÉ Seu Ogum Rompe MatoÉ Ogum Megê ô GangaEle é defensor do Cruzeiro do SulØ MATINATA E, e, e, e, e, aQuem vem de lá?Pisa na Umbanda, oi CanjiraQuem vem lá de tão longe?Pisa no CongáEle é Ogum MatinataQue vem no reino saravarTenda Caboclo Sete Cachoeiras49
  • 54. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ ROMPE MATOØ OGUM SETE ESTRELASOuvi o toque do clarim lá no HumaitáEh cavaleiro de UmbandaToque do maior do dia Ogum vencedor de demandaMeu pai é Ogum Rompe Mato Salve os filhos de mamãe sereiaFilho da Virgem Maria Seu Ogum Sete EstrelasIlumina meu congá.Ø ROMPE MATOEu vi raiar do dia, eu vi estrela brilhar Ø OGUM SETE ESPADASEu vi Seu Rompe Mato, Ogum das matasEu tenho Sete Espadas pra me defender |Vir morar à beira-mar Eu tenho Ogum em minha companhia >Mas Ogum é meu Pai, Ogum é meu guiaØ ROMPE MATOOgum vai baixarOgum disse que ele é Rompe Mato Na fé de Zambi e da Virgem MariaÉ Rompe Mato auê, ele é Rompe MatoPorque rompe as matas auê Ø OGUM NARUÊÉ Rompe Mato auê, saravá Ogum Rompe MatoEi gente de UmbandaSopra o vento no marØ ROMPE MATOBaixou Ogum NaruêOgum Iara, Ogum MegêChegou a falange dos filhos de UmbandaOnde está Seu Rompe Mato auêBaixou Ogum NaruêAbre a gira de Umbanda auêØ SETE ONDASØ AKUANOh filhos de UmbandaAkuan, Akuan, caboclo guerreiroSeu Sete Ondas vem do Humaitá Altivo e bom companheiroQue bela surpresa Akuan, AkuanVem de Aruanda nos abençoar Amigo de dar a mãoIrmão, de dividir o pratoOh bela surpresaRetrato da ConsolaçãoBela surpresa, como está você Oxalá abençoe teu coraçãoQue bela surpresa!Salve Ogum...Salve São Miguel |Vem da Aruanda pra nos proteger Mamãe Oxum, Akuan, me põe no céu>Ø SETE ONDASAKUAN!...Estava na beira da praiaQuando vi Sete Ondas passar Ø AKUANAbra a porta oh gente que aí vem Ogum Seu Akuan é caboclo guerreiro |No seu cavalo branco ele veio saravar Ele vem na falange de Ogum>Ele olha por todos seus filhos, meu pai |Ø TUCURUVUE não esquece de nenhum >Aí vem Tucuruvu > Ele gira com o sol e com a lua|Ele é filho das selvas das linhas de Ogum Ele gira com a terra e com o mar>Chegou Tucuruvu > Ele vem com sua falange, meu pai|Ele é filho das selvas das linhas de Ogum Pra firmar o seu Jacutá >É Ogum de Cariri4>50Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 55. OGUMØ DA PANTERAPontos de LinhaNinguém domina o bichoNinguém domina a feraØ 1. SAUDAÇÃO A OGUMPorque ninguém podeSaravá São Jorge, ogum-iê-ô|Com o Caboclo da Pantera Saravá Ogum, ogum-iê-ô > Ô-ô, ô-ô, ogum-iê-ô 4>Caboclo não veio Salve Ogum Akuan, ogum-iê-ôNem com o corisco do trovão >Salve Ogum Yara, ogum-iê-ôMas mandou Seu Akuan Salve Ogum Naruê, ogum-iê-ôQue é seu guardião E Seu Beira Mar, ogum-iê-ô Ô-ô, ô-ô, ogum-iê-ô 4>Ø CURUGUÇU Salve Ogum de Lei, ogum-iê-ôEu vem lá da Aruanda Salve Ogum Nagô, ogum-iê-ôTrazendo a luz, a luz da Umbanda Salve Ogum Megê, ogum-iê-ôEu vem com o clarim de OgumE seu Matinata, ogum-iê-ôAnunciar que a Umbanda vai chegarÔ-ô, ô-ô, ogum-iê-ô 4>Eu é caboclo de UmbandaØ 2.Eu vem do Cruzeiro do SulFilho de pemba bebe água no rochedo |Eu é caboclo CuruguçuFilho de Ogum corre campo |Meu grito já ecoou E não tem medo>É a Umbanda que chegou Eu vou pedir ao Criador |Meu grito ecoouQue derrame o seu amor|Pai Oxalá quem me mandou Aos nossos guias e ao nosso Babalaô >Eu é CuruguçuDa corrente de OgumØ 3.Que aqui chegouPisa na linha de Umbanda Que eu quero ver Ogum Sete OndasØ OGUM DE RONDAPisa na linha de UmbandaUm cavaleiro na porta bateu >Que eu quero ver Ogum Beira MarPassei a mão na pemba para ver quem é >Pisa na linha de UmbandaEra seu Ogum de RondaQue eu quero ver seu Sete EspadasOgum é a força maior Ogum Iara, Ogum Megê> Olha a banda aruê Pisa na linha de Umbanda Que eu quero ver Ogum Matinata Pisa na linha de Umbanda Que eu quero ver Ogum Sete Estrelas Pisa na linha de Umbanda Que eu quero ver seu Rompe Mato Ogum Iara, Ogum Megê> Olha a banda aruêTenda Caboclo Sete Cachoeiras51
  • 56. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ 4.Ø 10.Por entre matas, por entre mares e terras Ogum já venceu, já venceu, já venceu |Eu entendi o que meu Pai quis dizer Ogum vem de Aruanda|Que Ogum não devia beberE quem lhe manda é Deus>Que Ogum não devia fumarEle vem beirando o rio |Mas a fumaça são as nuvens que passam|Ele vem beirando o mar |E a espuma, as ondas do mar > Oi salve Santo Antônio na Calunga|Benedito e Beira Mar >Ø 5.Se meu pai é Ogum vencedor de demanda|Ø 11.Ele vem de Aruanda |De quem sou eu, meu Pai me diga lá |Pra salvar filhos de Umbanda> Me diga lá, Obatalá>Ogum, Ogum, Ogum, Ogum Iara>Eu sou da terra, sou do vento ou sou do marOgum Megê, Ogum de Lei >Sete cavaleiros, todos sete encantadosFilhos da inocência, pai de todos os pecadosØ 6.Sete feiticeiros, sete cores da manhãOgum, guardai pedreiras mandado por São guerreiros e amantes,Oxalá Companheiros de TupãCom a espada e com a lança, OgumSete cavaleiros, todos sete concebidosSeus filhos vem ajudar, OgumPela chama dos amantes,Pelo medo dos vencidosØ 7.Sete bandoleiros, eram sete, resta umOxalá está chamando|Vem chegando triunfanteOgum lá no Humaitá |Num cavalo de OgumPra lhe dar uma bandeira |Ø 12.E mandar ele jurar >Lua bonita que clareia o mundo inteiroSe ele é capitão, ele vem jurar E São Jorge no espaço, iluminai esteSe for de Angola, também vai jurarterreiroSe for Ogum de Lei, ele vai jurar Oh meu São JorgeE se for de Nagô, também vai jurarOs seus filhos vêm chegandoOs seus filhos vêm descendoØ 8.Protegei esses irmãosYemanjá cadê Ogum|Ele é guerreiro, ele quebra macumbeirosFoi com Oxóssi ao Rio Jordão >Ele quebra os feiticeiros, debaixo do alazãoForam saudar São João Batista|E batizar Cosme e Damião >Ø 13.Quem está de ronda é São Jorge |Ø 9.Deixa São Jorge rondar >Ogum Iara, Ogum Megê, São Jorge é guerreiroOlha Ogum Rompe Mato, auê Que manda na terra e manda no marOgum Iara, Ogum Megê, Saravá, meu pai, girar é bom3>Tranca gira de Umbanda, auê.É bom girar52 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 57. OGUMØ 14.Ø 19.Bendito guerreiro São JorgeEle é soldado de cavalariaQue traz na espada o sinal da cruz Tem muitos anos de infantariaTrazendo a paz e a harmoniaÉ capitão, é o maior do diaAos filhos benditos de Jesus É ordenança da Virgem MariaÓ São JorgeØ 20.Com sua espada de luzNo Humaitá, no HumaitáSalvai os vossos filhosÉ o rei de UmbandaEm nome da Santa CruzSão Jorge venceu demanda Seu cavalo branco, sua espada e seu escudoØ 15.Rompendo cerca de espinhos, porta fechadaEm seu cavalo branco ele vem montadoCalçado de botas ele vem armadoØ 21.Vinde, vinde, vinde| Foi lá no Humaitá aonde Ogum guerreouSão Jorge é nosso protetor > Foi lá no alto mar que Yemanjá o coroouØ 16.Ø 22.No alto da romaria Oh Jorge, oh Jorge, vem de AruandaEu vi um cavaleiro de rondaTem compaixão de seus filhosMas ele é São JorgeSão Jorge venceu demandaSão Jorge o nosso protetor Ogum, Ogum, Ogum meu pai Foi o senhor mesmo quem disseØ 17.Filho de Umbanda não caiOgum venceu a guerraOgum é ordenança de OxaláØ 23.Quando Ogum vem de Aruanda Marchai, marchai Ogum do diaEle vem na Umbanda Com a estrela D’Alva e a Virgem MariaPra seus filhos abençoar Oh, vem com a sua espada Trazer a fé aos filhosSaravá Ogum Megê Que se acham em agoniaSaravá Ogum Sete OndasSaravá Ogum Iara Ø 24.Saravá Seu Beira-Mar Ô mamãe eu vi um lindo menino Ia montado em um cavalo brancoØ 18.Ô mamãe que santo eu vi?No Humaitá, no Humaitá São Jorge passou por aquiÉ o rei de UmbandaSão Jorge venceu demanda Ø 25.Seu cavalo brancoSão Jorge é guerreiro de UmbandaSua espada e seu escudoEle segura a sua espada no arRompendo cerca de espinhos Ele ganhou a sua lança de ouroPorta fechadaPois venceu demanda no campo do HumaitáTenda Caboclo Sete Cachoeiras53
  • 58. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ 26.Ø 32.Oh quem tem guia, guiouTem cangerê, tem cangerê na terraOh quem tem guia guiou mesmo Eu chamo Seu Ogum para me ajudarPapai Ogum marchou pra guerraOs inimigos estão fazendo guerraOxalá deu carta branca Eu chamo Seu Ogum para guerrearOgum venceu na guerraOdé, odé, odé Ogum Rompe MatoSeu filho venceu demanda Beira-Mar, Ogum Megê Salve Ogum na força e na leiØ 27.Salve Ogum de Ronda, Sete Ondas e NaruêOgum, Ogum vem de AruandaVem salvar os vossos filhosØ 33.Em nossa lei de UmbandaOgum de Lei, Zambi quem mandaFilho de pemba não cai Corre a gira na porteira Pra salvar filhos de UmbandaØ 28.Ogum quando vem lá de AruandaØ 34.Traz uma espada e uma lança na mão Mamãe que cavaleiro é aqueleOgum é cavaleiro Que pisa com arrogância nesta terra?Venceu a guerra e matou o dragão Mas ele é Ogum MegêEle é São Jorge guerreiroQue veio da batalha com sua lança deGuerreiro no Humaitá guerraNo terreiro de UmbandaVem seus filhos saravarØ 35. Bandeira branca de OgumØ 29.Que está hasteada lá no HumaitáQuando Ogum apontou na terra Representando general de UmbandaSua espada brilhou na UmbandaOgum venceu demandaPela fé acabou com a guerraNos campos de HumaitáE seus filhos venceram demanda Ø 36.Ø 30.Pai Ogum, General lá de AruandaLonge, bem longe um cavaleiro surgia Pai Ogum, é vencedor de demandaEle é São Jorge filho da Virgem MariaPai Ogum, vence todo quimbandeiroA sua espada é de ouro, sua coroa é de lei Pai Ogum, herói do nosso terreiroMas ele é São Jorge filho da Virgem MariaEm seu cavalo vem da Aruanda | Para defender toda a sua banda >Ø 31.Ogum e mamãe sereiaØ 37.São dois cabos de guerra Ogum de Lei, Orixá de LeiSereia é rainha do mar ÊêêaaOgum é rei na terraSalve a coroa de Ogum de Lei Ogum de Lei Ogum de Nagô54Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 59. OGUMØ 38.Ø 42.Nesta casa de guerreiro Ogum Lanceiros de UmbandaVim de longe pra rezarOgum Ouvi os seus clarinsRogo a Deus pelos doentes Ogum Avançai todos os lanceirosNa fé de ObataláOgum Que Ogum já vêm aíOgum salve a casa santa OgumOs presentes e os ausentesOgum Ø 43.Salve nossas esperanças Ogum Ele jurou bandeira, ele tocou clarim >Salve os velhos e criançasOgum E o exército todo, é comandado por Ogum Salv Ogum Iara, salve Ogum Megê |Nego velho ensinouOgum Salve Ogum Matinata, salve Ogum Naruê >Na cartilha de AruandaOgumE Ogum não esqueceu Ogum Ø 44.Como vencer as demandas Ogum Capitão da Mata mandou avisar Caminho não tem, tempo não háA tristeza foi embora Ogum É militar que está de rondaNa espada de um guerreiro Ogum É militarE a luz do romper da aurora OgumVai brilhar neste terreiro Ø 45.Ø 39.Eu tenho sete espadas pra me defender |Quem está de ronda é São Jorge Eu tenho Ogum em minha companhia >São Jorge é quem vem rondarMas Ogum é meu Pai, Ogum é meu Guia |Abre a porta ô minha gente Ogum vai baixar |Deixa a falange de São Jorge entrarNa fé de Zambi e da Virgem Maria>Quem está de ronda é São JorgeToda noite, todo diaQuem está de ronda é São JorgeNossa Senhora da GuiaQuem está de ronda é São JorgeMinha mãe diga o que éQuem está de ronda é São JorgeVelando os filhos de féØ 40.Ele vem beirando o mar|Ou ele vem beirando a areia >Ogum, Ogum, Ogum|Saravá na sua aldeia>Ø 41.Seu Ogum de RondaJá mandar rodar, mariôTenda Caboclo Sete Cachoeiras55
  • 60. 1.540 Pontos Cantados de Umbanda SubidaØ 1.Ogum já me Saravou...ohooo... |Ogum já me abençoou >Filhos de Pemba, a Umbanda choraÉ o Seu Ogum que já vai emboraA Umbanda gira, gira, gira, girêA Umbanda gira, gira, gira, giráØ 2.Selei, selei (eles)>O seu cavalo eu selei(elas)>Meu Pai Ogum já vai embora (eles)>O seu cavalo eu selei... (elas)>Ø 3.Seu sentinela veio avisarSeu cavalo está seladoPara Ogum ir viajarComo é bonito o romper da aurora|Seu Ogum vai cavalgando |Pela estrada afora>Ø 4.Mandei selar o seu cavaloPara seu Ogum viajarEle vai para a cidade de Aruanda, ele vaiEle vai, mas ele torna a voltar >Ø 5.Seu Ogum vai, vaiVai, deixa saudadesSeu Ogum vaiSua banda, ela lhe chamaSeu Ogum vaiDescobrir se tem demanda56Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 61. OGUMTenda Caboclo Sete Cachoeiras 57
  • 62. 1.540 Pontos Cantados de Umbanda58Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 63. OXÓSSIAberturaØ JUNCO VERDEVem Junco Verde, vem trabalharTumba ê caboclo, Tumba lá e cáDas terras da JuremaTumba ê, guerreiro,Tumba lá e cáOs seus filhos vem salvarTumba ê meu pai, Tumba lá e cáSalve o sol, salve a luaNão me deixe só, Tumba lá e cáSalve Oxóssi tambémSalve o caboclo, índio guerreiro |Ø Salve Junco Verde que está no terreiro >A mata estava escuraUm anjo iluminouØ UBIRAJARANo centro da mata virgem Neste lindo céu de anilFoi Seu Oxóssi que chegouQue reflete nas ondas do marMas ele é rei, ele é rei, ele é rei |Com o sol chegou UbirajaraMas ele é rei de Aruanda, ele é rei >E veio nos abençoarEsta correndo mares e matasE o horizonte que nos seduzPor trás das montanhas é onde se esconde Pontos Individuais Com este astro cheio de luzØ CIPÓÉ nosso guia nas escaladasCaboclo firma ponto na rodilha do cipó >Companheiro nas grandes jornadasÉ meia-noite na lua , é meio-dia no sol > Nossa fé, é nossa trilhaSeguindo seu rastro que sempre brilhaØ CIPÓEsta correndo mares e matasLá na Jurema, lá no jardim de IngáE o horizonte que nos seduzA mata escureceu, meus caboclosPor trás das montanhas é onde se escondeEu vi Seu Cipó caçador chegarCom este astro cheio de luzØ FOLHA VERDEØ UBIRAJARA DO PEITO DE AÇOComo é tão lindo assistir festa na mataCorto língua, corto mirongaOuvir o som da cascata e o lindo canto doCorto língua de faladorsabiáQuando chego não há embaraçoQue noite linda, bela noite de luarChegou Ubirajara do peito de açoFoi no clarão da lua que eu vi Folha Verde chegarA mata está em festa, toda coberta de florØ UBIRAJARAAté os passarinhos cantam, meu cabocloAi que penacho é aqueleEles cantam em seu louvor É um penacho de araraÔ, ô, ô, ô, quanta beleza Ai quando rompe a mata virgem |Ô, ô, ô, ô, belo esplendorÉ o caboclo Ubirajara >Como é bom ter a certezaQue Seu Folha Verde é meu protetor Tenda Caboclo Sete Cachoeiras59
  • 64. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ UBIRAJARAØ TUPINAMBÁUbirajara é caboclo, é flecheiro Tupinambá é ganga na macaiaUbirajara veio no terreiro Tupinambá, ê ê, TupinambáEle veio de AruandaTupinambá guerreiro de OxóssiVeio pra vencer demanda> Tupinambá, ê ê, Tupinambá Tupinambá não perde uma demandaØ MATA VIRGEMTupinambá, ê ê, TupinambáCaboclo, é Seu Mata Virgem Tupinambá vem defender seus filhosQuando ele rufa seu tambor lá na JuremaTupinambá, ê ê, TupinambáAuê, ele é Caboclo bamba Só não apanhe as folhas da JuremaVem lá das matas pra salvar filhos de UmbandaSem ordem suprema do Pai OxaláØ SETE FLECHEIRO Ø TUPINAMBÁSete Caboclo, sete flechas, sete flecheiro Lá bem no alto da serraFirma seu ponto na cachoeira Eu escutei uma coral piarQue o Caboclo vem descendo Era uma linda jibóiaFirma seu ponto, saravá meu pai Xangô |Ferida com a flecha de TupinambáQuem manda lá nas matas é Oxóssi caçador> Ø TUPINAMBÁØ ROXO Ouvi naquela mata, Oxóssi assobiarCaboclo Roxo, da pele morena | Ele é meu Pai e mandou chamarÉ o Senhor Oxóssi caçador lá da Jurema > O seu Tupi, o seu GuaraniEle jurou e tornou a jurar pelos conselhos | E também mandou chamar o seuQue a Jurema vai lhe dar>TupinambáOi, não me mate a cobra| Tupinambá, TupinambáNão me pise na coral > Chefe guerreiro, Tupinambá, Tupinambá Está no terreiro, Tupinambá, TupinambáØ TUPINAMBÁFilho de Umbanda, Tupinambá, TupinambáEstava na beira do rio sem poder atravessar |Venceu demandaChamei pelo caboclo, Caboclo Tupinambá > Ø TUPINAMBÁTupinambá, chamei| Piava, piava de arrepiarChamei, tornei a chamar, ê a > Era uma enorme jibóiaØ TUPINAMBÁEnrolada no bodoqueNo centro da mata virgem De TupinambáOuvi uma coral piarØ TUPINAMBÁEla piava por detrás da pedraO meu manacá já não dá mais flor >Enrolada no bodoque de Tupinambá Ai eu vou plantar Uma semente do meu manacáØ TUPINAMBÁAi como é linda essa madrugadaBatuque no terreiro é Tupinambá> Povo de Umbanda vem trabalharSe é pele vermelha, se é Tupinambá oiTupinambá é Pai de TerreiroFlecha, flecha, flecha para todo o mal levar > Tupinambá no reino está60Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 65. OXÓSSIØ TUPINAMBÁ Ø COBRA CORALNo centro da mata virgemCobra Coral é caboclo>Eu vi uma coral piarTrabalha lá na mataEla piava porque estava presa Junto com Arranca TocoAmarrada no bodoque de TupinambáAuê, auê, auê, auê, meu Caboclo, auêØ PENA BRANCASaravá seu Pena BrancaØ AYMORÉSaravá seu AbacéA água com areia não pode demandarTraz na frente o seu bodoqueA água vai embora, a areia fica no lugarPra defender filho de féZum, zum, zum, zum, chegou Seu AymoréCaboclo Flecheiro pra salvar filhos de fé Ele vem de AruandaTrabalhar neste AbaçáØ SETE FLECHASSaravá seu Pena BrancaÊ, ê ê, ê ê ê ê ê ê ê ê ê á, ê áO guerreiro de OxaláÊ, ê ê, Caboclo Sete Flechas no CongáSaravá seu Sete Flechas ele é o rei da mata Sua flecha vai certeiraA sua bodoca atira parangaVai pegar no feiticeiroA sua flecha mata Que fez juras de mandingasPara os filhos do terreiroØ SETE FLECHASPega o arco, atira a flechaCom sete dias de nascidoQue este bicho é corredorA Jurema o encontrouMas deve ser castigado, ele é merecedorDeitado na folha secaO caboclinho ela criouØ PENA BRANCACurimbembê, curimbembá |Ele é o rei, o rei do Panaiá >Sete Flechas, o grande Orixá >Ele é Oxóssi, Pena Branca PanaiáVencedor de pemba de mãe JuremaNasceu na mata de OxóssiNa aldeia de Juremá Ø PENA BRANCAO caboclinho Sete Flechas Na mata virgem a coral piouIluminado por Oxalá Um filho passou e ficou escutandoCurimbembê, curimbembá |Cadê Seu Pena Branca de UmbandaSete Flechas, o grande Orixá >Que até agora ainda não chegouØ SETE FLECHASØ PENA BRANCAFoi numa tarde serena Eu estava na mata, eu estava trabalhando |Lá nas matas da JuremaSeu Pena Branca passou me chamando >Que eu vi o caboclo bradarEgô, egô, onde é que moraQuiô, quiô, quiô, quiô, quieraEu moro nas matas de Nossa SenhoraSua mata está em festaEle vem, ele vem, ele vem trabalharSaravá seu Sete Flechas Ele é Seu Pena Branca da tribo GuaráQue ele é o rei da floresta Tenda Caboclo Sete Cachoeiras 61
  • 66. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ PENA BRANCA Ø FOLHA VERDEUm grito na mata ecoou |Seu Folha Verde vem descendo a serraFoi Seu Pena Branca que chegou >Seu Folha Verde vem do JuremáCom sua flecha com seu cocar |Seu Folha Verde vem com seu capaceteSeu Pena Branca vem nos ajudar >Na AruandaOi, pisa na Umbanda ê êØ PENA BRANCASeu Pena Branca puxa a corimbaØ TABAJARAA sua banda manda chamarJirundidaiba de CatenguáAjuda Seu Pena Branca Jurundidaiba já vai girarPra todo mal destes filhos levarSeu Caboclo Tabajara já chegou pra trabalharØ PENA BRANCA Ø TABAJARAQue penacho é esse que eu vejo brilharSoou o tambor na mataÉ Seu Pena Branca que aqui vai chegar Seu Tabajara bradouFirma seu ponto ora veja seu cocarOkê Okê ...Odê 3>É Seu Pena Branca que aqui vai chegar O bodoque firmouMas que Luz é essa que eu vejo brilharA flecha atirouÉ Seu Pena Branca que aqui vai chegar Foi Seu Oxóssi quem abençoou...Firma seu ponto saravá Pai OxaláOkê Okê Odê3>É Seu Pena Branca que aqui vai chegarØ FLECHA DOURADAØ PENA BRANCA Caboclo vai, caboclo vem >Vem oh cabocloCaboclo Flecha Dourada é quem vemVem Pena Branca Mas ele é o Caboclo da mata>Vem trabalhar É Flecha Dourada que vemVem dar esperançaÉs caboclo da fé e esperançaØ ÁGUIA BRANCADa luz vibrante Um grito na mata ecoou |Da força branca Foi seu Águia Branca que chegou>Com sua flecha, com seu cocar|Ø JUNCO VERDE Seu Águia Branca vem nos ajudar>Estava na mata caçandoQuando ouvi Oxóssi bradar Ø TUPAÍBASeu brado me diziaNós somos dois guerreiros, dois irmãosQue Junco Verde vinha trabalhar unidosA estrela de Oxalá iluminaMeu nome é Tupaíba, sou filho de AymoréIluminando Junco Verde no congá Lá na tribo Guarani, meu irmão chama PeriØ JUNCO VERDE Ø TUPAÍBAO, filhos de UmbandaTupaíba, caboclo valenteSeu Junco Verde veio ajudar Tupaíba, caboclo de féQue bela surpresa Tupaíba quebra mandingaVem de Aruanda nos abençoar Com a força de Jesus de Nazaré >62 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 67. OXÓSSIØ FLECHEIROØ JURUÁEle é caboclo ele é flecheiroAi se não fossem as folhas da JuremaBumba na calunga Lá na mata o que seria do Caboclo JuruáÉ matador de feiticeiroE a Jurema, a Jurema, a JuremaBumba na calunga E a Jurema do Caboclo JuruáEle vem firmar seu pontoBumba na calunga Ø DO RIOFirma aqui neste terreiroO rio vem descendo, o Caboclo vem juntoBumba na calunga No tronco da Jurema o Caboclo vem gritando Oxóssi é meu pai, demanda eu vençoØ FLECHEIROSou o Caboclo do Rio, aiêiê oooEle vem de tão longe|Cansado de caminhar |Ø JUPIARASalve o caboclo Flecheiro |Eu vi no céu uma estrela que brilhouQue vem saravar seu congá >Foi o caboclo Jupiara que chegouPra chegar neste terreiro |A sua lança é da nação,Ele cortou tanto cipó |O seu bodoque a uniãoAtravessou a mata virgem|A mata sua morada, ele brilha na estradaVeio na fé do Pai Maior >Vem trazendo amor, ele é caboclo JupiaraØ ROMPE MATO Trazendo força e bondadeAuê, Rompe Mato 4> Ele é caboclo de OxóssiRompe Mato puía mato | Ele é caboclo guerreiroPra fazer seu jacutá > No seu peito traz a pazRompe Mato é caboclo brasileiroTraz esperança e caridadeRompe Mato é chefe de terreiro Ø VENTANIAØ ROMPE MATO Ogam segura o toqueVermelho é a cor do sangue do meu PaiCom Deus e a Virgem MariaE verde é a cor das matasOxalá é meu PaiOi, saravá Seu Rompe Mato da Jurema >Saravá seu VentaniaOi, saravá a banda que ele mora >Ø ROMPE MATO Ø DA AREIASeu Rompe Mato coroouNa beira do rio verde |Sete Pereiras na florestaEu vi um caboclo na areia >E as matas se enfeitaram Pegando peixe miúdo |Era uma cidade em festaPra levar pra sua aldeia>E os caboclos se enfeitaramCaboclo pega o anzolCom as folhas da guiné Em noite linda e claraE depois que curiavamPra pescar no rio verde |Cantavam que bom Odé Por ordem de Mãe Iara >Mas que bom OdéMas que bom Odé >Tenda Caboclo Sete Cachoeiras63
  • 68. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ SETE ESTRELASØ ARRUDASete Estrelas é caboclo no céu Fui buscar no meu congáSete Estrelas é caboclo na terra Que eu deixei lá na AruandaVeio brilhando Aqui está o Caboclo ArrudaNa banda veio saravá Pra vencer esta demandaTodo mal veio cortar A falange do Arruda é de força é de açãoCaboclo vem da mataDa Virgem Nossa SenhoraDa mata traz seu poder Eles têm a proteçãoArreia caboclo, arreiaArreia que eu quero verØ PENA VERDE Caboclo Pena VerdeØ SETE ESTRELASÉ minha luz, é meu guiaE vem a barra do dia Éle é de Oxóssi, filho da Virgem MariaJuntamente com a barra do marA sua luz ilumina o escuroÉ a falange do Sete Estrelas Todos seus filhos no terreiro estão segurosQue veio trabalharEstrela ô, estrela ô Ø PELE VERMELHA NORIGUÁEstrela que é nossa guia Mato kiamba ê|Chegou seu Sete Estrelas Mato kiambá|Com Deus e a Virgem MariaMato kiamba ê, Noriguá | Mato kiambá>Ø SETE ESTRELASÉ caboclo de pele vermelhaSeu Sete Estrelas vem descendo a serra Que veio da aldeia do CanadáSeu Sete Estrelas vem de JuremáSeu Noriguá é um cacique heróiSeu Sete Estrelas| Que veio da mata para nos salvarCom seu capacete de Aruanda| Noriguá ê, aiê Noriguá >Pisa na Umbandaauê > Ø SAMAMBAIAØ JUPIRA Quanto tempo que eu não bambeio|Oh, lá no alto da serra sua cobra piou Hoje eu vim pra trabalhar>Foi no alto da serra onde Jupira passouSou Caboclo SamambaiaCobra que pia, cobra que chora Vim aqui pra te ajudarÉ no alto da serra onde Jupira mora Ø ARAÚNAØ CABOCLINHO(A) DO MAR Na mata virgem da JuremaPronto cheguei | O Uirapuru cantouEu venho da beira do mar > Ao revoar lá nas campinasAtirando a minha flecha, auê Um rouxinol anunciouMinha tribo vai chegar, auê, auê, auêOi, saravá nesta AruandaA ordem é de Deus quem dáSeu Araúna chegouEu sou, eu sou, a Caboclinho(a) do Mar Ele é caboclo lá, ele é caboclo aquiPronto eu cheguei, Oi saravá Seu AraúnaCaboclinho(a) é de Yemanjá E a falange Guarani64Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 69. OXÓSSIØ DA MATA VIRGEMØ GUARÁCaboclo da Mata VirgemQuando a lua dormiuDa mata cerrada lá na JuremaO sol raiando a esperança surgiuQuem manda na mata é Oxóssi Eu caminhei pra mata que meu Pai é rei >Quem manda no céu é OxaláOkê caboclo, quero ver girarSol no céu passeando,Quero ver caboclo de Umbanda arriar Eu na mata a caminharFolhas verdes sombreando,Ø UBIRAJARA Não deixando o sol passarEle é Ubirajara>Sombras que vão se formando,Seu saiote é de penaPelas terras de GuaráSeu capacete é de Arara Pelas matas vão guiando,Esse filho de OxaláØ UBIRAJARAOh, que penacho é aqueleEu vou lá pra ver o meu Caboclo Guará >Ë um penacho de arara De repente o sol dormiuÉ quem rompe a mata virgem >Toda mata escureceuÉ o Caboclo Ubirajara Com a lua que surgiuSeu Guará apareceuØ DO MATO Em suave Ave MariaCaboclo do Mato trabalha |Que no céu o anjo cantouCom São Cipriano e Jacó|Seu Guará de lá desciaTrabalha com chuva e com ventoCom a noite que chegouTrabalha com a lua e com solEu chorei quando seu Guará me abençoou >Ø DA LUALuar, luarØ DAS SETE ENCRUZILHADASCaboclo da Lua já chegouEles são três caboclosVai dizer a sua mãe Caboclos do JacutáQue o Terreiro ele salvou Eles giram noite e diaPara os filhos de OxaláØ SETE FOLHAS 7 com mais 7 com mais 7 vinte e umCadê seu Sete FolhasSalvando os três 7, todos 3 de 1 a 1Da raiz do OricáVai chegar Seu Sete FolhasSete Montanhas giramCom licença de OxaláQuando a noite vai chegarSeu irmão Sete LagoasØ REI GUINÉ Quando o dia clarearQuando a Aruanda se abreE ao romper da auroraEu quero ver quem é Até alta madrugadaÉ o teimoso de AruandaGira o CabocloÉ o Caboclo Rei Guiné Das Sete Encruzilhadas Tenda Caboclo Sete Cachoeiras 65
  • 70. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ DAS SETE ENCRUZILHADASØ TURURIChegou, chegouUm instante meus irmãosChegou, com Deus, chegouEu vos quero saudarChegou, Há muito que aqui andoO Caboclo das Sete EncruzilhadasQuerendo vos ajudarSou filho de UrutãØ URUBATÃO DA GUIANas matas onde eu nasciChegou Urubatã de GuiaLá recebi o nomeQue veio para seus filhos salvarDe Caboclo TururiRebenta corrente de ferro e de açoEstoura cadeias de bronze Meu Pai é Caboclo guerreiroO sol e a lua vem saindoMinha Mãe é MamuriE vem a Estrela da Guia Quando quiseres auxílioEu trago em meu bronze gravadoÉ chamar por TururiO nome da Virgem MariaDeus é Pai de todosSomos irmãos de JavariØ JANGUARÁQuando tiveres demandaRompendo matos e ventos É chamar pelo TururiPara seus filhos salvarChegou, chegou agoraQuando tiveres demandaO Caboclo JanguaráDessas que vejo aquiChamai pelo vosso irmãoLá na Aruanda O Caboclo TururiOnde o galo cantouTrabalhos de Janguará Que Deus proteja a todosNosso Senhor coroou E dê forças ao chefe TimbiriPois quem pede nesse momentoChegou, chegouÉ o Caboclo TururiDeixa meu povo chegarChegou o rei dos Bugres Que o manto da Virgem MãeCom Caboclo JanguaráA todos possa cobrirE que debaixo desse mantoØ BRANCA LUATrabalhe sempre TururiEle veio de tão longe Boa noite meus irmãosDa cidade da Jurema Que a paz fique aquiSaravá seu Branca Lua Quem pede nesse momentoVem com a ordem suprema É o Caboclo TururiØ BRANCA LUAØ VIRA PAUSeu Branca Lua quando vem d’aldeiaCom tanto pau no mato eu não tenho guiaEle traz na cinta uma cobra coral Caboclo Vira Pau vai trazer a guiaOh, é uma cobra coral Com tanto pau no mato eu não tenho guiaEu trago esta pemba pra cruzar a guia66 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 71. OXÓSSIØ COSTEIRO Ø TUPISalve o Caboclo das MatasO Seu Tupi já vem chegandoSalve o Caboclo Costeiro De AruandaQue ronda a beira das praias Trazendo Pemba pra salvarE é filho lá do coqueiro Filhos de Umbanda Ele é guerreiro, ele é flecheiro,Ø JARACUTINGAAtiradorCaboclo Jaracutinga bebe água no coité Lá na Jurema Seu Tupi é vencedorTira ponto na Jurema, atira flecha sem ver Ø TAPUÍØ TIMBITapuí..... Tapuí.......De onde vens Timbí? Venho do reino do céuÉ índio, é guerreiro, é OrixáDescamba a ladeira, Oh Timbí Vem lá das matas pra quebrarPassa pro lado de cá Demanda neste Congá Tapuí..... Tapuí.......Ø DA CACHOEIRA Com seu arco e sua flechaÉ o índio 3> É filho de Sete Flechas, é OrixáEle é o índio aonde o sol nasceu Vem lá das matas pra quebrarSeu Cachoeira na Umbanda Demanda neste CongáEle é o índio aonde o sol nasceuØ JIBÓIAA coral é sua cinta,A Jibóia é sua lançaOi, que zoa, que zoa, que zoa, eCaboclo mora na mata.............bisØ PONTA DO MARA obrigação que eu fizCom minha Mãe YemanjáPedindo sua licençaPra no terreiro vir trabalharOh minha Mãe YemanjáRainha do Céu, da Terra e do MarQuem pede a sua licençaÉ o Caboclo da Ponta do MarØ TIRA-TEIMALá na mata eu vi um caçador da JuremaEu vi Seu Tira-TeimaCom seu saiote de penaOi lá na mata da JuremaTenda Caboclo Sete Cachoeiras67
  • 72. 1.540 Pontos Cantados de Umbanda Pontos de LinhaØ 6.Quem manda na mata é OxóssiØ 1.Oxóssi é caçador, Oxóssi é caçadorBota fogo na mata,Ouvi meu Pai assobiar, ele mandou chamarChama, chama que ele vemVem de Aruanda, êEle vem de Aruanda, Vem de Aruanda, áChama, chama que ele vemØ 7.Ø 2.Oh Oh Oh Oh. oh oh..Oh Oh Oh Oh ohohQuem tem santo tem cabocloOxossi gritou, Ogum ouviuAgora que eu quero verUm guerreiro mandouSe o caboclo é confirmado O filho da lei>No Terreiro vai descerOgum ou Oxóssi, Oxóssi ou OgumDe um lado a espada, o bodoque na mãoØ 3.Caboclo de Oxóssi a flecha atirouQuem é o cavaleiroOxalá atendeu e a flecha guiou...Que vem de AruandaÉ Oxóssi em seu cavaloØ 8.Com seu chapéu de banda Caboclo venceu demanda |Quem é este cacique,Para o povo de Umbanda |Glorioso e guerreiroNa ponta de sua flecha |Vem montado em seu cavalo,Quando veio de Aruanda >Vem descer neste terreiro Venceu, caboclo venceuVem de Aruanda, auê | Do fundo da mata virgemVem de Aruanda, auá > Oxalá gritouEsse filho é meu3>Ele é filho do verde, ele é filho da mata |Saravá, Nsa. Senhora, a sua flecha mata > Ø 9.Vem de Aruanda, auê | A coral é sua cinta|Vem de Aruanda, auá.> A jibóia é sua laça>Quizoa, quizoa, quizoa ê |Ø 4.Caboclo mora na mata >Caboclo não tem caminho pra caminhar >Caminha por cima das folhas|Ø 10.Por baixo das folhas, em todo lugar>Caboclo baixou na terra, é cabocloOkê, CabocloLevantou poeira, é caboclo, baixou na terraØ 5.Ø 11.Vestimenta de caboclo é samambaia | Oxóssi mora na raiz da gameleira >É samambaia, é samambaia> Ogum lá na Aruanda |Saia caboclo, não me atrapalha| Pai Xangô, lá na pedreira>Saia do meio da samambaia >68 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 73. OXÓSSIØ 12. Ø 20.Oxóssi mora no tronco da amendoeira É Zambi quem governa o mundoOgum mora na lua e Xangô lá na pedreira É Zambi quem vem governarÉ Zambi que governa a estrelaØ 13. Que clareia Oxóssi lá no JuremáEstava chovendo e relampejandoOkê! Okê! Okê!>Mas mesmo assim o céu estava azul Okê! , meus caboclos, okê!Firma seu ponto na folhas da JuremaQue Oxóssi é dono do aracajúØ 21.Oh viva São SebastiãoØ 14. Nos caminhos que passouOxóssi é rei no céu, Oxóssi é rei na terraSalvar filhos de UmbandaEle não desce do céu sem coroaJesus Cristo é quem mandouE sem a sua missão cá na terraOh viva São SebastiãoØ 15.Viva Oxóssi ê, meu São SebastiãoØ 22.Oxóssi é caboclo morador lá do sertão Xangô na pedreira bradouViva Oxóssi, viva São Sebastião Ogum lá na lua confirmou oh JuremáViva todos os caboclos, Oxóssi na mata é caçadorMorador lá do sertãoØ 23.Ø 16. Oh ele é capitão na marambaia3>Em forma, em formaOh, ele é Seu Oxóssi na urucaiaEm forma Oxóssi Sete OndasNo recinto de Umbanda ele é de leiØ 24.Viva Oxóssi, ele é de lei E o veado figiu e Oxóssi chegou na BahiaSete Ondas reluziu quando Oxóssi surgiu Segura o ponto, mamãe sereia Oh GangaØ 17. Ø 25.O Seu Oxóssi mora lá nas matasOxóssi não há Tatá Nuarou ohOnde pia a cobra, lá na JuremaÉ babá é barebouSeu capacete é de penas de emaOxóssi, vossos filhos ele salvouEle é Oxóssi, capangueiro da Jurema É babá é barebouØ 18. Ø 26.Oxóssi é cassutê de Umbanda Eu já cansei de pedir, senhorÉ na Aruanda! É na Aruanda auêUma choupana pra eu poder morarEle me disse com firmezaØ 19. Precisa ordem de nosso pai OxaláAtira, atira, eu vai atirar!No rei bamba eu vai atirar! Ø 27.Veado no mato é corredorOxóssi vem, vem chegando de AruandaOxóssi na mata é caçadorOxóssi vem, vem salvar filhos de Umbanda Tenda Caboclo Sete Cachoeiras69
  • 74. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ 28. Ø 34.Naquela estrada de areia, Oxóssi quando vem lá de AruandaAonde a lua clareou Trazendo forças pra seus filhos de UmbandaOnde os caboclos pararamEle é caboclo, ele é flecheiro atiradorPara ver a procissão de São Sebastião Na Aruanda todo Oxóssi é caçadorOkê, okê cabocloMeu pai Oxóssi é São SebastiãoØ 35.Oxóssi mora na luaØ 29. Só vem ao mundo para clarearOxóssi assobiou lá no Humaitá Queria ver um OxóssiOgum venceu demanda Para com ele eu falarCompanheiro de OxaláØ 36.Ø 30. Caboclo não tem caminho pra caminhar |Estava na minha praia,Caminha por cima da folha | vi a sereia cantando Por baixo da folha|As ondas do mar chorando, Por todo lugar| Yemanjá, Yemanjá Okê, caboclo >Sou Beira-Mar, Beira-MarCaboclo não tem caminho pra caminharDeixa a sereia cantar Seu caminho está aberto, caboclo pode passarNão deixa as ondas chorar Ele vai girar e vai girarCaboclo filho de UmbandaØ 31. Filho de Oxóssi e OxaláO vento na mata zuniu Quando a lua surgir, ele vai girar >Folha seca balançouSaravá Oxóssi, nossa banda saravá Ø 37.Ele vem com Deus nosso senhor Oxóssi na mata é rei|Oxóssi na mata é>Ø 32. Que passa pelos caminhos|Oxóssi assobiou na mata Sem deixar marca no pé>Ogum bradou no HumaitáCaboclo não desacataFilhos de Umbanda louvaramCaboclo sabem quem éSaravá, Oxóssi, saraváQuem anda dentro da mataSem deixar marca no péØ 33. Oxóssi na mata é rei|Fez barulho na cachoeira, Oxóssi na mata é rei>Sobre a pedra ela rolou Quem passa pelos caminhos |Com sua flecha certeira Sem deixar marca no pé>É Oxóssi que chegou Ele tem flecha e bodoqueEle tem lança e cocarNa mata está o seu reinoE na mata reinará70 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 75. OXÓSSIØ 38.Ø 43.Oxóssi ê ê, Oxóssi ê á Naquela mata tTem sete coqueiros|Oxóssi é rei das matas São sete cobras todas a piar>Onde canta o sabiá Mas eles são|Eu vou pedir licença para Oxóssi Todos os caboclos da Umbanda|Para saravar nas matas da Jurema Sua mironga lá no Juremá>Saravá pai Xangô lá na pedreiraFirma seu ponto, mãe Oxum, na cachoeiraØ 44. Caboclo vem da AruandaØ 39.Caboclo vem trabalharComo é bonito o pisar dos caboclos|Caboclo tem sete penasAndando na mata |Amarradas com caruáNo rastro um do outro >Salve os caboclos, salve Iemanjá|Ø 45.Salve a sereia, rainha do mar >Se és caboclo, se és guerreiro Se és filho de UmbandaØ 40.Pega a pemba, risca o pontoAi não mexa na espada de OgumE vem trabalharAi não mexa no penacho de OxóssiAi não mexa no machado de XangôØ 46.Oxóssi na mata é caçador Oxóssi é o rei da mata, Seu reino é o JuremáØ 41.Oxóssi firma ponto por ordem de OxaláEu vim da mata E quando o sol despontaÓ que mata é a sua?> Passarinhos a cantarÉ de lá e é de cáSaúdam meu Pai OxóssiÉ onde pia a cobra, onde canta o sabiá E o reino de JuremáEu vim da mata, sou da tribo do CajáVim trazer minha falange Ø 47.Pra todos descarregarSoltei a coral no mato Pra caçar meus inimigosØ 42.A coral foi e voltouAuê. auê meus caboclos, auê 4> Ninguém quer brigar comigoCaboclo mora na mataNa beira da Sapucaia Ø 48.Caboclo come folha Os caboclos desceram lá do alto da serra |Se veste de samambaiaE traziam no peito uma cobra coral>Auê, meus caboclos, auê 4> Mas hoje é dia de alegriaSalve Cabocla Jupira No terreiro de UmbandaSalve Cabocla Jurema Saravá meus Caboclos de rondaSaravá seu Sete FlechasSaravá, seu Tira TeimaTenda Caboclo Sete Cachoeiras71
  • 76. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ 49. Ø 55.Vento que vem Caboclo da Mata VirgemOi que vem das matasPlantou raiz nasceu florOlhas as matas quebrandoE os Caboclos chegandoØ 56.Eu deu um tiro, meu pai, na sapucaiaØ 50. Não há caboclo que não ouçaAjoelha caboclo, tu não é judeu E aqui não caiaTu foi batizado pela lei de DeusPadrinho e Madrinha Ø 57.Foi Deus quem te deuOkê caboclo, vem ver a sua aldeia>Meu Ananá, meu Ananá(Nome) vem ver a sua aldeiaTodos os caboclos vêm ver a sua aldeiaØ 51.Caiu uma folha na JuremaØ 58.Veio o sereno e molhouOxossi gira, ele gira na macaia >E depois veio o sol, enxugou, enxugou Gira, gira no meu terreiro|E as matas se abriram toda em florGira, gira na minha banda >Ø 52. Ø 59.Mangueira, mangueiraNo centro da mata eu vi |Mangueira de UmbandaDois nomes gravados num toco de pau >Folhas por folhas Umbanda De uma lado o Seu Rompe Mato|Lá no mato tem UmbandaNo outro o Seu Cobra Coral>Vamos cruzar para salvarNo centro da mata eu vi |Filhos de Umbanda com seu patuá Seu Rompe Mato falava na|língua dos Guaranis >Ø 53.É lá na Jurema que o caboclo luta Ø 60.E vence demanda com Oxossi seu reiAuê, auê, cabocloCom o arco e a flecha e o canto de guerra Auê, auê, eu quero verAtira-se a luta e sai vencedorAuê, auê, cabocloDe joelhos em terra o chefe da triboTrabalha que eu quero verAgradece a vitória a Jesus RedentorØ 61.Ø 54. Ele é caboclo, ele é JuremeiroEu vim da mata, o que mata é a suaQue na Alvorada tem penas carijósÉ de lá do Oricá, aonde pia a cobra Bateia, oi bateiaAonde canta o sabiá Bateia, meu caboclos na aldeiaEu vim da mataBateia, oi bateiaSou da tribo do Guajá Bateia com o vento na areiaEu vim trazer minha falange Bateia, meu caboclos bateiaPara vir descarregarOs caboclos na aldeia e a Sereia na areia72 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 77. OXÓSSIDemanda Ø 5.Ele é caboclo, ele é flecheiroBumba na calungaØ 1.É matador de feiticeiroAi quem cortou meu pé de árvore Bumba na calungaAi não fui eu OxóssiQuando eu vai firmar meu pontoOnde eu passava o meu dia Bumba na calungaAi não fui eu OxóssiEu vai firmar é lá na AngolaQue puderam lhe fazer Bumba na calungaFoi amarrar de pé e mãoAmarrado num tronco de árvoreAi como um cão, cão de verãoAi quem cortou meu pé de árvoreAi não fui eu OxóssiAi foi São Jorge quem mandouAi não fui eu OxóssiE depois de tudo issoAs sete flechas ele alcançouSão Jorge gritou na AruandaFoi seu irmão quem te amarrouØ 2.Rei caçador, rei caçadorRei caçador na beira do caminhoOi não me mate esta coral na estradaEla abandonou sua choupana, caçadorFoi no romper da madrugadaØ 3.Rei caçador, rei caçadorRei caçador na beira do caminhoOi não me mate esta coral na estradaEla já venceu sua demanda, caçadorFoi no romper da madrugadaQue a folha da mangueira ainda não caiuØ 4.O meu São SebastiãoFostes preso e amarradoLivrai-nos dos inimigosQue nos traz acorrentado Tenda Caboclo Sete Cachoeiras 73
  • 78. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaSubidaCaboclas Eu vi chover, eu vi relampearØ 1. Mas mesmo assim o céu estava azulA sua mata é longe Firma seu ponto nas folhas da Jurema |E eles vão embora Que Oxóssi reina de norte a sul>E vão beirando o rio azulAdeus, Caboclos, adeus flecheirosPontos IndividuaisEles vão emboraE vão beirando o rio azulØ JUREMA O Juremê, O JuremáØ 2. Suas folhas caem serenas, ó JuremaCaboclo pega a sua flecha |Dentro deste CongáPega o seu bodoque o galo já cantou >Salve o sol e salve a luaO galo já cantou na Aruanda |Salve São SebastiãoOxalá lhe chama para sua banda>Salve São Jorge Guerreiro Que nos deu a proteçãoØ 3. Ó JuremaNa aldeia de Juremá Ø JUREMAO Caboclo Sete Flechas No centro da mata virgemIluminado por Oxalá Uma linda cabocla eu viCurimbembê, curimbembá| Com seu saiote, feito de penasSete Flechas, um grande Orixá > É a Jurema, filha de Tupi Jurema, Jurema, Jurema Linda cabocla filha de Tupi Ela vem lá do Juremá Vem firmar seu ponto neste congá Ø JUREMA Jurema, Jurema, cabocla ela é| Trabalha com flechas pros filhos de fé > Oxóssi bambaruê, Jurema bambaruá Ø JUREMA Lá nos campos de Jurema| Ouvi tambores tocar> E na mata iluminada| Os passarinhos a cantar> Não sei se era noite Não sei se era dia Só sei que na Jurema era tudo alegria74Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 79. OXÓSSIØ JUREMAØ JUREMABrilhou um clarão no céuChegou Jurema |Ai, ai, ai meu Deus, o que será?No terreiro ela baixou>Onde estarão as caboclas da Jurema |A Cabocla vem sorrindo|Que até agora não apareceram >Demonstrando o seu amor >A Cabocla Jurema está |Ø JUREMAProtegendo esse congá >É o rei da mata virgem |Ela veio de Aruanda |Dá licença que eu venho saravar>Pro terreiro saravar>Cabocla Jurema e os seus caboclosDa mata virgem na fé de Oxalá Ø JUREMAJurema é o seu filho |Lá naquela floresta |Quem lhe chama, Jurema |Tem uma pele morena >Salve o povo da Umbanda>Quando a lua clareia|Pra saravar todo povo da Jurema >Ø JUREMAJurema de Juremá|Onde está a JuremaJurema de Juremá>A Jurema onde estáÉ uma cabocla de penaEstá procurando os capangueiros Vamos todos saravarQue ainda estão no Juremá Ai, quiô, quiô, quiá, quiá>Quem mandou chamarEm nome do Pai OxaláØ JUPIRAFoi seu Oxóssi o caçadorJupira é uma cabocla tão linda|Que já baixou no seu congáQuando vem da mata|Salve todo o povo da Jurema Ela vem sorrindo>Salve a sua luz, seu jacutá Saravá Pemba, saravá nosso Congá|Levando todos os males de seu filhosSaravá mamãe Oxum e nosso Pai Oxalá >Deixando paz e amorNa fé de OxaláØ JANDIRAQuem quer viver sobre a terraØ JUREMAQuem quer viver sobre o marEnfeitei a Cabocla de PenaChama a Cabocla JandiraSoltei na mata para passear Chama a Sereia do MarBotei dois índios para procurar E Jandira e Jurema>Pra ver a força que a Jurema temØ GUARACIRAØ JUREMATupã é o meu reiJandira traz nos cabelos uma rosa Oxóssi é rei tambémJupira traz no peito um jasmimSou filha de Jurema e de Tupi >Jussara é uma linda Cabocla de pena Sou filha de Tupã |Jurema tem pena de mimCabocla Guaracira >Jurema, JuremaJurema tem pena de mim Tenda Caboclo Sete Cachoeiras75
  • 80. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ JANDIRAØ FALANGE DE CABOCLAQuem quiser viver sobre a terraCabocla quando desceQuem quiser viver sobre o marNão vem sozinhaChama a Cabocla JandiraEla traz sua falangeChama as sereias do marPra firmar a sua giraAruê ruê, aruê ruá Gira ê, ê, gira ê, a |Aruê Jandira Salve a falange| Da Cabocla (dar o nome)>Ø IRACEMAIracema cabocla guerreiraCapangueiros da JuremaDona do seu AririDo centro da mata virgem ØComanda a tribo Tupi Arreiam os capangueirosSeu grito ecoou na mataOs capangueiros da Jurema>Sua flecha zuniu no ar Na mata quem manda éIracema cabocla morena Caboclo arriandoDona do seu Ariri ØØ IRACEMAOxalá chamou e já mandou buscarSalta pra aqui Iracema Os caboclos da Jurema no seu JuremáQuem te chama é Tabajara Pai Oxalá, Pai OxaláVem linda como Açucena É o rei do mundo inteiroEntre espinhos da JussaraJá deu ordens pra JuremaCoroa troa nas matas Mandar seus capangueirosEm busca do Pitangui Mandai, mandai, minha cabocla JuremaSalta para aqui IracemaOs seus guerreiros, esta é a ordem supremaQuem te chama é TabajaraVem linda como Açucena ØEntre espinhos da JussaraArreiam os capangueiros Capangueiros da Jurema O mato queimandoØ SETE FLECHEIRA Caboclo arriandoSou cabocla de OxóssiCaboclinha guerreira ØSou Sete Flecheira Pedi a Ogum lá na mataEu venho lá da mataPedi a Xangô na pedreiraCom meu arco e flechaPedi a Mamãe OxumCom ordem de Oxalá Do meio da cachoeiraVem trabalhar, cabocla flecheira|A Zambi eu peço a bençãoVem trabalhar, cabocla guerreira|À Virgem proteçãoVem trabalhar neste congáQue livre seus filhos do mal E afaste da tentação >76Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 81. OXÓSSISubida Pontos de CuruminsØ 1. ØMas eles vão emboraPronto, cheguei!|Pra cidade da Jurema Eu venho da beira do mar >Oxalá está lhe chamandoAtirando minha flecha, auêPra cidade da Jurema Toda a tribo vai chegar, auê, auê, auê, auêEles vão ser coroadosA ordem Deus é quem dáNa cidade da JuremaEu sou, eu sou, Caboclinho do Mar>Com a coroa de Arerê Pronto, cheguei!|Na cidade da JuremaCaboclinho é de Yemanjá> Atirando minha flecha, auêØ 2. Toda a tribo vai chegar, auê, auê, auêTroncos verdes da Jurema A ordem Deus é quem dáAonde meu pai Oxóssi moraEu sou, eu sou a estrela do mar 4>Aonde Jesus passou e disse amémNossos caboclos vão embora Ø Eu me perdi, Oxóssi me achouØ 3. Oxóssi não é caça, Oxóssi é caçadorCaboclo pega sua flecha|Pega seu bodoque o galo já cantou> ØO galo já cantou em Aruanda| Oi, tava na mata, tava na mataOxalá lhe chama para sua banda > Tava bem escondidinho Tava na mata, tava na mataØ 4. Caçando meu passarinhoCaboclo pega sua flecha|Pega seu bodoque o galo já cantou> Ø TUPÃZINHO Tupã, olha é TupãzinhoÉ Zambi que está lhe chamando| Que desce lá do céuPois chegou a hora e Oxalá mandou> Trazendo a luz dos Orixás Pra dentro desse CongáØ 5.A sua mata é longe e eles vão emboraE vão beirando o rio azulAdeus caboclos, adeus flecheirosEles vão emboraE vão beirando o rio azulTenda Caboclo Sete Cachoeiras77
  • 82. 1.540 Pontos Cantados de Umbanda78Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 83. PRETOS VELHOSAberturaØ PAI JOÃONa Angola tem um velhoChora meu cativeiro,| Que caminha devagarMeu cativeiro, meu cativerá > Chama Pai João, vamos trabalharChama Pai João, vamos saravarPreto Velho que veio da CostaVeio do Congo, Luanda e Guiné Ø PAI JOAQUIM D’ANGOLAPreto Velho de Nossa Senhora, Firma ponto minha genteVem no terreiro olhar filho de fé Preto Velho vai chegarChora meu cativeiro,| Ele vem de AruandaMeu cativeiro, meu cativerá > Ele vem pra trabalharPreto Velho que gira na AngolaSaravá o Pai JoaquimGira no Gege, Bantu e NagôSaravá, saravá, saraváPreto Velho de Nossa SenhoraEle chegou no terreiroFilho de Zambi ele é meu protetor Ele vem nos ajudarChora meu cativeiro,| Ø PAI JOAQUIM D ‘ANGOLAMeu cativeiro, meu cativerá > Na aroeira de São BeneditoPreto Velho aqui na terra Santo Antônio mandou me chamarTrabalhou, tanto trabalhouPai Joaquim ê, ê, Pai Joaquim ê, áAté que um dia, lá na Aruanda Pai Joaquim veio de AngolaNossa Senhora o abençoouPai Joaquim vem de Angola, AngoláØNego está molhado de suor Ø PAI AMBRÓSIOEstá feliz porque Deus o libertou Chegou Pai Ambrósio, chegouPara salvar os filhos de féOi sinhá, sinhá Na Umbanda só se vence por amor|Segura chibata, não deixa bater E ele vem na linha do Senhor >Faz uma prece pra nego morrerNego não quer mais sofrer Ø TIO ANTÔNIOPedi licença à Mamãe OxumPontos IndividuaisPedi licença à Papai OxaláPedi licença ao Sr. do BonfimØ PAI JOÃOPra Tio Antônio vir trabalharNo clarão da noite, no romper do dia| Quem vem lá é de pazChama Pai João, chama a Mãe Maria > Quem vai chegar no CongáPra me defender da feitiçaria É um baiano formosoSaravá o Pai João, saravá a Mãe Maria É Tio Antônio que vem trabalharSaravá povo de UmbandaSaravá a estrela guia Tenda Caboclo Sete Cachoeiras 79
  • 84. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ PAI JEREMIAS Ø PAI LOURENÇO DE GUINÉCanoeiro, canoeiro, o que traz nessa canoa Preto Velho vemTrago pemba, trago guiaCom a folha verde na mãoJeremias vem na proa Vem benzendo os seus filhosCanoeiro, canoeiro, o que traz nessa canoa Saravando seus irmãosTrago pemba, trago guiaPai Lourenço é Preto VelhoE o rosário de Maria Vem trazendo o seu axé Vem benzendo os seus filhosØ PAI CHICO DA LUZ Com a folha de guinéAinda bem já era diaOxalá mandou chamarØ PAI SERAFIMFirma a cabeça, meu filhoPai Serafim vem no meio das flores, |Que tem Preto pra chegar Olhando o céu, beirando o mar > Mas ele é Preto Velho de Umbanda|Ø ZÉ PILINTRAQue vem de Aruanda para nos salvar>Seu Zé Pilintra não teve paiSeu Zé Pilintra não teve mãe Ø PAI SERAFIMEle foi criado por Ogum Beira MarKenguelê, kenguelê, Xangô |Na fé de Zambi e de todos os OrixásEle é filho da Cobra Coral> Olha o Preto está trabalhando |Ø PAI JOÃO E o branco não está, está olhando >Pai João na capoeiraEntoava cantos nos tempos de Zambi Ø PAI BENEDITOFoi escravo na fazenda Pai Benedito veio de Angola |Mão e pé dos senhores na casa grande Pai Benedito veio de lá >Negro é bicho não é homemFirma a cabeça pra Pai BeneditoQuando o couro come fica sossegado Vir trabalhar neste CongáLua cheia noite claraØ ZÉ DO PITONegro na senzala Meu pito tá apagado |Vira então danadoMinha marafa acabou |Pai João sentado em toco, cachimbo, marafo Vou trabalhar pra suncê |Velho curandeiro Porque sou trabalhador>Nos sobrados nos terreirosConheceu o mais cruel dos cativeiros Eu vou trabalhar|Conta do amor de CatarinaSuncê vai ganhar|Pelo valente negro MateusMuito bangô, meu filho|Sabe o quanto a dor magoaE depois vem me pagar >Mesmo assim perdoa todos seus filhosPai João então se cala Ø PAI JOAQUIM DE BENGUELALimpa uma lágrimaPai Joaquim ê, êEstende a mãoPai Joaquim ê, áBate asas como um pássaro |Pai Joaquim veio de BenguelaDesapareceu na escuridão Pai Joaquim vai trabalhar80Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 85. PRETOS VELHOSØ PAI TOMÁS Ø PAI FRANCISCOOh! Pai Tomás. Oh! Pai TomásHoje é dia de gira de PretoVem no terreiro, vem trabalharPai Francisco vamos chamarFilho de Zambi, ele é filho de OxaláHoje é dia de gira de PretoOh! Pai Tomás. Oh! Pai TomásPai Francisco vai chegarVem no terreiro, vem trabalharPai Francisco é de CongoSua falange tem licença de OxaláEle é filho de YemanjáEle vem nesse terreiroØ PAI LUIZ DE XANGÔ Ensinar filho a rezarKaô, Kaô, Xangô|Kaô, Kaô, Xangô me chamou>Ø PAI ANDRÉOlha o nego arriou no terreiro, kaô Com flores brancasKaô Cabecile, ele é meu protetorMinhas almas vou louvarKaô, kaô, Xangô|Com seu perfume tambémKaô, kaô, Xangô me chamou>Vou me perfumarSalve a linha de QuequelêPai Luiz de Aruanda Mamãe Oxum ilumina a minha féEle vem me valerVem de Aruanda, vem chegando Pai André >Pai André é de GuinéØ PAI JOAQUIM DE XANGÔXangô chamou Pai Joaquim lá na Pedreira Ø PAI TIBÚRCIOVeio de longe Pai Joaquim Preto velho Pai Tibúrcio |Trabalhar na cachoeiraNos ajuda a caminhar |Xangô chamou Pai Joaquim lá na pedreira Nesta estrada tão longa|Pai Joaquim chama seus filhos Ele vem nos ensinar>Pra benzer na cachoeira Que nosso Pai OxaláTraga amor e caridadeØ PAI JOAQUIM DE XANGÔÀs crianças de esperançaXangô está no alto da pedreira |Ao senhor a eternidadeE Pai Joaquim, guarda a cachoeira>Águas limpas, cristalinas|Ø PAI JOSÉ DA PRAIACorrem pro rio |Pai José da Praia vem|Onde Oxalá se batizou>Vem aqui nos ajudar>Preto Velho Pai Joaquim Pai José da Praia vem|É filho de XangôVem aqui neste congá >É guardião da cachoeira Ele vem nos ensinarE do rio que Oxalá se batizou As palavras de YemanjáÁguas limpas, cristalinasCorrem pro rioOnde Oxalá se batizouNa pedreira, junto da cachoeira|Preto velho abençoou > Tenda Caboclo Sete Cachoeiras 81
  • 86. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ PAI JOAQUIM DA COSTA Ø REI CONGOSaravá, saravá, saravá Sou Rei do CongoChega pra lá mandingueiroSou rei da magiaPai Joaquim nasceu lá na costa Sua terra é muito longeLá na costa ele foi batizado Seu congá é na BahiaPai Joaquim quando risca seu pontoDesmancha feitiço malvadoØ PAI MALAQUIASSaravá, saravá, saravá Ele veio lá de AruandaChega pra lá mandingueiroCom a luz da estrela guiaPai Joaquim veio lá da costa Saudar filhos de UmbandaJá chegou no nosso terreiroEle é Pai MalaquiasEle vem pra nos afastarNas suas mãos raios de luzDa mira do feiticeiroNo coração traz a sua guia A Oxalá pede pra abençoarØ REI CONGOO preto velho Pai MalaquiasCongo, rei Congo, Congo chegou Com arruda e guiné|Congo é maravilha no terreiro trabalhou. Reza os filhos que tem fé | Preto velho veio trabalhar|Ø REI CONGOE este congá abençoar >Um lindo sol apareceuE preto velho já está trabalhandoØ PAI TIÃONavegando, remando Nasce o sol bem de mansinhoTrabalhando e pescando > E Pai Tião está a apreciarFilho de Congo Caminhando a beira do marFilho do Velho Veio saudar IemanjáNão reme contra a maré Quem é do Congo |Siga em frente Congo aruê|Com muita fé Firma na areia|Navegando, remando Que eu quero ver>E vento soprando > Preto velho veio trabalhar E na praia gosta de morarØ REI CONGOVive aqui no seu cantinhoArriou na linha do Congo,Com seu barco pra pescarÉ Congo, é Congo aruêQuem é do Congo |Arriou na linha de Congo,Congo aruê|Agora que eu quero ver Firma na areia| Que eu quero ver>Ø REI CONGOPai Tião gosta do marCongo, rei Congo é maravilha E aqui vem meditarÉ Congo é congo aruê SaraváSua grande devoçãoOlha os congo estão chegando aruêÉ a Senhora da Conceiçãoaruê saravá> Quem é do Congo...>82Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 87. PRETOS VELHOSØ PAI JOSIAS Ø PAI CIPRIANO QUIMBANDEIROOi salve DeusSua Quimbanda tem ponto firmeSalve os pretos de Aruanda O seu ponteiro não erraPai Josias chegouPai Cipriano QuimbandeiroNo terreiro de Umbanda Protegei-nos nesta terraØ MESTRE CIPRIANOØ PAI CIPRIANO QUIMBANDEIROMestre Cipriano vai chegar agora | Com um belo galo pretoNo navio negreiro| E linda fita encarnadaCom escravos de Angola>Cipriano QuimbandeiroVeio com bantus, congos e guinés Vai fazer sua arriadaTrazer à Umbanda a capoeira a quem tem fé Ø PAI BENEDITOØ PAI CIPRIANO DAS ALMAS Quem é aquele velhinhoPai Cipriano chegou no reino Que vem no caminho andando devagarMeu Deus, que maravilhaCom seu cachimbo na bocaQuando Pai Cipriano chegaPitando a fumaça e soltando pro arVem pra salvar as suas filhasEle é do cativeiro | É Pai Benedito ele é mirongueiro >Ø PAI CIPRIANO DAS ALMASFeitiço, mandinga, quebranto Ø PAI TOMÉSó ele sabe rezarMãe Maria, cadê Pai ToméSua bengala e seu cachimbo Foi pro mato buscar guinéServem para trabalharPai Tomé, quando voltarPai Cipriano das Almas Peça pra ele me benzerÉ um velho mandingueiroQuando chega na UmbandaØ PAI BERNARDOEncruza todo o terreiroCom sua pemba, com sua guia | Pai Bernardo vem>Ele é velho rezadorEle vem do Congo, vem, vem,Com seu patuá de valia Vem de Mujongo, vem, vem|Por Deus e Nossa Senhora Ele vem tirar |Nos tira da agonia Toda a mandinga que o filho tem > Pai Bernardo vemØ PAI CIPRIANO QUIMBANDEIROPai Cipriano é de CongoØ PAI GUINÉÉ um grande curandeiro É o vento que balança a folha Guiné |Com rezas e mesinhas É o vento que balança a folha >Saravá Cipriano Quimbandeiro É, é, é Pai Guiné,| É o vento que balança a folha.>Tenda Caboclo Sete Cachoeiras83
  • 88. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ PAI JACINTO Ø PAI BENEDITO DAS ALMASQuem vem de longe é Pai Jacinto de Angola>Minhas almas santasOs seus cabelos brancos e encaracolados Valei-me Nossa SenhoraTem a brancura da pureza e da alegria Pai Benedito das AlmasSão abençoados pelo filho de Maria >Valei-me em todas as horasØ PAI JOAQUIM DE XANGÔØ PAI BENEDITO DAS ALMASXangô, chamou > Pai Benedito é Preto-Velho CalungaMora lá no roseiralPai Joaquim lá na pedreiraPreto-Velho rezador na calungaVeio de longe, Pai JoaquimChefe de CongáTrabalhar na cachoeiraØ PAI BENEDITO DO CRUZEIROXangô chamou> Meu Deus, que barulho é essePai Joaquim lá na pedreiraNo morro do QuequelêPai Joaquim chama seus filhos Pai Benedito do CruzeiroPra benzer na cachoeira Por Deus, venha me valerØ PAI MANECOØ PAI BENEDITO DO CRUZEIROEle é Preto Velho, Preto sim senhor Quando ele vemEle é Pai Maneco, meus filhos Vem louvando a JesusNego rezadorVem dizendo que seu paiEle tem chicote não pra revidar Que seu pai morreu na cruzEle aponta uma estrela, meus filhos Ele vem do tempo do cativeiroNo reino de Yemanjá Ele é Pai Benedito do CruzeiroEle vem na Umbanda saravarØ PAI MANECO FEITICEIRO Porque tem permissão de OxaláManeco chama feitiçoQuem faz feitiço é feiticeiro Ø PAI BENEDITO DO CRUZEIRODe Aruanda vem ordem do Velho Cambinda chamou seu irmãoQuem manda é o velho faceiroPara vir lhe ajudarFeiticeiro pega o patuá Benedito do CruzeiroMandinga e suas ervas Também ele foi chamarE no Terreiro vem dançarTrês velhos trabalham juntosBate o pé, levanta a poeira Para a nossa salvaçãoE queima coisa ruim Valei-nos meus Pretos-VelhosSalve o feitiço do Velho Feiticeiro Valei-nos meus bons irmãosØ PAI BENEDITO DAS ALMASØ PAI BENEDITO DE ARUANDANas almas tem um velho mandingueiro > Benedito já chegou, já chegou lá de AruandaEle é Pai Benedito já chegou nesse terreiro > Ele veio ajudar a salvar filhos de UmbandaOi salve o guia! Oi salve o guia! Benedito já chegou, veio a mando de JesusOi salve o guia Pai Benedito das AlmasPara ajudar os seus filhos a carregar a sua cruz84Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 89. PRETOS VELHOSØ ZÉ DO PITOØ PAI JOAQUIM DE ANGOLAMeu pito tá apagado>Já preparei meu pandeiroMinha marafa acabou|Já peguei minha violaVou trabalhar pra suncê|Agora vou pro terreiroPorque sou trabalhador |Saravar com Pai Joaquim de AngolaEu vou trabalhar >Ô dim, dim, dim, dimSuncê vai ganhar |Vamos saravar Pai JoaquimMuito Bango, meu filho |Ø PAI JOAQUIM D’ANGOLAE depois vem me pagar>O rosário do Pai JoaquimTem mironga pra vencerØ TIO TONHO DA ANGOLA Tem dendê, meu zi fioMeu senhor da casa grande Oi tem dendê>Não me bata, por favorNão me amarre no seu tronco A bengala do Pai JoaquimMe conceda o seu perdão Tem mironga pra vencerTrago a minha força armadaTem dendê, meu zi fioLuz, amor e gratidãoOi tem dendê>Sou Tio Tonho de Angola Ø PAI JOSÉ DE ANGOLAQue chegou nesse CongáPai José, cadê Pai Mané?Sou Tio Tonho de Angola Tá no mato apanhando guinéQue veio pra trabalharDiga a ele que quando vierQue suba as escadas sem bater o péØ PAI MANOEL DE ANGOLAPai Manoel tomai conta de filhosØ PAI JOSÉ DE ANGOLATira areia do fundo do marEle é Pai José, vem lá de AngolaEu vi Pai Manoel de AngolaCom seu patuá, com a sua sacolaEu vi a sereia do mar A fumaça vem, a fumaça vaiPai José de Angola tem mironga, temØ PAI JOAQUIM DE ANGOLADeixei meu cachimbo no toco Ø PAI JOSÉ DE ANGOLAMnadei o moreque buscáPai José veio de AngolaNa hora da derrubadaVeio de Angola, AngoláMeu cachimbo ficou lá Quando chegou no terreiroEncruzou seu jacutáPai Joaquim sentou no tocoFez o Sinal da Cruz Ø PAI JOSÉ DE ANGOLAPediu proteção à ZambiEle vive no meio das floresPara os filhos de Jesus Beijando a luaCada conta de seu rosário No fundo do marÉ um filho que aqui estáOh meu pai, que é Pai JoséSe não fosse o Pai JoaquimQue veio de AngolaEu não sabia caminhar Oi que vem saravar Tenda Caboclo Sete Cachoeiras85
  • 90. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ PAI JOÃO DE ANGOLAØ PAI ANTÔNIOQuando ele vem nesta bandaOi dai-me forças Jesus de NazaréVem na Umbanda saravar CongáOi dai-me forças pra mim vir trabalharOi saravá Pai João de AngolaDizem que a Umbanda tem mirongaQue a seus filhos de pembaTem mironga, Pai Antônio tem congáEle vem abençoarØ PAI ANTÔNIOØ PAI JOSÉ DE ANGOLATira o cipó do caminho, criançaQuem quiser ver, que veja auê Deixa o vovô passarQuem quiser ver, que veja auá Pai Antônio que vem de AngolaEu é preto feiticeiro, eu chegô pra trabaiá Para trabalharEu é filho de AngolaO meu pai é de GuinéØ PAI TOMÁZMinha mãe é de CarangolaEle é preto é>Eu me chamo Pai JoséÉ neto de Pai Joaquim,Sobrinho de Pai JoséØ PAI JOÃO DE ANGOLAQuando ele vem nesta bandaEle veio da Bahia, ele veio de AruandaVem na Umbanda saravá o Congá Ele é Pai Tomáz, vencedor de demandasOi saravá Pai João de AngolaEle veio da Bahia, a mironga ele fazQue a seus filhos de pembaÉ irmão de Pai Tomé, saravá nosso PaiEle vem abençoarTomázØ PAI ANTÔNIODá licença Pai AntônioQue eu não vim lhe visitarEu estou muito doenteVim pra você me curarSe a doença for feitiçoBulalá em seu congáSe a doença for de Deus aiPai Antônio vai curarCoitado de Pai AntônioPreto Velho curandôFoi parar na detenção aiPor não ter um defensorPai Antônio é quimbanda, é curandôPai Antônio é quimbanda, é curandôÉ pai de mesa, é curandôÉ pai de mesa, é curandôPai Antônio é quimbanda, é curandôPai Antônio é quimbanda, é curandô86 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 91. PRETOS VELHOSPontos de Linha Ø 5.Olêlê, meu Deus do céu, que alegriaØ 1.O Preto-Velho não carrega soberbiaPreto-Velho está cansadoMeu Deus isso aqui eu preferiade tanto caminhar A estrela Dalva no ponto do meio-diaPreto-Velho está cansadode tanto trabalharEu vou plantar nesse quintal pé de pinheiro |Para mostrar como se quebra macumbeiro >Firma o ponto no terreiro Olêlê, meu Deus do céu, que alegriaQue é longa a caminhada O Preto-Velho não carrega soberbia...Quem tem fé tem tudoPega o penacho bota abaixo na campanha|Quem não tem fé não tem nadaNesse terreiro galo velho não apanha >Ø 2.Ainda bem que era dia Ø 6.Papai mandou chamar Na Bahia tem eu vou mandar buscarFirma a cabeça, meus filhos Lampião de vidro oi ‘sa dona, para clarearQue tem Preto pra chegarØ 7.Ø 3.É preto, é pretoTizorerê, orerê, orará >É no meu congáOs Pretos Velhos quando vem pra trabalhar É preto, é pretoVem trazendo a sua gente para todo o mal levarOra vamos saraváAgô, agô, vem saravar filhos de UmbandaAgô, agô, vem saravar nesse Conga Ø 8.Saravá eles como chefes de terreiro Preto Velho que coisa é essa|Saravá eles com todos seus companheiros Que me deixa o corpo mole >Ø 4.É mironga de terreiro,O Preto Velho, no tempo do cativeiroPreto Velho vai tirarTrabalhava o dia inteiro, na senzala a matuscar Vai fazer reza bem forteUma maneira de domingo ir no terreiro Pra mandinga afastarCom arruda e guiné saravar seu OrixáPreto Velho que coisa é essa|Ajuda eu, Preto Velho, ajuda eu a rezar Que me deixa o corpo mole >Ajuda eu, atabaque, ajuda eu a girar.Parece que é coisa feita,Hoje o Preto quando desce no terreiro Preto Velho vai tirarVem saravando os seus filhosMas não fique assustadoCom licença de OxaláDeste mal vou lhe livrarVem ensinando humildade e caridadeE depois você vai embora,E a todos que tem fé um jeito de se salvarVai pra casa descansarAjuda eu, Preto Velho, ajuda eu a rezar E depois que passar o tempo,Ajuda eu, atabaque, ajuda eu a girar. Volte aqui me visitarTenda Caboclo Sete Cachoeiras 87
  • 92. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ 9.Ø 14.Ai meu tempo, faz tanto tempo Que navio é aquele que vem lá do marQue meu tempo não volta maisO navio é dos pretos que vêm trabalharQuando negro de Aruanda Em alto mar o navio balanceouCantavam todos iguais Salve todos os Pretos-VelhosFaz tanto tempo Que no reino já chegouNa cachanga de AruandaA Conceição ia provaØ 15.Aladaee êê, aladaê ê aPretos-Velhos na senzala padeceu, padeceu!Preto Velho ficava sentadoPreto-Velho não choravaNo batente do velho portãoSó dizia: ai meu Deus!Preto Velho com sua viola Ai meu Deus, ai meu Deus!>Preto Velho com seu violãoØ 16.Lá na festa da ConceiçãoNa linha de Umbanda tem dendêTodo mundo pedia e imploravaTem força divina de OrixáO menino pegava a viola Na linha de Umbanda eu quero verPreto Velho então cantarolava Esse filho de pemba balançarAi meu tempo, faz tanto tempoQue meu tempo não volta maisBalança filho na força desse Congá >O menino pegava a viola Que ver vovô descerPreto Velho então cantarolava Quero ver vovô chegarØ 10. Ø 17.Mexe na cumbuca, repenica no CongáAbre a engira, risca pontoChama nosso povo e vamos trabalharAcende a vela, cachimbo pitô,Ø 11. Canta curimba: Preto-Velho chegôPreto-Velho quando vemChama filho que começa a pedirVem beirando a beira marPreto-Velho escuta triste história de dóBota a canga no serenoCanta curimba: Preto-Velho chegôE deixe a canga serenar Pita cachimbo, segura pemba, seu dotôCanta curimba: Preto-Velho chegôØ 12. Pitando cachimbo, enxuga as lágrimasPreto-Velho tem muita mironga Suaviza a dôXangô nas pedreiras mandou lhe chamar Canta curimba: Preto-Velho chegôQuero ver Preto-Velho descerSem seu cavalo balancearØ 18.Preto-Velho batia zabumbaØ 13. Preto-Velho batia tamborPreto chegou no reino Preto-Velho riscava seu pontoOlha Preto já chegouBatia cabeça pra meu pai XangôPreto é filho de pembaNosso Senhor é quem mandou88 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 93. PRETOS VELHOSØ 19. Ø 24.Lá no céu eu vi uma estrela correrAcorda! AcordaLá na pedreira vi as pedras rolar Quem está dormindo, acorda!E os Pretos-Velhos sentadinhos na areia Estás dormindo na porta deste CongáQuando a sereia começou a cantarolarQuem tem inimigo não dormeE no seu canto ela sempre dizia Acorda pra corimáEu só queria ter asas para voar Vem firmar ponto pra Ogum e OxaláPra ir ao céu buscar a estrela que brilha Estás dormindo em vez de trabalharE os Pretos-Velhos pra enfeitar nosso Congá Quem tem inimigo não dormeAcorda pra vigiarØ 20.No cruzeiro das Santas AlmasØ 25.Eu vi um velhinho rezar As almas têm, as almas dá,Na mão trazia sua bengala de guinéAs almas dá pra quem sabe aproveitarNa outra mão trazia seu patuá Olha lá meu irmão,As almas não enganam ninguémØ 21. Olha lá meu irmão, adorei as almasSeu doutorzinho quer que chame de doutorOlha lá meu irmão, as almas vêm trabalharÉ desaforo, cativeiro já acabou Olha lá meu irmão, vêm na fé de OxaláBranco sabe ler, branco sabe escreverMas não sabe dia em que morre Ø 26.O Preto é quem vai dizerCajueiro bento aonde nasceu JesusMinha Virgem ImaculadaØ 22. Chora nos pés da cruzEstava na beira da praiaAbre a porta do céu, São PedroLá no céu deu um clarão Deixa as almas trabalharA ordem era de AruandaMinha Virgem ImaculadaLivrando preto da escravidãoChora nos pés da cruzFoi de Oxalá a ordem supremaØ 27.Mão Yemanjá quem mandou Bum, bum, bumMeu pai Xangô escreveu lá na pedreira Bateram na porta do céuPai Ogum cumpriu a ordem, Bum, bum, bumPai Oxóssi confirmouSão Pedro abriu pra ver quem éHoje eu tenho alegria 3>Mas eram as almas, oh Velha CongaPreto-Velho hoje é sinhôQue se pesavam na balança de São MiguelØ 23.Seu cachimbo está no toco Ø 28.Manda moleque buscarEle é Preto-Velho e anda todo de bandaE no sertão da mata virgemNo cachimbo dele é que tem mirongaSeu cachimbo ficou láTenda Caboclo Sete Cachoeiras89
  • 94. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ 29. Ø 36.Arreia Pedro com sua falangeA fé que eu tenho no meu Orixá |Nossa Senhora Hoje está no terreiro pra me ajudar|Carregando sua bandeira Saravá, saravá, saravá >O Preto Velho não pode chorar>Ø 30. Vencedor de batalha, não pode tombar |Ele é zi Preto, velho e cansado Saravá, saravá, saravá >Que passa os dias a trabalharMas quando pensa que está de folgaØ 37.Tem os seus filhos pra ajudar ha ha ha ha A lua lá no céu surgiuE clareou os caminhos de UmbandaØ 31. Aqui na terra filho de pemba é guerreiroSe eu não fosse filho de pembaPreto Velho surgiuSão Cipriano não vinha cá Como é linda a sua bandaAruê aruê São Cipriano mandou me chamar A estrela lá no céu brilhouAruê aruá filho de pemba não pode tombarE clareou os caminhos de UmbandaE lá na terra filho de pemba pediu |Ø 32. Preto Velho ouviu|Na linha de Pretos-Velhos Como é linda a nossa Umbanda >Ninguém pode atravessarOi segura a pemba ê ê Ø 38.Oi segura a pemba ê á A estrela lá no céu brilhouOi segura a pemba ê ê E clareou os caminhos de UmbandaOi segura a pemba no CongáE lá na terra, filho de pemba pediuPreto Velho ouviuØ 33. Como é linda a nossa UmbandaEu estava no terreiroVendo os Pretos-Velhos trabalharØ 39.Cada volta que eles davam É Preto, é Preto oh CambindaEles cruzavam meu Congá Todo mundo é Preto oh CambindaEm terra de Pretooh CambindaØ 34. Eu também sou Pretooh CambindaEle vem de longe, sem conhecer ninguémVeio colher as rosas que na roseira tem Ø 40.Eu choro meu cativeiro >Ø 35. Meu cativeiro, meu cativerá|Oh salve os santos da Bahia No tempo da escravidãoOh salve a mesa de XangôPreto Velho sempre trabalhouJunto com seu patuá Sentado em sua senzalaNão há mesa na BahiaBatia tambor, saravá Pai Xangô >Que não tenha vatapáNão há santo bem seguroQue não tenha patuá90 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 95. PRETOS VELHOSØ 41. Ø 47.O Preto Velho que nasceu no cativeiro Zum, zum, bateu na porta,Hoje desce no terreiroSaravá vou ver quem éDe cachimbo e pé no chãoÉ o povo de AruandaPega na pemba, risca ponto e faz mirongaE a falange de GuinéSaravá, Maria Congá, saravá, meu Pai JoãoØ 48.Ø 42. Pisa na linha de Congo, meu filho, filho meuQuem é aquele velhinhoPisa na linha de Congo devagar, filho meuQue vem no caminho andando devagarPisa na linha de Congo, destemido filho meuCom seu cachimbo na bocaPai Congo trabalha na UmbandaPitando a fumaça e soltando pro arPara caminhar olha Congá girarEle é do cativeiroEle é Preto Velho, ele é mirongueiroØ 49.Na fazenda de Santa RitaØ 43. Nego duro de se acordarSanto Antônio, que santo é aquele Não trabalha porque não querQue vem no andorTem cavalo pra arriarÉ São Benedito coberto de flor>Ø 50.Ø 44. Bate tambor lá na Angola |Tira o cipó do caminho, oh criançaBate tambor3>Deixa esse velho passar Pai Maneco Bate tamborÉ Preto Velho Pai José Bate tamborQue vem de Aruanda para trabalhar Pai JoaquimBate tamborBate tambor lá na AngolaØ 45. Bate tambor>Oi que brilha no céu, é lua novaMas que tem lá céu, é lua novaØ 51.E esse nego que veio de AruandaØ 46. No terreiro de UmbandaToda segunda-feira tem feitiço na ladeira > Ele vem pra trabalharAs velas queimando no asfalto E olha o passo da girafa o nego dáChorando alto, chorando altoE olha o jeito desse nego trabalharMendigo sentado no asfaltoE olha o passo da girafa o nego dáCheirando álcool, cheirando álcoolE esse nego já foi dono de congáOs carros passando no asfalto Lá nas matas tem as folhas da Jurema >Buzinam alto, buzinam altoBandido correndo no asfalto Ø 52.Foi um assalto, foi um assaltoÉ preto, é preto, oi CambindaPatrão padroeiro das almasNa terra de preto, oi CambindaBendito seja o rosárioEu também sou preto, oi CambindaPatrão padroeiro das almasNa terra de preto, oi CambindaNós cumprimos nosso horárioTenda Caboclo Sete Cachoeiras91
  • 96. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ 53. Ø 57.Eu cheguei no terreiroEiê, eiê, eiê, eiê, eiêRisquei o meu ponto Oi, eiê, eiê, eiê, eiá|Quem é o primeiro?O jongo é bom de lasca|Eu cheguei no terreirono terreiro de dona Sinhá >Risquei minha pemba Preto Velho baixa na terraQuem é o primeiro?Faz coisas de admirarO primeiro é aquele Planta um pé de bananaQue está lá no cantoNa mesma hora ela dáCom cara de prantoO tronco solta o cachoQué falar com o homem > Se vê amadurecerVenha cá mizi filho Preto Velho tira a bananaJogaram feitiço em suncêE dá pra todos comerAgora vá lá na encruzaIsto que quero ver|Acenda uma vela com fita amarelaPai de Santo que saiba fazer>Farofa e dendê, que eu vai te protegerQue eu vai te protegerØ 58.Eu vai te proteger, mas peça maleimeOiê, Senhor MacutaMeu filho de fé OiêSenhor MacutáConfia em mim, eu sou Embaé > Ele vem de AngolaSenhor MacutáChegou agora,Senhor MacutáØ 54. Com a mão na pembaNão vou plantar café de meiaAlcançou vitória,Senhor Macutá.Eu vou plantar canavialCafé de meia não dá lucro Sinhá donaØ 59.Canavial, marafo dá Quem vem descendoAmarra o boi, Preto Velho | Aquela estrada tão compridaNa porteira do congá> São os Pretos VelhosØ 55. Eles desceram pra ajudarPreto Velho quando vem da Aruanda Os filhos que caíramVem com Deus e a Virgem Maria E não podem levantarSaravá o povo de Aruanda lSaravá o povo da Bahia> Ø 60.Nas matas tem folhas eØ 56. Tem rosário de Nossa SenhoraÔ meu São Benedito| Tem arueira de São BeneditoNa coroa de Zambi tem congá > Os Pretos VelhosSeu carreteiro toca o carro devagar Que nos valham nessa horaQue senão o carro viraE o carreteiro passa malSou Preto Velho e não gosto de lambança |Curo moço, curo velho e também curo criança >92 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 97. PRETOS VELHOSØ 61.Ø 64.Corisco o céu rasgou Negro carreiroO chão do terreiro brilhou Toque o carro devagarCom a sua cruz e o seu machado Cuidado que o carro viraO Preto Velho, sua presença marcou E o carreiro passa marXangô, Deus do céuNo Preto sua voz ecoou Ø 65.Xangô, Justiceiro e humildeSaravá, saravá, saraváSua falange ilumineEsse filho de pemba Que fica de pé no congáØ 62.Saravá, saravá, OxaláChora meu cativeiro,|Ele é pai de cabeçaMeu cativeiro, meu cativerá >E não deixa seus filhos tombarNo tempo do cativeiro, Lua, oh, luaQuando o senhor me batia,Ilumina o terreiroEu rezava pra nossa senhora, meu Deus, Que o Preto Velho chegouComo a pancada doía. Lua, oh, luaChora meu cativeiro,|Já deu meia noiteMeu cativeiro, meu cativerá >Meu galo de pemba cantouO branco batia no negroDe tarde, de noite, de diaE o negro amarrado no troncoChorava e rezava pra virgem MariaChora meu cativeiro,|Meu cativeiro, meu cativerá >A lágrima é branca do brancoÉ branca do negro tambémSe o sangue do negro é vermelhoDo branco é vermelho, de Cristo étambémØ 63.O galo bateu asas e cantou|Na hora em que o Preto-Velho chegou >Se o galo não cantasseMuita gente não sabiaPreto Velho aqui chegavaAntes de raiar o diaTenda Caboclo Sete Cachoeiras 93
  • 98. 1.540 Pontos Cantados de Umbanda DemandaSubidaØ 1. PAI JOAQUIM D’ANGOLAØ 1.Preto Velho quando trabalhaE vai Preto Velho subindo pro céuUsa as folhas da arruda e guinéE nossa Senhora cobrindo com véuLeva os males pra AruandaSalva seus filhos de féØ 2.Pisa aqui nesse terreiro Eu lhe dei boa noite ‘sa donaVem trabalhar velho curadorBoa noite ele já deu ô ‘sa donaDerruba demanda de macumbeiroMostra o caminho do amor Ø 3. Preto-Velho vai se emboraPega o pito, risca seu ponto A saudade no meu peito vai ficarAcende a vela, lança ponteiroEle vai pra sua AruandaCura doença de qualquer filhoSaravá filhos de Umbanda|Com Oxalá que é seu protetor Quem chamou foi OxaláØ 2. Ø 4.Lá no cruzeiro O galo vai cantarTem fita preta e amarela Quando chegar a horaQuem não acredita nas almasPai João vai pra AruandaEu acho bom não mexer nelasVai de volta na auroraØ 3. Ele vai deixarLá no cruzeiro divinoMuito amor, muita alegriaAonde as almas vão rezar Vai pra junto de YemanjáAs almas choram de alegria E da Virgem MariaQuando os filhos se combinamTambém choram de tristezaQuando não quer combinarØ 4.Oh Santas Almas do rosário de MariaAjude esse filho a caminhar pelos seus diasØ 5.Macumba nas almas amanhece o diaÔ amanhece o diaTenho fé nas almas e na Virgem MariaÔ na Virgem Maria94Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 99. PRETOS VELHOSPretas Velhas - Pontos Individuais Ø VOVÓ BENEDITA DO CRUZEIRO Benedita você tem|Ø MARIA REDONDAUm congá que é uma beleza>Quem vem lá quem combate demanda Um terreiro enfeitado|Ela é filha de Congo e Maria Redonda Muitos doces sobre a mesa>Ø MARIA SACAMBINAØ VOVÓ CAMBINDAMaria Sacambina lavadeira de Sinhá Cambinda mamanhê, Cambinda mamanháLavou roupa de Congo Segura Cambinda que eu quero verNão é dela, é de Yemanjá Filho de pemba não tem quererØ MÃE MARIA DE MINAØ VOVÓ CATARINA DO CONGOMãe Maria de Mina vem de Aruanda|Saravá pra Vovó CatarinaPra salvar seus filhos, pra vencer Que é dona da gira no meu terreirodemanda >Saravá pra Vovó CatarinaO Preta Velha você não me engana E pra todas as almas do cativeiroAmarra a saia com palha de canaE o cigarro que ela fuma A Vovó Catarina é do Congo, éÉ de palha de AruandaA Vovó Catarina é quem faz chá Pra Vovó CatarinaØ VOVÓ CATIRAÉ quem os filhos de UmbandaVovó tem sete saias |Vão saravarNa última saia tem mironga|Vovó veio de Angola |Ø VOVÓ RITAPra salvar filhos de Umbanda>Vovó Rita chegou no terreiro |Com seu patuáDemandar com feiticeiro>E a figa de guinéEla tem mandinga forte |Vovó veio de AngolaSeu rosário e patuá|Pra salvar filhos de féQuando chega na lei de Umbanda | Vem na fé de Oxalá >Ø VOVÓ DOLORESEu fui no canaviáØ VOVÓ MARIA CONGAEu fui lá, eu fui colher canaÉ do Cruzeiro das AlmasEncontrei foi muitas floresQue vem Maria CongaEncontrei Vovó Dolores Vem para cortar mironga Pra salvar a quem quiserØ VÓ JOAQUINACom seu Auá Auacaué...Vó Joaquina quando vem de Mina|Pra salvar filhos de féTraz arruda, dendê e guiné>Ela corta mironga ela vence demanda |Corta mironga, corta demanda |Ela vem trabalhar >Na Umbanda e na Quimbanda>Tenda Caboclo Sete Cachoeiras 95
  • 100. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ VOVÓ MARIA CHICAØ MÃE MARIA DA PRAIAAcabou meu cigarro de palha | Ai vem Mãe MariaVó Chica é quem foi buscar> Que vem do lado de láRasgou a barra da saia| Vem pedindo licença a OxaláPra fazer meu patuá > E a grande Sereia do MarDemanda com ponto de fogo | Ai vem Mãe MariaVó Chica sabe desmanchar> Que vem neste congáSua Umbanda é pro bem | Abençoar os filhos de féE todo o mal vai levar> E todo mal levarØ VOVÓ MARIA CHICAØ VOVÓ MARIA DE ANGOLAPreta Velha que vem no terreiro saraváSaravá Maria de AngolaPreta Velha que vem no terreiro trabalhar Preta Velha guerreiraEla é Maria Chica de AruandaSaravá Maria de AngolaEla vem neste terreiro saravá Nega benzedeiraEla é Maria Chica de AruandaVovó Maria no terreiroEla vem neste terreiro trabalharFaz mandinga com arruda e patuáDá a sua proteçãoØ VOVÓ CATARINA E vem seus filhos ajudarVovó Catarina ê, êVovó Catarina ê, áØ VOVÓ MARIA DE ANGOLAVovó Catarina vem de Angola Vestida de branco está Maria de AngolaVovó Catarina ê, áVeio trabalhar no congá de OxaláPerfuma com arruda e guinéØ VOVÓ CATARINA E no terreiro firma a sua féVovó Catarina que tem poder | Ela reza pra Jesus, Maria e JoséTem na Umbanda muito haver> Que firme este terreiroEla vem da AruandaE não deixe cair filho de féCom a fé de OxaláTraz arruda e guiné É de Angola|Pra rezar filhos de féSó veste branco|Vovó Maria |Ø VOVÓ MARIA CONGANo congá firma seu ponto >Abre este terreiroAbre este congá Ø VOVÓ MARIA DAS DORESChegou Maria CongaVózinha Maria das Dores|Que vem trabalhar Acende seu pito na banda de cá >Saravá UmbandaPegou um pouco d’água|Saravá QuimbandaMisturou com erva|Saravá quem manda E fez um remédio |Saravá você Pros filhos curar>96Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 101. PRETOS VELHOSØ MÃE JACIRAØ TIA MARIA DA BAHIAEla vem do mar, ela vem da areiaÊ Tia Maria, preta velha da Bahia >Ela é Preta Velha, de mamãe SereiaSegura a barra da saiaEla é lavadeira, ela é de Sinhá Dança na ponta do péEla é a Mãe Jacira, preta de YemanjáQuando pega no rosárioTraça Umbanda e Candomblé,Ø VOVÓ CHICAGira, gira, girou, Vovó Chica chegouÊ Tia Maria, preta velha da Bahia >Gira, gira, girou, perto da Chica estou Rezadeira de quebrantoVovó Chica é parteira e rezadeira Mal olhado e desencantoCom tanta luz, também é curandeiraFeiticeira, curandeiraDe mãos postas com devoçãoDomadora de Junqueira,Chica reza com o coraçãoÊ Tia Maria, preta velha da Bahia >Gira, gira, girou, Vovó Chica chegouNinguém segura seu pontoGira, gira, girou, perto da Chica estou Sua pemba e muita féSeu tercinho branco está abençoadoE quem quiser falar com elaJunto do seu peito está guardadoGanha figa de guiné,Cristo deu-lhe força e a luzÊ Tia Maria, preta velha da Bahia >E, com humildade, agradece a JesusGira, gira, girou, Vovó Chica chegouØ VOVÓ BENEDITAGira, gira, girou, perto da Chica estou Figa cruzada, o bem trabalhadaVeio da BahiaØ VOVÓ MARIA DA BAHIA Vovó Benedita chegou com sua magiaVovó Maria, ela veio da Bahia No seu patuá do Senhor do BonfimEla vem pra trabalhar Ela acreditaTem licença de Pai OxaláSaia engomada e bata rendadaVovó Maria, ela veio da Bahia Veste BeneditaVem trazendo a sua pemba, sua guiaFiga cruzada, corpo fechadoE o rosário da Virgem Maria É com BeneditaSeus búzios jogados em pano amassadoØ VOVÓ MARIAEla confiaVovó Maria| Curimba marcada em ponto riscadoEla vem da Bahia> É sua gira >Ela vem pra trabalhar No seu patuá do Senhor do BonfimCom licença do Pai OxaláEla acreditaVem trazendo sua pemba, a sua guiaCurimba marcada em ponto riscadoSeu rosário da Virgem Maria É sua gira > Tenda Caboclo Sete Cachoeiras97
  • 102. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ TIA MARIA DE MINAØ VOVÓ JOAQUINA DA BAHIAQuem é a preta velha sentada no toco Saravá Vovó Joaquina|Meu Senhor das Almas, me diga quem é?Saravá o seu Congá|É Tia Maria de Mina, meu filho Ela vem lá da Aruanda |Trabalhando com fé Ela vem pra trabalhar >Trouxe arruda e guinéCom suas mirongas e seu patuá |Pra benzer filhos de féSaravá Vovó Joaquina na fé de Oxalá >Ø VOVÓ CHICA Ø VOVÓ CATARINAAcabou meu cigarro de palhaVovó Catarina o dia que vemVó Chica é quem foi buscar A senhora é quem sabe e mais ninguémRasgou a barra da saia Vovó Catarina olha seus filhos no CongáPra fazer meu patuáA senhora é quem sabe e mais ninguémDemanda com ponto de fogoVó Chica sabe desmanchar Ø VOVÓ CATARINA DE ANGOLASua Umbanda é pro bemLá na Angola ê>E todo mal vai levar Catarina de Angola, Umbanda É de angolêØ VOVÓ MARIA CONGAAbra este terreiro, abre este CongáØ VOVÓ CAMBINDAChegou Maria Conga, que vem nos ajudar Eu plantei café de meia Eu plantei canaviáØ MÃE MARIA DA PRAIA Café de meia não dá lucro, sinhá donaAí vem, Mãe Maria que vem do lado de láCanaviá é quem dáVem pedindo licença a OxaláÔ deixa a Umbanda melhorar3>E à grande Sereia do Mar Meu Deus do céuAí vem Mãe Maria que vem neste Congá Ô deixa a Umbanda melhorarAbençoar os filhos de fé Pega touro, CambindaE todo o mal vai levar E prende no curralØ VOVÓ CAMBINDAØ VOVÓ CAMBINDACambinda mamanhê,Cambinda, Cambinda vem lá de AngolaCambinda mamanhá Trazendo a sua sacolaSegura Cambinda que eu quero ver Seu rosário e seu patuáFilho de pemba não tem quererCambinda vem na Umbanda saraváØ MÃE MARIAVem trazer para os seus filhosMãe Maria vem das águas do mar As bençãos de OxaláTrazer a benção da mãe YemanjáE com ela vai levarØ VOVÓ CAMBINDAToda demanda para o fundo do mar Vovó Cambinda plantou manacáPros seus filhos vai deixarE nasceu uma rosa brancaA estrela de Yemanjá Pra oferecer à minha filhaQue brilha com as águas do mar À minha filha de Umbanda98Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 103. PRETOS VELHOSØ VOVÓ CAMBINDA Pontos de LinhaCambinda de Guinéeu pai é ZambiCambinda, velha Cambinda Ø 1.Que no tronco padeciaVovó não quer casca de coco no terreiroChorava e abençoava o feitor que lhe batia Só porque faz lembrar os tempos do cativeiroO orgulho dessa velhaØ 2.Comoveu toda a Aruanda Aí vem vovó |Que chamou de Preto-VelhoDescendo a ladeira com sua sacola |Essa energia que nos manda Com seu rosário e seu patuá |Ø VOVÓ CAMBINDAEla vem de Angola >Vovó Cambinda tem a sua guia Eu quero ver vovó, eu quero ver |Trabalha de noite e reza de diaEu quero ver|Vovó Cambinda quer encruzarSe filho de pemba tem querer>Ponto de pemba no meu Congá Ø 3.Ø VOVÓ MARIA CONGA A fumaça do cachimbo da vovóO galo já cantou Maria Conga já chegou Sobe no ar, não vê quem não querO galo já cantou Maria Conga já saravouA Preta Velha trabalha, trabalhaOh no terreiro de meu pai tem pembaA mironga da velha está debaixo do péOh no terreiro de meu pai tem mirongaOh no terreiro de meu pai eu quero ver Ø 4.A velha Maria CongaAí vem, vem, vem as vovós de Aruanda Elas vêm goivando na Lei de UmbandaØ VOVÓ MARIA CONGATodo mundo está se rindo Ø 5.Da corrente do cipóEla vem do mar, ela vem pra areiaEu vou chamar Maria CongaEla é Preta Velha de mamãe SereiaPra coser meu paletó Ela é lavadeira, ela é de Sinhá Ela é Preta Velha, Preta de YemanjáØ VOVÓ MARIA CONGALá no cruzeiro santo e bendito Ø 6.Vovó Maria Conga não trabalha só Pelo dia de hoje |Tem um velho ao seu lado Eu quero alegria neste terreiro>Pai Benedito está sentadoFoi dia 13 de maio que acabou o cativeiro>Na porta do roncó Ø 7.Ø VOVÓ MARIA CONGA Vovó Sabina lavadeira, lava roupa de sinhá >É Maria Conga é quem vence demanda Lava roupa de sinháE no seu saiote ela traz mironga Mas sua mãe é YemanjáAbre zi terreiro, abre zi CongáChegou Maria Conga, que veio trabaiáTenda Caboclo Sete Cachoeiras99
  • 104. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ 8. Ø 12.Na Angola tem uma velhaVovó viveu no tempo da escravidãoQue trabalha com vela acesaCorria milharal com a enxada na mãoCom galhinhos de arrudaBenzia, fazia mirongaE um copo sobre a mesa Ajudava seus irmãosA sua mironga é forteE um dia lá no céuMas não faz mal a ninguémJesus lhe deu a redençãoTrabalha com as almas santasCom o rosário de Belém Ø 13. Navio negreiro no meio do mar >Ø 9. Correntes pesadas na areia a arrastarO cachimbo é da vovó E a negra escrava tristonha a chorarVamos saravar no Congá Saravá nossa mãe YemanjáAuê, auê, auáSaravá nosso pai OxaláOh, vamos saravar no Conga Ø 14.Ø 10.Tiana chegou aqui nesse gongáFlor de laranja vovó pegou E veio com ordens para trabalharTrouxe pro terreiro cuscuz e marafoTiana trabalha, para os filhos teusCuscuz e marafo ela entregou E vence demanda com a graça de DeusNa encruzilhada ela saravouSaravou, saravouØ 11.Essa nega mandou fazer macumbaPra me tirar da favelaO meu santo é muito forteE quem vai sair é ela >Sexta-feira meia noitePassei na encruzilhadaEncontrei velas acesasE farofa com marafoPedi a Iansã e OgumPra eles me ajudaremTirar quisuma do meu caminhoE levar pro fundo do mar100 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 105. PRETOS VELHOS SubidaØ 1.Preta Velha vai ao ló |Mas não deixa os filhos sós >Ela vai pra Aruanda |Junto com Zambi menor >Ø 2.A sineta do céu bateu Oxalá já diz é hora >Eu vou, eu vou, eu vou|Fiquem com Deus e Nossa Senhora >Ø 3.E vai Preta Velha subindo pro céuE Nossa Senhora cobrindo com véuØ 4.A estrela brilha no céu clareia a UmbandaEstá na hora, o galo cantouAdeus meus filhos Preta Velha vai emboraFiquem com Deus e Nossa SenhoraØ 5.Pé por pé, vovó caminha devagarPé por pé, Nossa Senhora lhe chamouTenda Caboclo Sete Cachoeiras 101
  • 106. 1.540 Pontos Cantados de Umbanda102 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 107. IBEJIPontos IndividuaisØ CARLINHOSOh! Doum. Oh! DoumØ MARIAZINHACosme e Damião são dois irmãosTrês estrelinhas| Oh! Doum. Oh! DoumTodas as três amarelinhas > Vamos saravar na giraUma é Cosme e Damião| Que o Carlinhos já chegouA outra é Mariazinha>Ø MARIAZINHAØ JUQUINHAMariazinha nasceu na beira do rio Juquinha da beira da praiaNa beira do rio lá no JuremáComo é se que abana o boné ?Lá onde a lua brilha, clareia as campinas É assim, assim, assim |Clareia a mata pra Ibejada brincarAssim que se abana o boné >Ø MARIAZINHAMariazinha na beira da praiaComo é que balança a saia?É assim, é assim, é assim.É assim que balança a saiaØ ESTELINHACom sete pedrinhas de areiaCom sete conchinhas do marCom sete pedrinhas brancasEu vi Estelinha brincarSete e sete são catorzeTrês vez sete, vinte e umQuem me dera Estelinha na praiaVê-la brincar com DoumØ MANEQUINHOMãe Yemanjá abençoouPai Ogum se pôs a caminhoSaravá as criancinhasSaravá o ManequinhoØ PEDRINHO DA CACHOEIRAPedrinho, Pedrinho da CachoeiraMe leva contigo pra brincar na areiaYemanjá anunciou que os erês já vão chegarÉ o Pedrinho da cachoeiraEle vai nos ajudar Tenda Caboclo Sete Cachoeiras 103
  • 108. 1.540 Pontos Cantados de Umbanda Pontos de LinhaØ 8.Oh! Cosme. Oh! Damião onde está DoumØ 1.Doum foi apanhar as rosas de mamãe OxumCosme e Damião, Damião cadê Doum? Oh! Cosme. Oh! Damião onde está DoumDoum tá passeando no cavalo de Ogum Doum está passeando no cavalo de OgumØ 2.Ø 9.Papai me mande um balão|São Cosme e São DamiãoCom todas crianças que tem lá no céu >A sua santa casa cheiraTem doce, meu Pai, tem doce, meu Pai |Cheira a cravo, cheira a rosaTem doce no meu jardim >Cheira a flor de laranjeiraØ 3.Ø 10.Fui no jardim colher as rosas | Eu fiz uma prece em forma de cançãoE a vovozinha deu-me as rosas | Eu ofereci a Cosme e DamiãoMais formosas > Eu pedi a ele que em nome de OxaláCosme e Damião, oh Doum | Que nos dê saúde e paz pra trabalharCrispim Crispiniano são os filhos de Ogum > E na minha prece em forma de cançãoEu lhes peço ainda, São Cosme e DamiãoØ 4.Pelas crianças, flor e botãoEle é pequenininho, mora no fundo do mar| Pelos velhinhos que lá se vãoSua madrinha é sereia,| Pelos soldados que à guerra vãoSeu padrinho é Beira Mar >Aceite a minha prece, São Cosme e DamiãoNo fundo do mar tem areia > Ø 11.Seu padrinho é Beira MarHoje tem alegria3>Sua madrinha é Sereia Na gira de UmbandaHoje tem alegriaØ 5.Titia você tem um Congá que é uma beleza >Ø 12.Um terreiro enfeitado|Andorinha de Nossa SenhoraMuitos doces sobre a mesa>Andorinha que voa, voa, andorinhaFirma seu ponto na horaØ 6.Trazendo as criançinhasCosme e Damião, Damião cadê DoumCrispin e Crispiniano são os filhos de Ogum Ø 13.Oh, bate palmas | As crianças são as flores do jardimDois, dois camaradinha chegou Elas são os anjinhos lá do céuElas são, elas são, elas sãoØ 7.Protegidas por São Cosme e DamiãoCosme e Damião a sua santa já chegouVeio do fundo do mar, Santa Bárbara mandou Ibeji, Ibeji como vem beirando o mar >Dois, dois, sereia do marMas como vem beirando o mar>Dois, dois, mamãe Yemanjá> Ibeji, Ibeji como vem beirando o mar104Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 109. IBEJIØ 14. Ø 20.Cosme e Damião, doutores do espaçoEle vem do mar, ele vem da mataCurai-nos da moléstia, livrai-nos do fracasso Ele vem da pedreira, ele vem da cascataNa terra foram doutoresCuravam os sofredores Ø 21.Nunca perderam a calmaEssa criança é uma índia pequeninaCuravam até a almaVou pedir pra essa meninaVir brincar no meu CongáØ 15. Cabelos longos e de pele bem morenaCrianças quando chegam de Aruanda É tão doce, tão pequenaÉ Oxalá que manda Mora na concha do marEle vem gritando, ê, ê, êRolando e brincando Ø 22.Filho de fé estava doenteØ 16. Filho de fé estava chorandoCriancinhas lá no céu Filho de fé viu IbejadaAnjinhos de toda a luzFilho de fé já está cantandoTrazei sua UrucaiaCompanheiros de Jesus Ø 23.Levantai minha macaia Formiguinhas de AngolaCompanheiros de falange Pai Ogum está chamandoFoi Jesus quem ordenouVem, vem, vem, vem,Com suas sete falangesQue Damião está girandoØ 17. Ø 24.Doum, Doum, Doum, Cosme e DamiãoMeu Deus quem é esse cavaleiroDoum, Doum, Doum, brinca sentado no chãoQue traz tanta segurançaEle é Ogum GuerreiroØ 18. Que trouxe as criançasDoum, hoje é seu dia, hoje tem alegriaEm todos os terreiros, Doum, oi Doum, Ø 25.Saravá a Zambi na linha de UmbandaNa Bahia tem um côco,Em todos os terreiros, mas cadê seu irmão Côco que faz a cocadaCadê seu irmão e Cosme e Damião > Côco que faz o manjarPara dar a Ibejada>Ø 19. Doum, Doum, Doum, DoumE as crianças vão fazer uma festançaCosme e DamiãoLá no jardim pular e rolar na grama Doum, Doum, Doum, DoumMamãe Oxum, criança é tudo pra mimBrinca sentado no chão>Cosme, Damião e Doum , Crispiniano e CrispimTenda Caboclo Sete Cachoeiras 105
  • 110. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ 26.Ø 32.Na beira da praiaOs anjos lá no céu cantavamSentadinhas na areia Estrela D’alva clareouEu vi as criancinhas Saravá Cosme e DamiãoBrincando com a Mãe Sereia Neste terreiro Oxalá lhe abençoouØ 27.Ø 33.O Sol está brilhando Papai mandou as criancinhasO jardim está floridoApanhar as flores no jardimCada flor é uma criançaLá tem rosas pra Cosme e DamiãoE cada criança é uma esperança Pra Crispim e Crispiniano tem jasmimO jardim de OxaláHoje tem alegria no céuEstá sempre brilhandoE também na terra e no marCom o sorriso de todas as crianças Com as flores do jardimSeja de fora ou de dentro deste jardim Vamos todos saravarTodos unidos, sempre, sempre protegendo Ø 34.Ø 28.Pedrinha miudinhaOh Cosme, oh Cosme, oh Cosme Estrelinha de Aruanda, êOh Cosme, oh Cosme e DamiãoCrianças na UmbandaOlhai pelas as crianças, pedi a OxaláSão Mestres de Aruanda, êQue nos dê proteção e abençoe este Congá Ø 35.Ø 29.Povo de AngolaOh! Cosme , oh Damião onde está Doum?E a falange de OgumDoum foi apanhar as rosas de Mamãe OxumO do yê pras criançasOh! Cosme , oh Damião, onde está Doum? Cosme, Damião e DoumDoum está passeando no cavalo de Ogum Ø 36.Ø 30.Pula criança, vem cáOh, me Ogum, meu sagrado coração > Saravá neste CongáCriancinhas engatinhando Salve a IbejadaPra querer andar no chão > Salve todos os OrixásSubi morro acima lá no alto vi o mar Salve todas as criançasFui levar uma rosinhas pra Mamãe Yemanjá Que vêm saravar neste CongáØ 31.Ø 37.Olha a bala açucaradaQuando a lua brilha no céu |O amendoim e a rapaduraClareia a Umbanda>Vem, vem, vem, Clareia a Ibejada|Que tem também apindáQue vem lá de Aruanda>Vem correndo criançada e vamos brincar106Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 111. IBEJIØ 38. Ø 45.Que lindo cavalo branco Saravá Doum, Cosme e DamiãoQue aquele menino vem montado Saravá as crianças, trazendo proteçãoDescendo aquela serra Cosme e Damião baixar nesta bandaDizendo ser filho de um soldado Seu cavalo está pedindoÉ Damião, é Damião, é DamiãoNum lindo cavalo de OgumØ 46.Se criança pedir, vovô lhe dáØ 39. Um balancinho no fundo do marQue meninos bons, oi 3>São Cosme e DamiãoØ 47.Saravá, oi, saravá >Skindim, skindimSão Cosme e DamiãoAs crianças chegam assimØ 40. Ø 48.São Cosme e DamiãoTem bala de côco e petecaNos dê a proteção Deixa a Ibejada brincarPra mim e pro meu irmão Hoje é dia de festaNos dê a proteção Ibejada vem saravarØ 41. Ø 49.São Cosme e São DamiãoTem paciência, doutorA sua casa cheira Eu sou Camisa AzulCheira cravo, cheira rosa Mas para o ano que vemCheira flor de laranjeira Dois, dois, comer caruruØ 42. Ø 50.São os lírios, são as rosas Titia me deu cocadaSão as alegrias da AruandaTio me deu guaranáDescarrega crianças formosasGostei foi do caruruFilhos humildes de UmbandaQue a mamãe mandou prepararMamãe me deu caruruØ 43. Eu comi caruru de mamãeSão três meninas lá no jardimSão três meninasØ 51.Mariazinha, Cristina e Joaninha Vamos ver, vamos verGostam de brincar onde tem conchinhaVamos ver as crianças baixarMariazinha da praia, ela faz ondinhaPois é Cosme e DamiãoQue estão vindo saravarØ 44.Saravá Cosme e DamiãoNão quero balasSó um brinquedinhoPara brincar com Cosme e DamiãoTenda Caboclo Sete Cachoeiras 107
  • 112. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ 52. SubidaViva Deus lá nas alturasSalve Cosme e Damião Ø 1.Salve as linhas de Umbanda Andorinha que voa, voa, andorinha |Com Jesus na proteçãoLeva as crianças pro céu> Vai, vai, vai andorinha |Ø 53.Leva as crianças pro céu, andorinha >Ere-rê, ere-áErezim vem trabalhar Ø 2.Vem brincando de Aruanda Andorinha que voa, voaPara nos abençoarVoa que estão lhe chamando, andorinhaDiz aí erezimVoa, voa, voa andorinhaO que é que você quer? Voa que estão lhe chamandoQuero vela azul pros homensE cor de rosa pras mulherØ 3. MARIAZINHAEre-rê, ere-áLá no céu tem três estrelinhasErezim vem trabalhar Todas três em carreirinhaVem brincando de Aruanda São Cosme, São DamiãoPara nos abençoarA outra é MariazinhaDiz aí erezimVocê quer vela, pra quê? Ø 4.Pra corimbar o terreiroCriança já trabalhou, criança já saravouE a todos proteger Volta agora pra Aruanda que Oxalá já chamouEre-rê, ere-áErezim vem trabalhar Ø 5.Vem brincando de Aruanda E vai criançada subindo pro céuPara nos abençoarCom eles vai Nossa SenhoraDiz aí erezimCobrindo com véuE vais corimbar pra quê?Pra poder levar mirongaØ 6.Que deixaram em você Ibejada já vai embora Aruanda está lhe chamandoØ 54.E vão pra um jardim lá no céuOi dê amor a uma criança Oxalá está lhe esperandoOi dê amor e muita esperança E foram pra um jardim do céuCriança é alegriaOxalá seráCriança é festa todo dia.Din dom, din dom, din domØ 7.Bate o sino do seu coração Lá na Aruanda Oxalá chamouCriança é alegria. Chamou toda a criançaCriança é festa todos os diasQue aqui trabalhou108 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 113. IBEJITenda Caboclo Sete Cachoeiras 109
  • 114. 1.540 Pontos Cantados de Umbanda110 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 115. BAIANOS Louvação aos BaianosØ ZÉ PILINTRA Oi Zé, quando vem lá da lagoaSalve Senhora AparecidaToma cuidado com o balanço da canoa Porque tu és a Grande Padroeira Oi, Zé, faça tudo o que quiser Só não maltrate o coração dessa mulher Salve Senhora do Amparo Que Estrela Guia do teu povo e na Bahia Ø ZÉ PILINTRA Zé Pilintra, Zé PilintraSalve o Senhor do Bonfim Boêmio da madrugadaPorque os Baianos são de cajueiroVem da linha das almas E também da encruzilhdaSalve Orixa formosoMeu amigo Zé Pilintra Que gira gira no meu terreiro Que tem fama de doutorSalve Orixa formosoCom o seu filho de Fé Que gira gira no meu terreiro Seu irmão , seu protetor Com magia e mirongas Dando forças ao terreiro Pontos IndividuaisSaravé seu Zé PilintraØ ZÉ PILINTRAMeu amigo verdadeiroMeu Senhor não maltrate esse nêgoEsse nêgo caro me custou Ø ZÉ PILINTRAEle usa camisa listradaVenha cá Seu Zé, venha me valerCalça de veludo e anel de dotô Sem sua ajuda eu não posso viverEsse nego é doutor, é sim senhor>Ô Seu Zé, auê, o Seu Zé, auá Ele vem aqui, não se esquece de voltarØ ZÉ PILINTRASeu Zé Pilintra não teve pai Ø ZÉ PILINTRASeu Zé Pilintra não teve mãe Tava em cima do muroEle foi criado por Ogum Beira-MarFumando um bagulho o moleque chegouNa fé de Zambi e de todos os OrixásVinha correndo e gritando Sai daí Zé Pilintra a polícia chegouØ ZÉ PILINTRADeu pancadaria, deu confusãoDe terno brancoSaí correndo, deixei meu bagulho no chãoSeu punhal de aço puroO seu ponto é seguro Ø ZÉ PILINTRAQuando vem pra trabalhar Toda manhã quando eu desço a ladeira | A nega pensa que eu vou trabalhar>Segura o nêgo, Eu ponho meu cachecol no pescoço |Que esse nêgo é Zé PilintraMeto um baralho no bolso |Na descida do morroE vou prá Barão de Mauá>Ele vem trabalhar Trabalhar, trabalhar prá que? | Se eu trabalhar eu vou morrer >Tenda Caboclo Sete Cachoeiras 111
  • 116. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ ZÉ PILINTRA Ø ZÉ PILINTRAQuando eu vejo uma linha de ferro,Quem foi que viu Zé PilintraEu beijo o chão e a Deus peço paz.No meio desse salãoPois foi no dia em que esse trem partiu Com uma garrafa de pingaQue o seu Zé se foi e não voltou mais.E um charuto na mãoHoje ele desce na linha de Umbanda, Skindô, skindôTrazendo amor e muita caridade. Esse negô é doutorPois foi no dia em que esse trem tombou Ora viva Senhor, meu escravo SenhorQue o seu Zé se foi para a eternidade.Se você não me queria, Bravo SenhorPorque foi que me chamo, Bravo SenhorØ ZÉ PILINTRASou filho de Zé PilintraCinco, cinco, vinte e cincoTenho que me orgulhar Cinco cinco SalomãoQuem não pode com a mandingaCinco velinhas acesasNão carrega patuá Seu Pelintra tem na mãoSaravá Seu Zé PilintraØ ZÉ PILINTRANego do chapéu virado Moça não tenha medo do seu marido>Na direita ele é maneiroSe ele é bom de faca eu sou de facão |Na esquerda ele é pesadoSe ele é bom de reza eu de oração>Cuidado meu camaradaNão põe a mão em cumbucaØ ZÉ PILINTRAQuem mexer com Zé PilintraÔ, Zé PilintraVai ficar lelé da cucaNeguinho do pé viradoQuem mexer com Zé PilintraØ ZÉ PILINTRA Ou tá doido ou tá danadoFirma o ponto Zé PilintraPadre Nosso e água bentaØ ZÉ PILINTRANa igrejinha catedral Ô Zé Pilintra, não deixe o mal me pegar >De joelho estou > Eu confio em você, nada vai me acontecerReza a prece vagarosaPadre Nosso e água bentaØ ZÉ PILINTRANa igrejinha catedral Seu Zé da EstradaOnde é que tu estáDe joelho estou > Ô Zé da EstradaQuando vem de pé descalço Vem aqui pra trabalharPadre Nosso e água bentaVem montado em seu cavaloNa igrejinha catedral E com seu chapéu na mãoDe joelho estou >Ø ZÉ PILINTRAOi Zé, oi Zé enganadorEnganou a filha alheia com palavras de amor112 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 117. BAIANOSØ ZÉ PILINTRAØ SEU CHAPÉU DE COUROVocê está vendo aquela casa pequeninaEle é baianoBem lá no alto da colina Ele arrebenta a sapucaiaÉ uma casinha de malandro de 7 saias Ê ,Ê meu paiÉ Seu Zé PilintraEle arrebenta a sapucaiaJoga a chave, meu bemEle é da BahiaQue aqui fora está frioEsse baiano vale ouroÔ bem, cheguei tarde Ele é da BahiaTarde outra vez meu bemSalve o seu Chapéu de CouroMas amanhã eu voltarei Ø ZECA DA ESTRADAØ ZÉ PILINTRAAxé... Bahia, axé, axé, axéO morro de Santa Rita está de luto, ô |Chegou Seu Zeca da EstradaPorque Zé Pilintra morreu >Chegou baiano de féEle chorava por 2 mulherChorava por 10 mulherØ BAIANO LAÇADORChorava por uma mulher Cana aqui, cana acoláQue ele tanto amavaCana aqui, canaviá É o Baiano LaçadorØ ZÉ PILINTRAQue chegou pra trabalharSeu Zé PilintraMoço do chapéu viradoØ CHICO BAIANONa direita ele é maneiro Chico é bom de brigaNa esquerda ele é pesado E é bom també no péØ ZÉ PILINTRABaiano bom taíE quem quiser me ver, ô Zé|Vamos ver como é que éVai em cima do barranco, ô Zé > Ø BAIANO BASTIÃOZé Pilintra e o baiano Bastião, nego de féSão mais que companheirosVeio de São SalvadorZé Pilintra na retranca |No borná traz muito axéEo baiano no terreiro, ô Zé >Pra ajudar o sofredorØ ZÉ PILINTRAØ SEU SEVERINOBravo, Sr. bravo, Seu Zé Pilintra chegou > Mas olha eu camarada, camarada meu >Ele salvou pai, salvou mãe Seu Severino que chegou aqui agoraSalvou padrinho, salvou madrinha Na Umbanda bato no peitoSalvou cego na estrada Na Quimbanda bato na AngolaE aleijado na linhaTenda Caboclo Sete Cachoeiras 113
  • 118. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ SEU SEVERINOØ VIRGULINO (LAMPIÃO)Olha meu camarada, camarada meu Eu quero um par>E olha meu camarada, camarada meu Eu quero um par de tamanco para calçarSou Severino que chegou aqui agoraEu me chamo Virgulino o apelido é LampiãoCandomblé bato no KetoO cabra safado que não dá satisfaçãoUmbanda bato na AngolaØ ZÉ DO COCOZé do Coco, por onde andaMexe com toda mulherMas quando ele chegaFaz o que tu querFaz e desfaz, desmanchaToda a mandingaE não recusa um bom gole de pingaØ PAI BAIANOEstava tudo desarrumado|Quando Pai Baiano chegou >Não é assim que se faz |Quando se chama o protetor >Ø PAI BAIANOPai Baiano ê ê, Pai Baiano ê áPai Baiano tem licençaDo nosso Pai OxaláØ QUEBRA-COCOQuebra-Coco no terreiroQuebra-Coco no congáQuebra-Coco vem descendoPara todo o mal levarQue a mandinga dos seus filhosQuebra-Coco vai levarØ VIRGULINO (LAMPIÃO)É Lampi, é Lampi, é LampiÉ Lampi, LampiãoEu me chamo Virgulino|E o apelido é Lampião>114Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 119. BAIANOS Pontos de Linha Ø 8. Nheco nheco, tico tico, mela a melaØ 1. Eu passei pela capelaBahia, oh África | Fui ver padre no altarVem cá, vem nos ajudar >Força baiana, força africana | Eu dei um puloForça divina vem nos ajudar> Eu dei dois pulos Eu dei três pulosØ 2. Acabei pulando o muroBaiano é povo bom, povo trabalhador> Não parei mais de pularQuem mexe com baiano | Meu camaradaMexe com Nosso SenhorVenha ver a brincadeira Nêgo planta bananeiraØ 3. Vira de perna pro arLá na Bahia ninguém pode com os baianos >Quebra coco, arrebenta sapucaia |Já me falaramVamos todos saravar >Que a Umbanda é brasileira Que esta gira é uma belezaØ 4. Eu também quero girarNa Bahia tem eu vou mandar buscarNa Bahia tem vem verLampião de vidro, oi sinhá, para clarear Leite de coco, xaréu e dendê...Ø 5. Ø 9.A Bahia é muito longe, Bahia é do lado de lá Que navio é esteA Bahia é muito longe, ahia atravesse esse mar Que chegou aqui agoraBahia só é terra para quem sabe trabalharÉ o navio negreiro Com escravos de AngolaØ 6. Veio de Gêge, de Angola|Se é baiano, agora que eu quero verE guiné trouxe a Umbanda |Dança catira no azeite de dendêA capoeira e o candomblé >Eu quero ver um baiano de AruandaTrabalhando na Umbanda Ø 10.Pra Quimbanda não vencer Ai meu Senhor do Bonfim Valei-me, meu SalvadorØ 7. Povo da Bahia chegouQuando eu vim da Bahia | Vovó Casturina saravouEstrada eu não sabia > Valei-me, valei-meCada encruza que eu passavaValei-me meu Salvador>Uma vela eu acendia Ø 11. Bahia, Bahia, Bahia de São Salvador Quem nunca foi à Bahia Pede à Deus Nosso Senhor Tenda Caboclo Sete Cachoeiras 115
  • 120. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ 12.Ø 19.Balança a porteira velha Ai meu tempo, faz tanto tempoBalança, balanceou Que meu tempo não volta maisBalança a porteira velha Quando negro de AruandaQue o baiano já chegou Cantavam todos iguais Faz tanto tempoØ 13.Na cachanga de AruandaÊ... baianaA Conceição ia provaÊ, ê, ê, baiana, baianinha Aladaee êê, aladaê ê aBaiana boa, gosta de samba Preto Velho ficava sentadoEntra na roda e diz que é bambaNo batente do velho portãoApronta a viola que ela quer sambarPreto Velho com sua violaEla gosta de samba, ela quer trabalhar Preto Velho com seu violãoØ 14.Lá na festa da ConceiçãoLa na Bahia corre água sem choverTodo mundo pedia e imploravaSe a água de coco é boa |O menino pegava a violaEu também quero beber >Preto Velho então cantarolava Ai meu tempo, faz tanto tempoØ 15.Que meu tempo não volta maisNa Bahia tem um coco|O menino pegava a violaEsse coco tem dendê >Preto Velho então contarolavaOlha diga como é|Que se come esse coco >Ø 20.Esse coco que é bom de comer Oh Meu Senhor do Bonfim Valei-me meu salvadorØ 16.Vinde, salvai vossos filhosOi trepa no coqueiro, tira cocoPovo da Bahia chegouChique, chique, nheco, nhecoNo coqueiro eu chego láØ 21. Baiano que é batizadoØ 17.Entra em qualquer lugarTava na estação, auê Arreia, baiano, arreiaQuando o trem chegou, auêArreia pra trabalharCheio de bananas, auêDe São Salvador, auê Ø 22. Baiano quebra côcoØ 18.Serra em qualquer madeiraTrepa no coqueiroBaiano está no terreiroTira coco se quizerNão aceita brincadeiraVou chamar a baianadaPra dançar neste congá Baiano quebra mas reconhece Baiano dá macumbeiro a quem merece>116 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 121. BAIANOSØ 23. Ø 28.Ô sinhá, ô sinhá, quebrei meu pé |Eu bebo minha pingaFugindo da chibatada na colheita de café >Eu bebo muito bemSinhozinho me bateu Eu bebo minha pingaMaltratei cavalo dele Não é conta de ninguémSinhozinho me prendeu Bebo, bebo, beberrãoI mandou até o feitor Copo na boca e garrafa na mãoI no tronco me prendeEu careço de ajudaØ 29.Vou pedir a vós mecêVem mano, vem mano meu>Corre e avisa ao Pai João Traga seu manto pra vir samba mais eu >Qui no tronco eu vou ficarTé o final da escravidãoØ 30.Ô sinhá, ô sinhá, quebrei meu pé |Baiano quando vem da BahiaFugindo da chibatada na colheita de café >Ele vem beirando o marDeixe a ganga serenarØ 24. Auê baiano, baiano que balanceiaBaiano tem muita gingaAuê baiano, da Serra da MantiqueiraE gosta de bricadeiraMas desmancha toda a mandinga Ø 31.E quando vai leva a poeira embora Ai, ai, bem longeØ 25. Bem longe na BahiaChamei, chameiNa capital, capital São SalvadorChamei os meu dois irmãos Hoje tem festa do santo padroeiroGalinha de Angola E a baiana lava a escada do senhorQue chama, chamaE a baiana que é moça tão formosaCachorro do MatoTambém lavando a escada do BonfimQue enrola a mandinga E no seu pote tem água perfumadaVeado no mato é corredorQue cheira cravo, cheira rosa e jasmimØ 26. Ø 32.Pisa bonito baiano, pisa em cima do ouroGalo piou, piou de madrugada >Senhor do Bonfim abençoa esse tesouro Balança porteira velha quero ver balancear >Ø 27. Ø 33.Iorerê, IorerêBahia ê ê ê, Bahia ê ê á>Iorerê que dê, que dê Quando eu vim lá da BahiaIorerê que dê, que dá Eu trouxe meu patuáCorta o cacho Terreiro que tem mirongaE joga embaixoBaiano vai mirongarPra ver se o baiano é macho Baiano ê ê ê, baiano ê ê á>E dá coragem de brigar Tenda Caboclo Sete Cachoeiras 117
  • 122. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ 34. Ø 41.O bom baiano tem que saber tocar berimbau Fui fazer uma caçadaGostar de moqueca de peixeEssa foi pequenininhaSaber jogar capoeira para poder se defender Com um facão de sete palmosSaber dançar para Iansã, Yemanjá e Nanã Buruquê Fora o cabo e a bainhaUma cesta de ovo e 700 galinhasØ 35. Eo tricô de cima da linhaTem mironga no terreiroTem mironga no congáØ 42.Quem não pode com mandingaFizeram um despachoNão carrega patuá Lá na encruzilhada para poder me derrubarMas não adianta, não adiantaØ 36. Eu também sou de lá.Baiano da grande campinaSe meu pai é Ogum, minha mãe é IansãOxóssi das matas mandou lhe chamarEles vão me ajudarQuero ver o baiano descer | Mas não adianta, não adiantaSem o médium balancear> Que eu não vou tombarEu não vou tombar>Ø 37.Oi, Quebra coco na pedreira | Ø 43.Quero ver arrebentar> Sou da linha de congo, sou rei da magiaNão demande com meus filhos | Minha terra é muito longeQue eu também sei demandar> Meu conga é na BahiaTem areia ô, tem a areia.Ø 38. Tem areia no fundo do mar tem areiaQuem fala mau de baiano Nestas matas tem um cocoÉ quem não tem o que fazerNeste coco tem dendêCuida mais da tua vidaNestas matas tem mirongaE deixa o baiano viverAgora eu quero ver, tem areia ôØ 39. Ø 44.Baiano é bom, baiano é bomLagoa velha Seu Corisco ia pescarBaiano é bom porque sabe trabalharPeixe grande não me engasgaEle trepa no coqueiro O lambari quer me engasgarQuebra o coco, bebe a águaE deixa o coco no lugar Ø 45.Eu dei um tiro, deu um gemidoØ 40. Tem um baiano por aí escondidoMenina vestida de chita Eu dei um tiro na sapucaiaChapéu de palhinha de maracatuNão tem quem ouçaBaiana se eu fosse solteiro, tivesse dinheiro Ou quem balança ou quem não caiaEu casava com tu118Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 123. BAIANOS BaianasDemandaØ 1. Ø 1.Bota pimenta no meu prato de dendê>Marimbondo amarelo me mordeuA mulherada na cozinha|Na capela do olho e doeuEu quero ver>É um tiquinho, é um tiquinhoA baiana bonitinha que cozinha só |É um tiquinho só.Pra mim >Na esquerda eu vou dando meu nó.Oh meu Deus do Senhor do Bonfim >Olha lá, olha lá, olha lá Zé Mateu Pois baiano de raça aqui sou eu.Ø 2.Bota a mão nas cadeirasØ 2.E remexe mais, oh Baiana Vamos baianada pisar no catimbóVê se remexe mais >Amarrar os inimigos na pontinha do cipóNa subida da ladeira Amarrei, amarrei, amarrei e dei um nóE na descida do Bonfim Amarrei os inimigos na pontinha do cipó. Quebra a cabaça espalha a sementeØ 3. Oi mete no coro de quem não gosta da genteBaiana faz e não mandaNão tem medo de demandaØ 3.Baiana feiticeira filha de NagôUm baiano, um cocoTrabalha com pó de pemba Dois baiano, dois cocoPra ajudar Babalaô Três baiano é uma cocadaBaiana sim, baiana vem E quatro baiano, é uma baianada.Quebra mandinga com dendê Ø 4.Ø 4. Na Bahia tem baiano que sabe lerBaiana da saia rendada Te dou veneno, você morre sem saber.Tabuleiro de acarajá Me chamaram de criminoso,A baiana ta requebrandoMas não podem me prender.Como dança o condomblé Quem nunca viu vem verÊêê baiana, baiana do Nosso Senhor do Bonfim Caldeirão sem fundo ferver.Ê baiana peça a Oxalá por mimQuem brinca com água quer se molhar Quem brinca com fogo quer se queimar.Ø 5. A coruja piouBaiana bate no peito Vou mandar mandingaPeça força a Zambi e vem trabalhar Pra cima de quem me mandouBaiana da saia rendadaSaúda Senhor do Bonfim Oxalá Ø 5. Tem jararaca, tem cobra no meu jardim De noite ela me beija, de dia sorri pra mim.Tenda Caboclo Sete Cachoeiras 119
  • 124. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ 6.SubidaA bananeira que eu plantei a meia noiteJá deu cacho neste terreiro Ø 1.Eu quero ver este cabra dengoso O trem apitou, baiano viajouFirmar seu ponto e dizer que é macumbeiro Baiano viajou com Nosso SenhorØ 2.A Bahia chamou, chamou |Mandou chamar>Foi Senhor do BonfimQue chamou baiano pra rezarØ 3.A Bahia, ela me chamaA Bahia me chamouÉ com o poder de Deus que eu venhoÉ com o poder de Deus que eu vouØ 4.Seu baiano vai emboraLeva a poeira desta casaAdeus Umbanda, adeus filho de féQuem vai embora sou euE quem fica na terraOgum é quem mandaEu vou embora, vou embora CeciMeu caminho é por lá mas eu vou por aquiØ 5.Cadê a sua pemba, cadê a sua guiaJá vai os baianos embora pra BahiaEles vão numa gira só, numa gira só, numagira só120 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 125. BAIANOSØ 6.Minha reza é forte, Ela é de coroaEla vem do norte, É uma reza boaA mandinga quem manda lá no solo do sertãoÉ mandinga quebrada na ponta do meu facãoMinha reza é forte, ela é de coroaEla vem do norte, é uma reza boa.Na cumbuca sentadaDo lado de dentro do portãoPassa amigo e camarada,Gente ruim não passa não.Minha reza é forte, ela é de coroaEla vem do norte, é uma reza boaVai-te embora mal olhado,Sem quizila e amolaçãoTá cortada a inveja,Olho gordo e obsessãoMinha reza é forte, ela é de coroaEla vem do norte, é uma reza boaØ SUBIDA DO SEU ZÉ PILINTRASeu Zé, feche as porteirasCom selas e trunqueirasNão deixe o mal entrarO galo já cantou na AruandaFarofa na fundangaEu quero ver queimarTenda Caboclo Sete Cachoeiras 121
  • 126. 1.540 Pontos Cantados de Umbanda122 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 127. MARINHEIROSPontos Individuais Pontos de LinhaØ CHEFE DOS MARINHEIROS Ø 1.Tarimã, Tarimã, Tarimã| Oh marinheiro, marinheiromarinheiro sóTarimã está no fundo do mar > Quem te ensinou a nadarmarinheiro sóOh gente cadê sereia| Foi o tombo do navio marinheiro sóA sereia está no fundo do mar > Foi o balanço do mar marinheiro sóAuê maioral Lá vem, lá vem marinheiro sóVirou zigazamba Ele vem faceiromarinheiro sóLá no fundo do marTodo de branco marinheiro sóCom seu bonezinhomarinheiro sóØ SEU MARTIM PESCADORÔ Martim Pescador, que vida é a sua?Oh marinheiro, marinheiromarinheiro sóBebendo cachaça e caindo na rua Quem te ensinou a nadarmarinheiro sóFoi o tombo do navio marinheiro sóNão vá beber, não vá se embriagar Foi o balanço do mar marinheiro sóNão vá cair na rua pra polícia te pegarEu já bebi, eu já me embriaguei Eu não sou daqui marinheiro sóEu já caí na rua e a polícia não pegouEu não tenho amormarinheiro sóEu sou da Bahiamarinheiro sóØ SEU MARTIM PESCADOR De São Salvadormarinheiro sóMeus caranguejinhos das ondas do marEu trago ouro, eu trago prata Ø 2.Dinheiro pra gastar Quem te ensinou a nadar >Foi, foi, marinheiroOi quem de mim perguntarForam os peixinhos do marEu sou Martim PescadorTemos pólvora e chumboQuando os meus filhos me chamam Nós queremos é guerrearVenho correndo ajudarØ 3.Ø SEU MÁRIO NETO DE ABALUAIÊMarinheiro agüenta o leme |Senhores mestres venho das ondas do mar Não deixa a barca virar >Sou marinheiro que acabei de chegar É contra o mar, e contra o vento|Eu trago flores, trago rosas a YemanjáÉ contra o vento, e contra o mar>Pra seus filhos enfeitar este conga.Quem não conhece venha conhecer Ø 4.Mário Neto de Abaluaê ê Minha jangada vai partir pro marEu trago flores, trago rosa a Yemanjá.Vou trabalhar, meu bem quererSe Deus quiser, quando eu voltar do marUm peixe bom eu vou trazerMeus companheiros também vão voltarE a Deus do céu vamos agradecerTenda Caboclo Sete Cachoeiras 123
  • 128. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ 5. Ø 10.Marinheiro vem do marZum, zum, zum lá no meio do mar >No balanço do navioÉ o vento que nos traziaVem trazendo a santa bençãoÉ o mar que nos atrapalhaPara todos os seus filhosPara no porto chegarYemanjá governa as águas Zum, zum, zum lá no meio do marIansã a tempestadeCom a força do DivinoØ 11.Vem trazendo a caridadeSão 7 velas brancas no mar São 7 mares para navegarNo céu a lua brilhaO marinheiro que vem lá do norteAs ondas do mar balançam Traz um braço forteNo dia de Nossa SenhoraE a estrela de YemanjáNa areia as sereias cantamØ 6. Ø 12.Quem é do mar não enjoa, não enjoa Olha o vento do marChuva fininha é garoa, é garoa Olha o som do marO homem que é homem não choraÉ o marinheiro, olha o som do marNão, não chora quando a mulher vai emboraÉ o marinheiro, olha o vento do mar Olha o som do marMas quem é do mar não enjoa, não enjoa É o marinheiro que aqui chegouChuva fininha é garoa, é garoa Para o mau levarØ 7.Oh! Marinheiro de Aruanda Oh! Marinheiro Ø 13.Vamos todos saravar,Oh! Marinheiro Ê marinheiro, dá licença de passarNo terreiro de UmbandaOh! Marinheiro Seu navio entrou no portoCom as bençãos de Oxalá Oh! Marinheiro Ele vem de alto marOh! Marinheiro de Aruanda Oh! Marinheiro Já cruzou a hora grandePaz e amor pros filhos seus Oh! Marinheiro Uma revolta ele encontrouIlumina o meu caminho Oh! Marinheiro Quando eu chegar em casaSou eu, sou eu, marinheiro Vou falar com minha velha Meu navio vem no balançoØ 8. E no balanço ele vemQue balanço é esse,oi rema devagarMarinheiro de missão,oi rema devagarQue balanço é esse,oi rema devagarÉ amor de marinheiro,oi rema devagarØ 9.Ê marinheiro que veio do porto de láSeu amor está no porto |Esperando você chegar>124Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 129. MARINHEIROS Subida Ø 7.Ele vai embora, grumeteØ 1.Seu navio já apitouA onda do mar rolou>De longe ele abençoaOs marinheiros de Yemanjá A terra em que pisouA onda do mar levouØ 8.Ø 2.E quando a lua sair ele vai girar>Adeus Umbanda, adeus filhos de fé E lá se vão os marinheiros |Quem vai embora sou euPara todo o mau levar>E quem fica na terraYemanjá é quem mandaØ 9.Oh marinheiro, marinheiromarinheiro sóØ 3.Quem te ensinou a nadarmarinheiro sóO, marinheiro, é hora Foi o tombo do navio marinheiro sóÉ hora do barquinho a navegar Foi o balanço do mar marinheiro sóÉ pau, é pedra é águaO, marinheiro vai nas ondas do marMarinheiro é meu amigo marinheiro sóNão deixa o barco afundar marinheiro sóØ 4.Adeus, adeus eu já vou embora |Marinheiro vai embora Eu vou com Deus e Nossa Senhora >Toma o rumo da maréDesta casa levo o mal Ø 10.Que atrapalha a minha féSe a cachaça é boaÉ do pau de alhoØ 5.Aqui mesmo eu beboA onda que te trouxeAqui mesmo eu caioÉ que te leva para o marA cachaça é boa é de São ToméAuê, auê, auê Yemanjá>Dela só bebe quem quiser.Vai com a onda vaiVai com a onda vemVai com a onda vaiMarinheiro vai tambémØ 6.Vai, marinheiroMarinheiro, com o balanço do marÉ com o poder de Deus que eu venhoÉ com o poder de Deus que eu vou Tenda Caboclo Sete Cachoeiras125
  • 130. 1.540 Pontos Cantados de Umbanda126 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 131. BOIADEIROSØ TOCADOR DE BOIPontos Individuais Sérgio ReisSe me chamam BoiadeiroBoiadeiro, eu não sou nãoØ JOÃO BOIADEIROSó sou tocador de boiSe me chamam BoiadeiroBoiadeiro é o meu patrão Boiadeiro, eu não sou nãoSó entendo de amor Só sou tocador de boiSó entendo de carreira Boiadeiro é o meu patrãoNo lombo desse cavaloEu passei a vida inteira Ø JOÃO BOIADEIROO patrão carrega o ouroVem cá guria depressaEu carrego a bandeiraVenha ventando Que é pra ver João BoiadeiroBandeira boi bandeira | Cachaça que desce queimando (homens)Bandeira boiadeira> Pega as coisas lá pro homemA boiada da estradaChicote ele estala no peitoVai na marcha viageira Não tem boi que seja boboÉ que nem a procissãoDe faltar-lhe com respeito(mulheres)Tem credo e tem bandeira Chegou, chegou, chegouO arroio é a rezaJoão Boiadeiro no terreiro chegou >O incenso é a poeira Chegou João Boiadeiro chegou>Bandeira boi bandeira |Bandeira boiadeira>Ø VENÂNCIO Cem anos se passaramA boiada obediente Venâncio viveu a vidaSobe morro cruza a porteiraDe amor e alegriaVou tangendo boi de corteEra festa todo diaPra sua sorte derradeira Eêê Boiadeiro, Eêê BoiadeiroTem até a marcha fúnebre Então do céu a voz de Deus falou >Que é a moda violeiraDo cavalo a viola|Bandeira boi bandeira |Do sol a lua |Bandeira boiadeira>Do vento a chuva | Você boiadeiro viveu >Ø LOUVAÇÃO AOS BOIADEIROSE hoje no terreiro |Ó Deus salve esta casa santa Abençoa os filhos de Umbanda |Ó santa, ó santa Velho sábio verdadeiro |Onde Deus fez a sua morada Em nome de Oxalá |Morada, morada Nosso Senhor!>Onde mora o cálice bento|Eêê Boiadeiro, Eêê BoiadeiroE a hóstia consagrada >Tenda Caboclo Sete Cachoeiras127
  • 132. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ ZEZINHO Ø ZÉ MINEIROBoiadeiro na porteira Sou boiadeiro dos vagões da LeopoldinaBenedito na Aruanda Onde vim matar um boiChama o povo BoiadeiroLá pras bandas de MinasVem chegando de mansinhoZé Mineiro ê, Zé Mineiro áCasqueador Zezinho| Quimbanda boa como a de Minas não háVem Ogum de mansinho >Abrir pra mecê meu filhoØ ZÉ GAÚCHOTodos os seus caminho Ô Zé Gaúcho na estação da LeopoldinaEstava carreando boiØ NHÔ ZÉ DA PORTEIRALá pras bandas de MinasBoiadeiro, sou boiadeiroOi boiadeiro ê, oi boiadeiro ãNeste pampa sem igual Minha junta de dois pretosMeu reino é a coxilha E meus dois braços araçãMeu trono é meu bagualNão demande com meus filhosVem Nhô Zé, vem Nhô ZéQue eu também sei demandarBoiadeiro curandeiroBoiadeiro benzedorBoiadeiro curandeiroBoiadeiro rezadorVem Nhô Zé, vem Nhô ZéVem, vem cá nos ajudar >Ø CAPITÃOSou boiadeiro, sou sim senhorSou boiadeiro lá do sertãoConhecido como Zé do MatoMas o apelido é CapitãoSou caboclo de suporteSou temido como o trovãoProtegendo a boiadaCom meu cavalo alazãoBebo pinga e chimarrãoE como proteçãoTenho no meu peitoDeus nosso senhor128Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 133. BOIADEIROSPontos de Linha Ø 8.Boiada boa, boiada de São VicenteØ 1.Mas com tanto boi bonitoA abelha que faz o melMe mandaram um boi doenteTambém faz o samburáCaboclo pega tua flecha Ø 9.Não deixa outro tomar Cadê minha corda de laçar meu boiE e e, e e aO meu boi fugiu eu não sei pra onde foiGuerreiro joga a flecha para o ar Toma lá vaqueiroToma jaleco de couro>Ø 2.Na porteira do curralA menina do sobradoMandou me chamar por seu criado Ø 10.Eu mandei dizer a ela Ele veio de sertão correndo pela estradaEstou vaquejando o meu gado Estalando seu chicote, carreando suaOlô, boiadeiro, eu gosto de samba arrojadoboiadaØ 3.Ø 11.Abalei minha roseira para tirar do caminhoEm cima do meu lageiroNa aldeia de boiadeiro não se pisa em Eu bebi água no gravatá>espinho Sou boiadeiroEu bebi água no gravatáØ 4.Sou gentileiroAbre-te campestre que eu quero passarQuero ver o meu gado eu não sei onde ele está Ø 12.Estrela D’alva é minha guiaØ 5.Que alumia sem pararAi, ai, ai, valei-me Seu BoiadeiroAlumia a mata virgemQuem lhe pede ajuda agora Cidade do aiucáÉ um filho do terreiroAlumia a mata virgemCidade do JuremáØ 6.Boa noite, meus senhores> Ø 13.Dá-me licença para um Cavaleiro > Eu atirei, eu atirei ninguém viuEu morei em mata serrada> Só boiadeiro é quem sabeO meu nome é Caboclo Vaqueiro > Aonde a flecha caiu, eu atireiØ 7.Ø 14.Deus nos salve a casa santa Eu tenho meu chapéu de couroAonde Deus fez a morada Eu tenho a minha guiadaOnde mora o cálice bentoEu tenho meu lenço vermelhoE a hóstia consagrada Pra tocar minha vaquejadaTenda Caboclo Sete Cachoeiras129
  • 134. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ 15.Ø 23.Folha por folha na mangueira tem>Oi quem vem lá sou euMinha guiada e e, minha e aQuem vem lá sou eu> Boiadeiro sou euØ 16.Da laranja eu quero um gomoGetuá, getuá Do limão quero um pedaçoCorda de lançar meu boiDo caboclo boiadeiroGetuá, getuáCorda de meu boi laçar Ø 24.Bambeia, filho de pembaPedrinha miudinhaQue o boiadeiro já vai chegarPedrinha na Aruanda ê Lajeiro tão grandeØ 17.Tão grande na Aruanda êO Cruzeiro do Sul no céu Esse lajeiro é muito grandeAbençoe minha missão Oi de pedrinha miúda>Eu me chamo boiadeiroOi de pedrinha graúdaE só ando de pé no chão Ø 25.Ø 18.Olha a ponta do laço, boiadeiroO, lá nas matas lá na Jurema Boi de tocá, boi de tocáÉ uma lei severa, é uma lei sem pena Pra porteira do curralØ 19.Ø 26.O, na ponta do laço, o vaqueiroSeu boiadeiro por Deus eu lhe peçoBoi vem tocar,>Pela sua coroa realNa porteira do curralQue o Senhor saia da sua aldeia E venha dar um passeio por cáØ 20.O terreiro está enfeitadoØ 27.Meu Deus que zoada é essaSeu boiadeiro por aqui choveu >Boiadeiro está chegandoChoveu que água molhouVamos animar a festa Foi tanta água que meu boi nadou Na minha boiada me falta um boiØ 21.Oi me falta um ou me faltam doisOi boiadeiro que linda boiadaMas tá faltando boi na sua boiadaØ 28. Tava sentado na estação da LeopoldinaØ 22.Tava carreando boiQuem vem lá sou eu, o maior é Deus Lá pras bandas de MinasQuando a cancela bateu seu Boiadeiro sou Boiadeiro ê, boiadeiro á Boiada boa como a de Minas não há130 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 135. BOIADEIROSØ 29.Ø 34.Zai, zai, zai, boa noite meus senhores Meu Deus lá nas alturas |Zai, zai, zai, boa noite venham cá Meu pai é o boiadeiro >Zai, zai, zai, eu me chamo boiadeiro Oi chibata aqui, oi chibata láZai, zai, zai, aqui e em qualquer lugarSeu ponto é seguro e não pode falharNão nego meu natural Ø 35.Ø 30.Arreia boiadeiro, na boiada falta um boi >Meu Deus que barulho é esse |Arreia boiadeiro, chama que ele vemNão deixa ninguém dormir>É a alma do boiadeiroØ 36.Tá passando por aqui Ô boiadeiro, que horas você chegou Eu cheguei de madrugadaØ 31.Depois que o galo cantouAcorda Maria BonitaBoiadeiro ê, boiadeiro á>Levanta vai fazer o café Você volte amanhãQue o dia já vem raiando Depois que o galo cantarE a polícia já tá de pé Ø 37.Seu eu soubesse que chorando Pega o boi preto, amarra na porteiraTrago a sua imagem,Para tirar o couro para fazer pandeiroSeus olhos eram dois riosQuem não me davam passagem Chegou boiadeiro Que vem lá de AruandaCabelos negros aneladosMontado em seu cavaloOlhos castanhos delicadosCom seu chapéu na mãoQuem não ama cor morenaMorre cego e não vê nada Ø 38. Que campos tão verdesØ 32.Vejo meu gado todo espalhadoEu uso a faca, mas não é para desaforo Estou na mesa da JuremaAonde eu mato o boi, alí mesmo eu tiro o couro Estou avistando o reinadoSegura o touro que o mocotó é seuMeu Deus mas que suplícioPara ganhar carreira o que é que o boi lhe deu Me livre desta aflição Salve a mestra IracemaØ 33.A princesa e o príncipe JoãoÊ patrão, eu também sei carrearUm tal de boi vermelho Ø 39.Um tal de boi tatá Meu Deus, que zoada é essaPõe a ganga no boi preto Que eu não posso nem dormirPra puxar canaviáÉ zoada de boiadeiro passeando por aí >Tenda Caboclo Sete Cachoeiras 131
  • 136. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ 40.Músicas para Gira de BoiadeiroBoiadeiro meu amigo, meu amigo leal >Na passada da boiada fica o bem e sai o mal > Ø 1.Mas que lindo caboclo chegouØ 41. É um lindo caboclo ligeiroQuem vem lá é dois, dois de ouro| Saravá esta linda UmbandaA cancela do meio bateu > Aqui chegou o Caboclo BoiadeiroSou eu boiadeiro, sou euEle veio do sertãoBoiadeiro, boiadeiroCorrendo pelas estradasSua boiada esparramadaEstalando seu chicoteBoiadeiro pega a sua guia Carreando sua boiadaE vai ver sua boiadaAi, ai, ai meu Deus do céuAi, ai, ai Virgem MariaØ 42. Umbanda de BoiadeiroSeu boi ficou doenteVara o raiar do diaTá berrando no salãoCom tanta laranja doceØ 2.Seu boi foi chupar limãoTum, tum, tumBateu na porteiraTum, tum, tumBateu na cancelaChegou Boiadeiro de UmbandaMenina, saia desta janelaVestindo gibão de couroEle é bom versejadorVocê tá correndo perigo, moçaEle é bom namoradorEle é Boiadeiro da minaDa mina de ouro em póQuando a viola esquenta a umbandaSabe dançar até num pé sóØ 3. CAPIM DE RIBANCEIRANa madrugadaE eu na beira da estradaA lua cheia e minguadaE de repente apareceuUm cavaleiro de bota chapéu de couroMe lembrando o velho mouroE lá “fiquemos” ele e mais euCruzou os pés, “apiou” o seu cavaloDeixou a “rédia” num taloDe uma roseira sem flor132Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 137. BOIADEIROSDiz que seguia pelo mundo solitárioLá na mata a passarada|E quebrava todo galhoPrincipia o barulhão>Apartando toda dor Nesta viola, eu canto e gemo de verdadeQuem não ouviu falar Cada toada representa uma saudadeQuem não quis conhecer Lá no mato tudo é tristeAquele cavaleiro | Até o jeito de falarQue vive pela fronteira| Pois o Jeca quando cantaDivulgando a reza brava| Da vontade de chorarDo Capim de Ribanceira>E o choro que vem caindo|Enquanto o bule de café, bulia a brasa Devagar vai se sumindo|Da fogueira refletia o seu olhar Como as águas vão pro mar >Eu pude verNesta viola, eu canto e gemo de verdadeQue ele sabia coisa até do outro mundo E Cada toada representa uma saudadeessa noite eu fui alunoDo seu estranho poderØ 5.Com sete ponta de uma rama trepadeiraValei-me meu bom BoiadeiroE uma arruda e a piteira Dai-me forças pra tristeza suportarO meu corpo ele tocouVou soltar o nó da boleadeira, Boiadeiro|Naquele instante me bateu uma zonzeira Pra Prenda poder voar >E duma tosse cuspideiraToca o berrante, BoiadeiroO velhinho me livrou Toca forte que é pra Prenda escutarE quem não ouviu falar E guia a Prenda em segurança|Quem não quis conhecer Boiadeiro |Aquele cavaleiro|Pra plagas do Pai Oxalá >Que vive pela fronteira|Divulgando a reza brava| Ø 6. CÁLIX BENTODo Capim de Ribanceira>Ó Deus salve o Oratório > Onde Deus fez a moradaØ 4. TRISTEZA DO JECA* Oia meu Deus!Nestes versos tão singelos Onde Deus fez a morada, oiaaaMinha bela, meu amor Onde mora o cálice bento>Prá você quero contarE a hóstia consagradaO meu sofrer e a minha dor Oia meu Deus!Eu sou como o sabiá| E a hóstia consagrada, oiaaaQuando canta é só tristeza | De Jessé nasceu a vara>Desde o galho onde ele está> Da vara nasceu a flor,Nesta viola eu canto e gemo de verdade Oia meu Deus!Cada toada representa uma saudadeDa vara nasceu a flor, oiaaaEu nasci naquela serra E da flor nasceu Maria>Num ranchinho a beira-chão De Maria o Salvador,Todo cheio de buraco Oia meu Deus!Onde a lua faz clarãoDe Maria o Salvador, oiaaaQuando chega a madrugada | Tenda Caboclo Sete Cachoeiras133
  • 138. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ 7. ROMARIAØ 9. CHICO MINEIRORenato TeixeiraFizemos a última viagemÉ de sonho e de póFoi lá pro sertão de GoiásO destino de um sóFui eu e o Chico MineiroFeito eu perdido em pensamentos Também foi o capatazSobre o meu cavaloViajamos muitos diasÉ de laço e de nó Pra chegar em Ouro FinoDe gibeira o jiló Aonde passamos a noiteDessa vida cumprida a sol Numa festa do DivinoSou caipira, pira pora |A festa estava tão boaNossa Senhora de Aparecida |Mas antes não tivesse idoIlumina a mina escura|O Chico foi baleadoE funda o trem da minha vida >Por um homem desconhecidoLarguei de comprar boiadaO meu pai foi peãoMataram o meu companheiroMinha mãe solidãoAcabou o som da violaMeus irmãos perderam-se na vidaAcabou-se o Chico MineiroA custa de aventurasDepois daquela tragédiaDescasei, joguei, investi, desistiFiquei mais aborrecidoSe há sorte, eu não sei, nunca viNão sabia da nossa amizadeSou caipira, pira pora |Porque a gente era unidoNossa Senhora de Aparecida |Quando vi seus documentosIlumina a mina escura|Me cortou o coraçãoE funda o trem da minha vida >Vim saber que o Chico MineiroMe disseram porém Era o meu legítimo irmãoQue eu viesse aquiPra pedir em romaria e preceØ 10. MENINO DA PORTEIRA Teddy Vieira - LuizinhoPaz nos desaventosToda vez que eu viajavaComo eu não sei rezar Pela estrada de Ouro FinoSó queria mostrar De longe eu avistavaMeu olhar, meu olhar, meu olhar A figura de um meninoSou caipira, pira pora |Que corria abrir a porteiraNossa Senhora de Aparecida |Depois vinha me pedindoIlumina a mina escura|Toque o berrante seu moçoE funda o trem da minha vida >Que é pra mim ficar ouvindoQuando a boiada passavaE a poeira ia baixandoØ 8.Eu jogava uma moedaCaboclo, Caboclo BoiadeiroEle saía pulandoSua luz chegou aqui neste terreiroObrigado boiadeiroVamos saravar Caboclo boiadeiro Que Deus vá lhe acompanhandoPor este sertão afora134 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 139. BOIADEIROSMeu berrante ia tocando Morreu de sede meu alazão >Nos caminhos desta vida Até mesmo a Asa BrancaMuito espinho encontrei Bateu asas do sertãoMas nenhum calou mais forte Então eu disse: “Adeus Rosinha|Do que isto que eu passei Guarda contigo meu coração” >Na minha viagem de voltaHoje, longe, muitas léguasQualquer coisa eu cismeiNuma triste solidãoVendo a porteira fechadaEspero a chuva cair de novoO menino não avisteiPra eu voltar pro meu sertãoApeei do meu cavalo Quando o verde dos teus olhosNum ranchinho beira-chãoSe espalhar na plantaçãoVi uma mulher chorandoEu te asseguro, não chore, não, viu |Quis saber qual a razão Eu voltarei viu |Boiadeiro chegou tardeMeu coração >Veja a cruz no estradãoQuem matou o meu filhinho Ø 12. LUAR DO SERTÃO Catulo da Paixão CearenseFoi um boi sem coraçãoLá pras bandas de Ouro Fino Não há, ó gente ,ó, nãoLevando gado selvagem Luar como esse do sertãoQuando passo na porteiraÓ, que saudade do luarAté vejo a sua imagem Da minha terraO seu rangido tão tristeLá na serra branquejandoMais parece uma mensagemFolhas secas pelo chãoDaquele rosto trigueiro Esse luar da cidade tão escuroDesejando-me boa viagem Não tem aquela saudadeA cruzinha do estradãoDo luar lá do sertãoDo pensamento não sai Se a lua nasce por detrásEu já fiz um juramentoDa verde mataQue não esqueço jamaisMas parece um sol de prataNem que o meu gado estourePrateando a solidãoE que precise ir atrásE a gente pega na viola que ponteiaNeste pedaço de chãoE a canção e a lua cheiaBerrante eu não toco mais A nos nascer do coraçãoNão há, ó gente ,ó, nãoØ 11. ASA BRANCALuar como esse do sertão Luiz Gonzaga - Humberto Teixeira Coisa mais bela neste mundoQuando olhei a terra ardendoNão existeQual fogueira de São João Do que ouvir um galo tristeEu perguntei a Deus do céu, ai |No sertão se faz luarPorque tamanha judiação>Parece até que alma da luaQue braseiro, que fornalhaÉ que diz, cantaNem um pé de plantaçãoEscondida na gargantaPor falta d’água perdi meu gado | Desse galo a soluçarTenda Caboclo Sete Cachoeiras 135
  • 140. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaA quem me deraPorque já chorei demaisEu morresse lá na serra Hoje me sinto mais forteAbraçado a minha terraMais feliz quem sabeE dormindo de uma vez Só levo a certeza de que muito poucoSer enterrado numa grota pequeninaEu sei, ou nada seiOnde a tarde à sururina Conhecer as manhas e as manhãsChora a sua viuvezO sabor das massas e das maçãsNão há, ó gente ,ó, não É preciso amor pra poder pulsarLuar como esse do sertãoÉ preciso paz pra poder sorrirE preciso chuva pra florirØ 13. SOBRADINHOPenso que cumprir a vida Sá e GuarabiraSeja simplesmenteO homem chega, já desfaz a natureza Compreender a marchaTira a gente põe represaIr tocando em frenteDiz que tudo vai mudarComo um velho boiadeiroO São Francisco lá pra cima da BahiaLevando a boiadaDiz que dia a menos dia Eu vou tocando os diasVai subir bem devagar Pela longa estrada eu vouE passo a passo Estrada eu souVai cumprindo a profeciaConhecer as manhas e as manhãsDo beato que diziaO sabor das massas e das maçãsQue o sertão ia alagarÉ preciso amor pra poder pulsarO sertão vai virar mar |É preciso paz pra poder sorrirDá no coração|É preciso chuva pra florirUm medo que algum dia|Todo mundo ama um diaO mar também vire sertão >Todo mundo choraAdeus Remanso, Casa Nova, Sento SéUm dia a gente chegaAdeus Pilão Arcado, vem o rio te engolirNo outro vai emboraPor baixo d’água lá se vai a vida inteira Cada um de nós compõe a sua históriaPor cima da cachoeira Cada ser em si carrega o domO “gaiola” vai subirDe ser capaz, de ser felizVai ter barragem no salto do Sobradinho Conhecer as manhas e as manhãsE o povo vai se embora com medo O sabor das massas e das maçãsDe se afogarÉ preciso amor pra poder pulsarO sertão vai virar mar |É preciso paz pra poder sorrirDá no coração|É preciso chuva pra florirUm medo que algum dia|Penso que cumprir a vidaO mar também vire sertão >Seja simplesmenteCompreender a marchaØ 14. TOCANDO EM FRENTE Ir tocando em frenteAlmir Sater - Renato TeixeiraAndo devagar porque já tive pressaComo um velho boiadeiroE levo esse sorriso Levando a boiada136Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 141. BOIADEIROSEu vou tocando os dias Valente, lugar tenentePela longa estrada E o dono de gado e genteEu vou Porque gado a gente marcaEstrada eu sou Tange, fere, engorda e mataConhecer as manhas e as manhãs Mas com gente é diferenteO sabor das massas e das maçãs Se você não concordarÉ preciso amor pra poder pulsarNão posso me desculparÉ preciso paz pra poder sorrir Não canto pra enganarÉ preciso chuva pra florir Vou pegar minha viola Vou deixar você de ladoØ 15. DISPARADAVou cantar noutro lugarPrepare o seu coraçãoNa boiada já fui boiPras coisas que eu vou contarBoiadeiro já fui reiEu venho lá do sertãoNão por mim nem por ninguémEu venho lá do sertãoQuem junto comigo houvesseEu venho lá do sertãoQue quisesse ou que pudesseE posso não te agradar Por qualquer coisa de seu>Aprendi a dizer nãoQuerer mais longe que euVer a morte sem chorar Mas o mundo foi rodandoA morte o destino tudo Nas patas do meu cavaloEstava fora de lugar E já que um dia monteiEu vivo pra consertarAgora sou cavaleiroNa boiada já fui boi Laço firme, braço forteMas um dia me montei De um reino que não tem reiNão por um motivo meuNa boiada já fui boiOu de quem comigo houvesse Boiadeiro já fui reiQue qualquer querer tivesseNão por mim nem por ninguémPorém por necessidadeQuem junto comigo houvesseDo dono de uma boiadaQue quisesse ou que pudesseCujo vaqueiro morreu Por qualquer coisa de seu>Boiadeiro muito tempoQuerer mais longe que euLaço firme, braço forteMuito gado, muita genteØ 16. VAMOS DAR AS MÃOS*Pela vida segureiVamos dar as mãosSeguia como no sonho Vamos dar as mãosQue o boiadeiro era um rei Vamos láMas o mundo foi rodandoE vamos juntos cantarNas patas do meu cavaloNos sonhos que fui sonhandoØ 17. VIOLA ENLUARADA*As visões se clareando>bis A mão que toca um violãoAté que um dia acordei Se for preciso faz a guerraEntão não pude seguirMata o mundo, fere a terraTenda Caboclo Sete Cachoeiras137
  • 142. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaA voz que canta uma cançãoEste amor tão bonitoSe for preciso canta um hinoQue me faz pararLouva a morte Neste pedaço de chãoViola em noite enluaradaNo coração do sertãoNo sertão é como espada Encontrei meu lugarEsperança de vingança Tem peão de boiadeiroO mesmo pé que dançaQue vive a laçarUm sambaTem tanto amor verdadeiroSe preciso vai a luta Que nunca vai faltarCapoeiraLenda de animais e riosQuem tem de noite Aves, flores, desafiosA companheira Este é o meu lugarSabe que a paz é passageira E no final do diaPra defendê-la se levanta O fogo faz companhiaE grita: Eu vou E um violeiro tocaMão, violão, canção, espada Pra gente sonharE viola enluarada Aqui não se vê tristezaPelo campo e cidade Em meio a naturezaPorta-bandeira, capoeiraNo coração sertanejoDesfilando vão cantando É que é o meu lugarLiberda....de, liberda....deAndei, andei, andeiAté encontrarØ 18. LIBERDADE, LIBERDADE*Qualquer dia eu pego a estradaØ 20. REFAZENDA*Sem destino, sem parada Abacateiro acataremos teu atoPeito aberto, chuva ou solNós também somos do matoDe noite ou madrugada Como o pato e o leãoVou por onde o vento me tocar Aguardaremos, brincaremos no regatoVou soltar as asas pra voar Até que nos tragam frutosLiberdade, liberdade pra sonhar Teu amor, teu coraçãoSolidão não vai me impedirAbacateiro teu recolhimentoTenho mil razões para sorrirÉ justamente o significadoLiberdade, liberdade pra seguir Da palavra temporãoOs sonhos que sonhei pra mimEnquanto o tempo não trouxerSonheiTeu abacateAssim como ninguém sonhou Amanhecerá tomate e anoitecerá mamãoSonheiAbacateiro sabes ao queComo ninguém amou Estou me referindoAmei, amei, ameiPorque todo o tamarindoTem o seu agosto azedoØ 19. CORAÇÃO SERTANEJO*Cedo antes que janeiro, doce mangaAndei, andei, andei Venha a ser tambémAté encontrar Abacateiro serás o meu parceiro solitário138Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 143. BOIADEIROSNeste itinerário da leveza pelo arA me acompanhar(Amor)Abacateiro saiba que na refazenda Vim de longe léguasTu me ensinas a fazer renda Cantando eu vim(Me leva amor)Que eu te ensino a namorarVou não faço tréguasRefazendo tudo, refazenda | Sou mesmo assimRefazenda toda, guariroba >Por onde for quero ser seu parJá me fiz na guerraØ 21. ANDANÇA Por não saber(Me leva amor)Vi tanta areia andeiQue esta terra encerraA lua cheia eu seiMeu bem querer (Amor)Uma saudade imen..saE jamais termina meu caminharVagando em verso eu vim(Me leva amor)Vestido de cetimSó o amor me ensinaNa mão direita ro....sasOnde vou chegarVou levarPor onde for quero ser seu parOlha a lua mansa a se derramarNo passo da estrada (Me leva amor) Só faço andar(Me leva amor)Ao luar descansa, meu caminhar (Amor) Tenho a minha amadaSeu olhar em festa se fez feliz A me acompanhar(Amor) (Me leva amor) Vim de longe léguasLembrando a seresta Cantando eu vim(Me leva amor)Que um dia eu fiz Vou não faço tréguas Por onde for quero ser seu par Sou mesmo assimJá me fiz na guerraPor onde for quero ser seu parPor não saber(Me leva amor)Que esta terra encerraØ 22. CHALANA*Meu bem querer (Amor) Lá vai uma chalanaE jamais termina meu caminhar Bem longe se vai (Me leva amor) Navegando no remansoSó o amor me ensina Do rio ParaguaiOnde vou chegar Oh! Chalana sem querer Por onde for quero ser seu par Tu aumentas minha dorRodei de roda andei Nessas águas tão serenasDança da moda eu seiVai levando meu amorCansei de ser sozi...nhoE assim ela se foiVerso encantado useiNem de mim se despediuMeu namorado é reiOh! Chalana vai sumindoNas lendas do caminh...nhoNa curva lá do rioOnde andeiE se ela vai magoadaNo passo da estrada Eu bem sei que tem razãoSó faço andar(Me leva amor) Fui ingrato eu feriTenho a minha amada O seu meigo coraçãoTenda Caboclo Sete Cachoeiras139
  • 144. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ 23. ESTRADEIRO* O amor nasce no peitoBota de couro surrada Falsidade no olharCheiro de boi ou violaVocê nasceu para outroSonhos guardados na mente Eu nasci para lhe amarCom lábios de doce melaço Eu tenho o meu canarinhoPra todo canto que fosse, vivendo Que canta quando lhe vêDa cantoria, muito mais que dinheiroEu canto por tristezaBuscava farra e corriaCanário pode padecerNão quis ser o melhor sossego De saudade da florestaTrago de longe não sou louco poetaEu, saudade de vocêNem sou profeta ou mongeA viajar, viajeiØ 25.Viajar, viajei, viajar, viajeiPor ser de lá do sertãoEm carro de boi litorina |Lá do serrado, lá do interiorLombo de burro baguá |Do mato, da caatinga, do roçadoApiava em Porto Esperança|Eu quase não saioE pegava uma barca |Eu quase não tenho amigosDe “pranças” remando pro pantanal|E não consigo ficar na cidadeCantava em festas de reis|Sem viver contrariadoPuxando a romaria|Por ser de lá, na certa por isso mesmoCantei ao velho “pião” |Não gosto de cama moleFiz versos pra burguesia |Não sei comer sem torresmoE de quando, em quando |Eu quase não faloDono das terras falava |Eu quase não sei de nadaPique violeiro pois tem dinheiro |Sou como rés desgarradaE pousada eu |Nessa multidão, boiadaViajar, viajei |Caminhando a esmoViajar , viajei, viajar, viajei>Ø 26. CAVALO ENXUTO*Ø 24. MORENINHA LINDA*Eu tenho um vizinho ricoMeu coração tá pisado Fazendeiro endinheiradoComo a flor que murcha e caiNão anda mais a cavaloPisado pelo desprezoSó compra carro importadoDo amor quando se vai Eu conservo a minha tropaDeixando a triste lembrança O meu cavalo ensinadoAdeus para nunca mais O fazendeiro modernoMoreninha linda Só me chama de quadradoDo meu bem querer Namoramos a mesma moçaÉ triste a saudadeVeja só o resultadoLonge de você Um dia a moça falouO amor nasce sózinhoPra não haver discussãoNão é preciso plantar Vamos fazer uma aposta140Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 145. BOIADEIROSA corrida da paixãoQuilometros e milhas que vem e que vãoGranfino corre no carroPelo alto sertão que agoraVocê no seu alazão Se chama não mais de sertãoEu vou pra minha fazenda Mais de terra vendida civilizaçãoEsperar lá no portão Ventos que arrombam janelas e ArrancamQuem dos dois chegar primeiroporteirasVai ganhar meu coração Espora de prata riscando as fronteirasEle calibrou os pneusQue nem teu cavalo maculando fartoApertou bem as arruelasAndando ligeiro um abraço apertado eEu ferrei o meu cavalo Um suspiro dobrado não tem mais sertãoQue tem asas nas canelas Os caminhos mudam com o tempoO granfino entrou no carro Só o tempo muda um coraçãoPulei em cima da selaSegue seu destino boiadeiroEle funcionou o motorQue a boiada foi no caminhãoE fechou bem as janelasA fogueira a noite, redes no galpãoChamei o macho na espora O paiero a moda o mate a prosaBem por baixo das costelas Saga a sina o causo eEu entrei pelos atalhosOnça tem mais não oh! PeãoPulando cerca e pinguela Tempos e vidas compridasQuando terminou o asfaltoPó, poeira e estradaEle entrou numa esparrelaHistórias contidas nas encruzilhadasNuma estrada boiadeira E noites perdidas no meio do mundoToda cheia de cancelaMundão cabeludo onde tudo e florestaCheguei no portão primeiro E campinas silvestres mundão caba nãoDei um beijo na donzelaSabido um bom viajante nada e distanteQuando o granfino chegou Pro bom companheiroEu já estava nos braços dela Não conta dinheiroO progresso é coisa boaExiste uma vida uma vida vividaReconheço e não discutoSentida e sofrida de vez por inteiroMas aqui no meu sertão Que esse é o preço por eu ser brasileiroMeu cavalo é absolutoOs caminhos mudam com o tempoFoi Deus e a naturezaSó o tempo muda um coraçãoQue criou esse produto Segue seu destino boiadeiroEssa vitória foi minha Que a boiada foi no caminhãoE do meu cavalo enxuto A fogueira a noite, redes no galpãoA menina hoje vive O paiero a moda o mate a prosaNos braços deste matutoSaga a sina o causo e A onça tem mais não oh! PeãoØ 27. PEÃO*Diga você me conhece Ø 28. HOMENS DE PRETO*Já fui Boiadeiro Os homens de preto trazendo a boiada VemConheço essas trilhasrindo, cantando, dando gargalhadaTenda Caboclo Sete Cachoeiras141
  • 146. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaE o bicho coitado não pensa em nadaPortera se acha aberta, anda gadoSó vem pela estrada direito a charqueada Vai entrandoDeus, Deus, Deus, Deus, Deus, você vêO meu cavalo de suor está moiadoOs homens de preto trazendo a boiada Vem Meu cachorro está cansadorindo, cantando, dando gargalhadaMaria tá me esperandoDeus, Deus, Deus, Deus, Deus, você vêEre boiOs homens de preto trazendo a boiada,Anda ligeiro esta caindo uma garoaVem rindo, cantando, dando gargalhadaRe-re-re boiE o bicho coitado não pensa em nadaAnoitecendo não quero vê gado atoaSó vem pela estrada, vem berrando> bisO gado coitado nasceu foi marcadoAí vai condenado na estrada berrandoA querência deixando os homens Malvadoscorrendo e gritandoØ 29. VAQUEIRO PREVENIDO*Re-re-re boiAnda ligeiro está caindo uma garoaRe-re-re boiAnoitecendo não quero vê gado atoaEu vi Maria dizendo prum BoiadeiroQui juntá gado de tardeÉ trabaio verdadeiroPois o estouro vive sempre com a boiadaVaquero cum gado juntoTem medo da estouradaEre boi, anda ligeiroEsta caindo uma garoaRe-re-re boiAnoitecendo não quero vê gado atoaJá faiz treis dias garrote novo fugiuEntrando na capoeiraNa caatinga ele sumiuToim meu guia encontrou a caiporaNo matagal se perdeuToim vem chegando agoraEre boiAnda ligeiro esta caindo uma garoaRe-re-re boiAnoitecendo não quero vê gado atoaJá são seis horasOs bezerros estão berrando142 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 147. BOIADEIROSSubida de BoiadeiroØ 1.Com a licença do SenhorCom a licença da SenhoraVem rompendo a madrugadaBoiadeiro vai emboraØ 2.Mais adeus, aleluia, adeus>Vou pra Jurema|Quem vai embora sou eu>Ø 3. FELICIDADE*Felicidade foi se emboraE a saudade no meu peito ainda moraE é por isso que eu gosto lá de foraPorque sei que a falsidade não vigoraA minha casa fica lá detrás do mundoAonde eu vou em um segundoQuando começo a cantarO pensamento parece uma coisa atoaMas como é que a gente voaQuando começa a pensarFelicidade foi se embora... >Ø 4. MARCAS DO QUE SE FOI*Este ano quero paz pro meu coraçãoQuem quiser ter um amigoQue me dê a mãoO tempo passaE com ele caminhamos todos juntosSem pararNossos passos pelo chãoVamos láMarcas do que se foi|Sonhos que vamos ter|Como todo dia nasce novo|Em cada amanhecer, oo > Tenda Caboclo Sete Cachoeiras 143
  • 148. 1.540 Pontos Cantados de Umbanda144 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 149. POVO DO ORIENTEPontos Individuais Pontos de LinhaØ ORI Ø 1.Ori, Ori, Ori do orienteLá no Pólo NorteForça de Zambi chegou Onde tudo é gelado>Lá no oriente uma luz brilhou Tem um povo esquimóE no terreiro tudo iluminou Que conhece a lei da Umbanda>Lá na Groelândia onde tudo é geladoØ ZARTU Onde tudo é nevadoOri, Ori, Ori do oriente, uma estrela brilhou Tem um povo esquimóÉ Zartu, chefe indiano que aqui chegouQue conhece a lei da Umbanda>Ø ZARTU Ø 2.Um clarão apareceu no céu | São João Batista, vem, vem, vem minha genteAi meu Deus, o que será > Vem chegando de AruandaÉ Zartu, chefe indiano| Salve o povo cor de rosaCom sua falange vem nos ajudar> Salve os filhos de UmbandaSão João Batista vem, vem, vem minha genteØ ZARTU Vem chegando de AruandaZartu vem de tão longe| Salve fé e caridadeVem trazendo aquilo que eu lhe pedi > Salve o povo de UmbandaAfirma nossas cabeças |E não deixa nossa fé cair > Ø 3.Nossa Senhora me dê sua mãoØ COROA VERDE Vem ajudar esses filhos seusEle tem coroa de ouro, ele tem coroa de rei Vem ajudar em meus trabalhosE tem coroa verde, que tem coroa também Em nome do menino DeusØ 4.Ø CHARLES Mãe Maria vem das águas do marEu vi uma estrela brilhar Trazer a benção da Mãe YemanjáÉ Charles, chefe indianoE com ela vai levarQue aqui chegou Toda demanda pro fundo do marPara nos auxiliar Pros seus filhos vai deixarA estrela de YemanjáØ MESTRE KAAB Que brilha com as águas do marKaab veio com a força da luzTrazendo a fé somente na cruz Ø 5.E ele é quem nos conduz De quando em quandoCom grande brilho pra Jesus Quando eu venho de AruandaTrazendo Umbanda pra salvar filhos de féÔ marinheiro olhas as costas do marÔ Japonês, ô Japonês, olha as costas do marTenda Caboclo Sete Cachoeiras145
  • 150. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ 6.Ø 10.Sou marinheiro, eu sou marinheiro Na luz do Sol nascenteSou marinheiro, sou marinheiroHá um povo muito bomE navego nas ondas do mar São Mestres do OrienteEgum, Egum, Egum, É Timbiri Da falange de OrionEgum lá nas ondas do Oriente, iáMas quando Zambi vem de Aruanda, iá Ø 11.Para salvar os filhos de Umbanda, iáOri, ori, OrienteSou marinheiro, eu sou marinheiro Três estrelas brilham no céuSou marinheiro, sou marinheiroTrês estrelas em glória a DeusE navego nas ondas do mar Salve os Reis MagosQue cobrem com o véuØ 7.Todos os filhos seusJesus e Maria, São João e São JoséSão Pedro abriu as portas Ø 12.A todos que tem féOri, ori, OrixáOh, São Miguel ArcanjoSalve a falange do CristoPor Deus quem sois, quem és Salve as hostes de JesusRogai ao Nosso PaiSalve os caboclos de OxaláPra guardar a nossa fé. Salve o Povo do OrienteØ 8.Ø 13.Chim, chim, chimOriente é longe mas perto estáÉ da china que ele vemQuando teu povo chega pra trabalharChim, chim, chim,É do povo que faz o bem Ø 14.Os caminhos estão fechadosChim, chim, chimFoi meu povo que fechouChinês chega pra trabalharSaravá Buda e ConfúcioChim, chim, chimSaravá meu Pai XangôChinês quer te ajudar Saravá Povo ChinêsQue trabalha direiitinhoØ 9.Saravá eu, Seu Fecha CaminhoMelkior, Baltazar e GasparSão os Magos lá do OrienteØ 15.Que visitaram nosso SenhorSamurai chegou>Levando os seus presentes Com sua espada branca |Como prova de eterno amor Samurai saravou |A nós também visitamSamurai chegou|Trazendo sua benção Samurai entrou>No incenso, mirra e bejoimCom sua bandeira brancaFirmando nossa proteção Samurai saravou...146Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 151. POVO DO ORIENTE SubidaØ 1.Povo do Oriente, Oriente chama>Vai com Deus, Oriente chama >Ø 2.Vieram do OrienteCom a força de OxaláAjudaram toda a gentePara lá eles vão voltarTenda Caboclo Sete Cachoeiras 147
  • 152. 1.540 Pontos Cantados de Umbanda148 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 153. CIGANOSAberturaØ SAUDAÇÃO AOS ELEMENTOS DO POVO CIGANO Salve o Sol!Salve a Lua!Salve o Fogo!Salve os Ventos!Salve os Caminhos Abertos! Salve as Pradarias!Ø RECONHECIMENTO CIGANOSalve as Campinas!Cigano, nosso pranto é de alegriaSalve as Estrelas!Felicidade é sentir-se livreDe caminhar por esses camposE sentir a emoção dominar o coraçãoØ HINO DE SANTA SARASalve Sara, protetora dos ciganos Nossa gente vai semearEstamos aqui para lhe pedir E nesta terra deixar raizVem abrir nossos caminhos Nosso amor irá brotarNos mostre uma luz para prosseguirNo coração deste paísTanta luz iluminandoEstes campos estão floridosAs cores do arco-íris Com o luar é mais bonitoÉ Santa Sara que está chegandoLindo sol vai aquecerPra abençoar o povo ciganoAo chegar o amanhecerNossa luta é constanteLiberdade vamos crescerPra defender a liberdadeNesta terra tão queridaMinha Santa nos ajude Encontramos acolhidaA merecer esta felicidade Lutaremos até vencerSanta Sara iluminai nossos caminhos Ciganos, um abraço de uniãoA nossa fé, nos ajude a construir Vamos todos dar as mãosLeve esta prece, com os nossos destinos Finalmente reconhecidosPara um mundo melhor que há de virNesta terra como irmãosLiberdade vamos crescerTenda Caboclo Sete Cachoeiras 149
  • 154. 1.540 Pontos Cantados de Umbanda Ciganos - Pontos Individuais Ø CARLOSTodos os Ciganos são assimØ MANOLOGiram o mundo sem pararManolo vem no terreiroGostam de ficar sob o luarVem saravar os seus filhos no Congá De frente ao fogo a bailarQuando ele vem já é noite De frente ao fogo a cantarE só vai embora quando o dia clarearØ RAMIREZØ PABLO DAS TRÊS TRINDADESDe longe eu vimEu vi um formoso Cigano Caminhei sete pedreirasSentado na beira do rio Passei por cachoeirasCom seus cabelos negros Onde mora Aieiê>E os olhos cor de anilLá na campina onde a lua é prateadaQuando eu me aproximava Sou cigano na alvoradaO cigano me chamouSou cigano, eu sou mais eu>Com seus dados nas mãosO cigano me falou Ø RAMONSeus caminhos estão abertos Na gira dos Ciganos Ramon vem trabalhar >Na saúde, na paz e amor,Ao brilhar a lua ele vem cantarFoi se despedindo Na gira dos Ciganos Ramon vem trabalharE me abençoou Na força do fogo gira mundo sem pararEu não sou daqui, mas vou levar saudades, Na gira dos Ciganos Ramon vem trabalharEu sou o Cigano Pablo, lá das TrêsTrindades.Ø RAIKOPor todos os caminhos que meus pés pisaramØ PABLO DA ESTRADAPor todas as estradas de minha jornadaLongo foi o meu caminho Sou Cigano Raiko |Andei nesse mundo, andeiGuerreiro de todas armadas>Sou um andarilhoCom a força da Lua, brilho de luarSou cigano, hoje eu sei Cigano é guerreiro, cigano vai lutarSei que ao caminharCumpro minha missão Ø THALLIUMDou o meu axé Cigano Thallium chegou agora |A quem me estender a mãoE já é hora de vir trabalhar >Todos me chamam Pablo Cigano> E ele veio de muito longeO céu e a terra são sua moradaØ PABLO DA ESTRADAPelos caminhos onde passouCorre gira o cigano pela estrada sem pararCom o seu lenço, punhal de ouro eleSeu destino é de andarilho mas amor tem pra dar firmouNo perfume da firmeza, no pó da tranquilidadePablo Cigano nos dá paz e Felicidade150 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 155. CIGANOSØ WOYSLERØ XAPANÃPelos caminhos ele irradia|Uma estrela clareou o céuToda magia do seu cristal >Uma estrela clareou o marGalopando, galopando|Uma estrela clareou o mundo inteiro,Galopando na linha do vento >XapanãCigano Woysler, chefe de aldeiaUma estrela tomou conta do CongáOs corações ele incendeiaE vem chegando os ciganos de AruandaCigano Woysler sua energia Com suas tesouras cortando todo o malTranscende a vidaE aqui seus manos de barraca, XapanãNos traz a paz Vêm trabalhar pra ajudar filhos de UmbandaGalopando, galopando|Galopando na linha do vento >Ø FELIPE DI CARLO Ei.... brincos de princesa tilintando no arØ FIRMEZA DA GIRA DO CIGANO WOYSLEREi.... é Felipe Di Carlo que aqui vai chegar>Cigano Woysler chama teu povoPra louvação a Santa SaraØ PABLOCigano Woysler firma tua giraCigano vem bailar, vem bailar, vem bailarCom alegria e muita pazCigano vem bailar na gira de barôCigano Woysler vem e irradia Com Pablo a te mirar>Toda magia do seu cristal>bisÀ Lua não te deixa tombarØ JUAN Ø PIETROHoje é noite de lua cheiaPietro de Santa MariaPovo cigano vem aí Valente soldado de cavalariaVem trazendo seus mistériosCigano de sangue, de lenço na mãoPovo igual eu nunca vi Arqueiro em combate por profissãoJuan fala de amorCom violão a tocarEle é cigano JuanAqui ou em qualquer lugarØ RAMONEstrada de Luz, amores Ciganos |Mistério e Magia nas marcas do tempo >Cigano Ramon ele vem cantado|Com o brilho da Luz ele vem trabalhar >Com a Força do Fogo |Com a Força do Vento|Ele é Ouro e Prata|Ele vem ajudar>Tenda Caboclo Sete Cachoeiras 151
  • 156. 1.540 Pontos Cantados de Umbanda Pontos de Linha Ø 7. Cigano, amigo da Lua >Ø 1. De noite faz farra, de dia anda na rua >Pisa firme Cigano| Andar, andar, andar,Quero ver o seu dançar > Vendendo ilusões para algazu comprar >Pois na roda de Cigano | Porque Cigano tem a força da Lua >Ninguém pode balançar> Se você podia, não devias prometer Se você prometeu, você tem que pagarØ 2. Se você não pagar, jamais vai andarCigano bate o pé, cigano bate o pé |Cigano entra na roda | Ø 8.Pra salvar filhos de fé> Povo Cigano faz sentir sua energiaQuem vem de lá | Com sua magia e alegria de cantarQuem vem de cá | Com a força da lua e a luz do diaSão Ciganos que vêm bailar > Com a natureza eles sabem trabalhar Povo Cigano sabe o segredo |Ø 3. Com a força da fé|Cigano, tu tens a força da lua Ninguém vai nos derrubar >Tu vens aqui na rua cantar a tua paixãoCigano, teus olhos são fascinantes | Ø 9.Arreda todo o mal que causa tanto desalento> Deu meia noite o sereno cai Cai, cai, o sereno caiØ 4. Sereno de CiganoLinda rosa no jardim amanheceu Cai, cai, o sereno caiMinha mãe está chamando e lá vou euEu sou Cigano, eu sou Cigano na aldeia Ø 10.Eu sou Cigano e Cigano não bambeia Acampamento do povo cigano Tem alegria, brilho e liberdadeØ 5. Tem pedraria, tem pradariaDe onde eu vim, caminhei sete pedreirasPovo unido que vive em liberdadePassei por cachoeirasTodos os brilhos do povo ciganoOnde mora aiê-iê>Ele ganhou em sua caminhadaLá na campina onde a lua é prateadaBrilho de sol, brilho de luaSou cigano na alvorada Brilho de Zambi que iluminou sua jornadaEu sou cigano, eu sou mais eu > Ø 11.Ø 6. Quando Zambi andou no mundoTodos os Ciganos são assim Seu Cigano segura seu reinadoGiram o mundo sem pararOlha espinhos da roseira |Gostam de ficar sob o luar Cigano não deixa seus filhos cair>De frente ao fogo a cantarDe frente ao fogo a bailar152 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 157. CIGANOSØ 12.Ø 16.Numa noite de luar A fogueira a faiscarEstão os Ciganos a cantarVamos todos acelerarNuma noite de luar A magia é contagianteEstão os Ciganos a bailarSua presença é constanteSe queres fazer um pedidoNesta noite de luarOu fazer uma oferendaDançaremos até o raiarPara o Povo Cigano A madrugada está chegandoTem que ser numa noite de luar A fogueira se apagando A festa já vai terminarNuma noite de luar Agora só resta sonharEstão os Ciganos a cantarNuma noite de luar Ø 17.Estão os Ciganos a bailarDizem que bom cabrito não berraOs Ciganos gostam de viver Dizem que povo cigano não erraUma vida sempre a caminhar Te dei amor, te dei trabalho, te dei saúdeNo sereno está o seu prazerSe não era isso, então o que eraDe cantar numa noite de luar Ø 18.Numa noite de luar Cigano forte que vem chegandoEstão os Ciganos a cantarDe belo porte, vem saravandoNuma noite de luar Ele é valente, é bom de brigaEstão os Ciganos a bailarDesmancha tudo, desfaz intrigaØ 13.Ø 19.Se meu pai é o rei Cigano quando chega na giraO meu pai é OxaláEle vem sambandoSou o cigano de pembaEle vem dançandoFilho da estrela do marTrazendo a sua magia Na fantasia que vem usandoØ 14.Ouçam quem está chegando(palmas) Ø 20.São os ciganos que estão cantando (palmas) Eles têm a malícia no olharVamos todos cantar | A magia da dançaVamos todos bailar>O mistério do LuarCom os ciganos trabalhar(palmas) A natureza fica toda em festa Porque tem cigano neste CongáØ 15.Oi lua ê, oi lua ê, oi lua Ø 21.É lua cheiaSou cigano eu sou da leiO povo cigano vem trabalharAqui vim pra trabalhar Quem quiser melhorar É só pedir para os ciganosTenda Caboclo Sete Cachoeiras 153
  • 158. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ 22.DemandaO povo quando chega do orienteÉ uma festa para nossos coraçõesØ 1.Essa banda que nos deixa tão contente Eu bem que avisei pra você não jogarSão os ciganos, desfazendo ilusõesEssa cartada comigoVocê jogou no valeteØ 23. E eu joguei na damaPovo Cigano faz sentir sua energiaAmigo você não me enganaCom sua magia e alegria de cantar Essa linda ciganaCom a força da Lua e a luz do dia Vem trabalhar na UmbandaCom a natureza eles sabem trabalharPovo Cigano sabe o segredoCom a força da fé ninguém vai nosderrubarØ 24.Toda riqueza que tu tens é muito poucaPorque te falta o principal que é o amorDe que adianta o colibri voar a toaSe no jardim não encontra a sua florO que é o rio sem o marO que é o Sol sem ter a LuaDe que vale o trovador cantarSe é deserta toda a ruaTudo nessa vida tem um parMas você quis ser a exceçãoAmigo, o dinheiro nesta vidaCompra tudo, aiMas não compra coração154Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 159. CIGANOS Ciganas - Pontos Individuais Ø MADALENAEra uma noite de luaØ BIA Uma estrela incandescente apareceuCigana, cigana eu sou|Seu brilho forteSou Bia, do bem e do amor>Povo cigano enxergou e logo compreendeuCom a luz na estrela guia Era a Cigana esperança, a Cigana criançaEla faz sua magia Que chegava para ajudar aos filhos seusMadalena...Madalena>Ø CARMEM DO ORIENTEA estrela da Cigana CarmemØ MAMA ROSAQue lá do Oriente brilha sem pararVem chegando a Rosa no terreiroEssa estrela ela traz em seu peitoA rosa do canteiroE toda a Umbanda ela vem clarearNão tem a sua luzClareia, estrela formosaVem trazendo a cor do seu povoDa Cigana Carmem que é astro seuAmarelo e o roxo,E como uma estrela do Oriente É o vermelho e o azulIlumina os caminhos que Cigana acolheuE azul é o céu do Cigano|Mama Rosa chegando|Ø CARMENCITA DA CAMPINA Me dá sua mão >É das campinas que ela vem pra trabalhar>É a Cigana Carmem | Ø MARIA CIGANACarmencita das Campinas > Mandei buscar na AruandaCom a força da lua, do fogo e do sol> Maria Cigana para trabalharEla vem pra trabalhar >É a Cigana Carmem | Ø MARIA CIGANACarmencita das Campinas > Ao som de um lindo violino ciganoMaria Cigana chegouØ CLARITA Cantando uma linda melodiaClarita cigana da roda, cigana faceiraQue na calada Omolú lhe ofertouVem me ajudarCom seu encanto, tocando pandeiro Não sei se era noiteTrazendo amor e a paz Não sei se era diaEla é bonita, ela é da gira|Só sei que na caladaGirando, girando, vem ajudar >Uma linda melodiaØ CIGANA JUANITAØ ROSALINAEla dança pra lua e também pras estrelasEm uma grande campina, numa noite de LuaTrabalha na campina é cigana faceiraSentada junto ao fogo está a Cigana RosalinaÉ cigana bonita, vem na lei da Umbanda |Com a força da Lua, com a força do FogoEla é Juanita, saravá sua banda>Cigana Rosalina estende sua ajudaCigana Rosalina, Rosalina de SevilhaCigana da Campina, Cigana Rosa, Rosalina Tenda Caboclo Sete Cachoeiras155
  • 160. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ ROSITAØ SOLEÁ (GITANA SOLEÁ)Rosita é uma moça bonitaDe las cuevas de GranadaQue usa vestido de chita, e vem para girarCon el fuego de su raza...Colar, brinco e pulseira, pra todos agradar Viene por los olivaresÉ a Cigana Rosita | Hilando rayos de plataQue vem pra trabalhar>Trae la magia de la lunaØ SALUMAY en sus dedos filigranasSaluma, jovem ciganinha La Gitana Soleá danzando|Longos cabelos, lindas trancinhas Toda la tribu cantando|A sua dança traz a magia| Gitana... Gitana>Com muito encanto | Va cortando maleficiosE grande euforia> En su chal está el secretoSaluma, jovem ciganinha Caracolas en su pechoTraz pra você a paz Y en sus manos sortilegiosE muita alegriaLa Gitana Soleá danzando|Ø DO SERENO Toda la tribu cantando|Cigana, Cigana vemGitana... Gitana>Cigana vem trabalharEla é a Cigana do SerenoØ SORAIAQue vem para seus filhos ajudar Soraia você é Cigana lindaEla é bonita, ela é faceira Aonde estás que você não veio ainda?Gosta de brincos, colar, muitas pulseiras Mas ela vem no balanço do marCabelos longos, pele morena Vem das calungas, ela vem beirando o marAté a lua admira sua belezaØ TÂNIAØ SEZANITASe você sentir a beleza das campinasAo som de um violino cigano | Verá uma Cigana junto às flores a rezarA cigana Sezanita chegou> Salve Jesus Cristo e a Virgem MariaDançando uma linda melodia| Que nos protege, nos ajuda e nos guiaQue um cigano apaixonado lhe ofertou> É a Cigana Tânia da AndaluziaNão sei se era noite| Saúda seu povo e também vem trabalharNão sei se era dia| A Cigana Tânia vem trazer sua amizadeSó sei que era bela a melodia > Traz felicidade, muita fé, muita emoçãoA força Cigana nunca vai emboraØ SILVANA Fortalece a fé em DeusDa campina vem Silvana| E em Nossa SenhoraPois foram me chamar >A Cigana Tânia vai chegar agoraCom a força da lua, do Fogo e do solSua mão amiga dá amparo ao coraçãoSeguindo as estrelas ela vem pra trabalharCom sua energia ela agora está aquiSalve Silvana que chegou pra trabalhar >156Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 161. CIGANOSØ DOS VENTOS Ø LENITAO vento vai trazer uma ciganaLenita é uma moça bonita >Que as flores da campina vão vergarDe saia rodada |São uma, são duas, são três flores Ela gosta muito de água borbulhante>De onde seu perfume vai tirarQuando cheguei na aldeiaSenti um aroma de rosasHavia uma cigana formosaQual cigana eu encontreiLevanta a saia oh ciganaNão deixe a saia arrastarA saia custa dinheiroDinheiro custa a ganharØ ZAÍRACigana, Cigana ZaíraCigana das sete linhasCigana dos andarilhosQue vem aqui trabalharCigana, Cigana ZaíraCigana dos encantadosJogou as cartas na mesaE disse que vai me ajudarØ ZOYHACaminhando pela campinaVi cigana Zoyha chegarTrazendo sorte e alegriaPara seu povo contagiarØ CARMÉLIACom força e com féCarmélia chega a seus pésCom força e com féMostraremos como é que é que se deve pisarAjudaremos a andarAndar com os pés no chãoNa terra pisaremos com féE com fé chegaremos ao céu de péCom os pés de andarilho e mãos de mulherTenda Caboclo Sete Cachoeiras157
  • 162. 1.540 Pontos Cantados de Umbanda Pontos de LinhaØ 7.Ela é uma Cigana faceira, ela éØ 1.Ela é das Sete LinhasCigana, ela vem dançandoE não é do CandombléEla vem mostrando sua dança no terreiroCom sua saia rodada, sua bota prateadaEla vem de muito longePra espantar os feiticeiros Os seus filhos ajudarEla vem de muito longeØ 2.Saravar neste CongáEla é Ciganinha |Da sandália de pau> Ø 8.Ela faz o bem, ela faz o bem| Eu bem que avisei|Nunca faz o mal > Pra você não jogar esta cartada comigo >Ø 3.Você apostou no ValeteGanhei uma barraca velha| E eu apostei na DamaFoi a Cigana quem me deu> Amigo, você não me engana|O que é meu é da Cigana | Essa linda Cigana vem|O que é dela não é meu> Trabalhar na Umbanda >E a cigana puerêO puerê, o pueráØ 9.Numa noite de lua, uma linda CiganaØ 4.Passeava na rua e sorria ao luarLevanta a saia, oh Cigana Ela era formosa, era dona da rosaNão deixa a saia arrastar>A saia custa dinheiro Ø 10. CAMINHANDO PELA RUADinheiro custa a ganhar Caminhando pela rua eu te vi >Cigana eu me enamoreiØ 5.Cigana eu me enamorei por ti >Vinha caminhando a pé, a pé |Para ver se encontrava| Ø 11.Uma linda Cigana de fé >Quando cheguei na aldeiaEla parou e leu minha mão, leu minha mãoSenti um aroma de rosasE disse toda a verdadeHavia uma rosa formosaMas eu só queria saber onde estava| Qual cigana eu encontreiAquela linda Cigana de féØ 6.Ø 12.Cigana que vem dançando Eu sou cigana da EspanhaQue vem dançandoA minha gira eu possoSua dança de terreiro Mas eu não sei o que há|Com sua saia rodada Filho de cigano nasceu pra ganhar>Sua bota prateadaPra acabar com feiticeiro158Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 163. CIGANOSØ 13. Ø 15.Meu Congá não me engana Na beira do mar ela desceuMeu Congá me falouSaldando Oxum MaréEssa moça é ciganaOh ! Cigana criançaAtotô quem mandou Sarave o fogo e o céuNa barro do ouro de Iansã Ø 16.A grota que banha Oxalá Ela é uma cigana faceira, ela éA pedra que senta NanãEla é das sete linhasA pérola de Egunitá E não é do CandombléSanto Antonio entrou na dança Ela vem de muito longeDança de OmolocôOs seus filhos ajudarDeu a mão a uma criança Ela vem de muito longeQue era filha de XangôSaravar neste CongáNo pandeiro fez magia Ø 17.Pra cigana ler a mãoAo acender uma fogueiraDona Pérola é guiaTraz sorte cantarDo anel de São Miguel Destacou-se uma ciganaNa beira da praia ela desce E alegremente se pôs a dançarCom sua corrente de féNesta festa coloridaNa beira da praia ela sobeEsta canção foi escolhidaSaudando Oxum na maré Novos passos a ensaiarAté a dança começarØ 14. Nossa gente está dançandoTu sabes, oh princesa Outros pares se formandoO que vai em meu coraçãoA fogueira a faiscarSabes também que a beleza Vamos todos acelerarSe consegue com o perdãoA magia é contagianteÉs linda e formosa, Sua presença é constanteTrabalha só para o bemNesta noite de luarCom o prêmio de uma rosa, Dançaremos até o raiarDá muito a quem não temA madrugada está chegandoSalve a corrente cigana A fogueira se apagandoQue vai aqui chegar A festa já vai terminarEla vem em caravana Agora só resta sonharPra esse povo ajudarProve agora que tens fé,Ø 18.A Deus peça o seu perdãoSou índia, sou índiaQue eles mostram pra você,Sou índia, eu sou ciganaAliviando teu coração Na minha aldeia eu sou índiaNo Egito eu sou cigana Tenda Caboclo Sete Cachoeiras159
  • 164. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ 19. SubidaCigana, leia a minha mãoConta o meu destinoØ 1.Fale com carinho da minha desilusãoOh que lindo cantareiro Oh que lindo sariráCigana, com teus olhos tão puros Até os passarinhos choram|Me ajude a compreender Quando os Ciganos acenam |Essa Lei chamada ExpiaçãoDizem adeus e vão embora >Cigana, conta com jeitinhoFale bem baixinhoØ 2.Se serei feliz ou nãoSe precisar de mim | É só mandar chamar >Ø 20.Os Ciganos vão embora|Eu vi dentro de um campo Mas logo irão voltar >Uma cigana passarEu vi entre os ciganos Ø 3.Uma cigana acenar, auê, auê, auê Cigana seu perfume é do Oriente Onde tuas correntes iluminamCigano mora aonde quer morar Segue pois oh Cigana minha amigaTraz o seu lenço preso na cinturaSegue, segue os seus caminhos|Cigano é bom e pode lhe ajudar Traz pra mim os teus perfumes> Ø 4. Eles chegam dançando Trabalham sambando E vão embora saravando Diz adeus a toda a gente Vão embora pro Oriente E Oxalá iluminando Chora, minha gente, chora Chora, minha gente Os ciganos vão embora160 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 165. CIGANOSTenda Caboclo Sete Cachoeiras 161
  • 166. 1.540 Pontos Cantados de Umbanda162 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 167. EXÚ & POMBA GIRA Virada para QuimbandaØ TRANCA GIRASeu Tranca Gira vai firmar seu ponto |Com licença da Umbanda |Aqui nesse terreiro>Pra Quimbanda eu vou virar >Deu meia-noite na lua, deu meio-dia no sol >Vou chamar todos os Exús |Para todo o mal levar>Ø TRANCA GIRAOi, dá licença ê, oi, dá licença á |Seu Tranca Gira me cubra com sua capaOi, dá licença ê, pra fechar nosso congá >Quem tem sua capa escapa>Desci, desci, a Umbanda me chamou>A sua capa é um manto de caridadeNa minha banda sou maior |Sua capa cobre tudo só não cobre a falsidadeOxalá ainda é maior>Ø AMARRA NÓA bananeira que plantei à meia noiteE que deu cacho no meio do terreiro Pontos Individuais Eu quero ver esse cabra ser valenteAtirar o ponto contra feiticeiroØ SR. OMOLÚ Exú se chama Amarra Nó |Meu Pai Oxalá é o rei venha me valer >Arrebenta o papo da galinha carijó >O velho é Omolú, Atotô Abaluaê >Ø ARRANCA TOCOAtotô Abaluaê, Atotô Babá|Oh! Meu Senhor das AlmasAtotô Abaluaê, Atotô é Orixá >De mim não faça poucoPorque eu sou Exú, Exú Arranca TocoØ SR. OMOLÚHá quanto tempo eu andava lhe procurando> Ø BELÉMAbaluaê Atotô > Exú Belém toma conhaque, meu povoE toma conta do que temØ SR. OMOLÚ Mas ele é o Exú BelémUm passarinho cantava Que toma conta do que temE de repente ele voou, voouUm velhinho caminhava pela estradaØ BRASASeu Omolú adotou. Com ele ninguém podeNinguém leva pra casaØ TRANCA GIRA Que é que tá na giraSeu Tranca Gira é rei lá na calunga|Ele é Seu Exú BrasaSem este Exú não se pode fazer nada>7 velas encruzadasØ CALUNGAEm cima daquela tumba Hei, hei, hei, CalungaSaravá Seu Tranca GiraLá no cemitério Exú Calunga é o ReiSalve o povo da calunga Com Calunga não se brincaExú Calunga quando não mata, trinca Tenda Caboclo Sete Cachoeiras163
  • 168. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ CALUNGA Ø CAPA PRETACalunga, Calunga, Calunga AruêTodo Exú já saravouSeu povo é da Quimbanda Todo Exú já curimbouSeu povo quer trabalhar Onde está Seu Capa PretaQuem é que pode com o rodamoinhoQue ele ainda não chegouQuem é que pode com as ondas do marSou eu que posso, sou o rei da QuimbandaØ CAVEIRASou Exú Calunga, sou Povo do MarPortão de ferro cadeado de madeira>Quem é que está na gira é o Seu Caveira >Ø CAMPINACampineiro ê, rere, campineiro á >Ø CAVEIRASaravá Exú Campina, laroie, é mojibá >De onde vem Exú CaveiraEna, ena, é mojibá, ê, é mojibá De onde vem o Senhor do CemitérioMas ele vem zoando, zoandoØ CANTAGALO Pra quebrar toda a demandaDeu meia-noite, o galo canta na calunga > Exú Caveira vem chegandoCantagalo está chamandoOs filhos pra trabalhar Ø CAVEIRAJá chegou a hora grande Oi, Caveira, oi, CaveirinhaVamos todos saravar Oi, Caveira, oi, CaveráQuem não pode com a mandingaØ CAPA PRETANão carrega patuáCom faca de dois gumesTem mironga no CongáNinguém pode brincarQuem não pode com a mandingaCom faca de dois gumesNão carrega patuáNão se pode brincarChegou Seu Capa Preta|Ø CAVEIRAQue vem trabalhar>Portão de ferro, cadeado de madeira >Na porta do cemitério |Ø CAPA PRETAQuem manda é Exú Caveira>Ao ver Exú na encruzaCom ele não se meta Ø CAVEIRAÉ ali que ele trabalhaUnha grande, braço forteO reino é de Capa Preta Exú Caveira vem trazendo a sorteØ CAPA PRETAØ CAVEIRASão sete sinosCatacumba pegou fogoTodos os sete já bateramE o defunto deu na carreiraOnde está seu Capa PretaE no portão do cemitério|Que inda não apareceu Está sentado Exú Caveira>164Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 169. EXÚ & POMBA GIRAØ CAVEIRINHA Ø GARGALHADACatacumba tremeu, a cruz caiuRi, quá, quá, quá, |Caveirinha saiu para passear Ai que linda risada que o Exú vai dar>Ele pediu conhaque, lhe deram pingaOi que linda risada que o Exú vai darEle pediu punhal para cortar mandingaMas que linda risada, é de quá, quá, quáØ CAVEIRINHA Ø GERERÊExú Caveirinha venha trabalhar É uma casinha no mato,|Levanta dessa tumba faz pedra rolarTem telhado de sapé >Na mão esquerda a foiceNão tem porta nem janela|Na cinta o punhalCasa de Exú, Exú Gererê >Não sai da linha manoPra não se dar mal Ø GIRA FOGO Girou lá na encruzaØ CIGANO Girou e vai cruzarEssa cartada ninguém vai ganharGirou Seu Gira FogoO vencedor acaba de chegar Na quimbanda vai girarSalve Exú Cigano que veio de láGira raio gira luaE junto com ele eu vou girar Gira fogo na encruza Gira nessa alegriaØ DO CONGO Girou e vem girar >O pinto piou na calungaO galo cantou lá na Angola Ø GIRA MUNDOSeu Congo que vem de Carangola Eu quero ver correr |Trazendo miçangas na sua sacolaEu quero ver balancear>Botando o inimigo da porta pra foraChegou Seu Gira Mundo Na Quimbanda vai girarØ DO FOGOValha-me meu Santo Antonio>Ø GUERREIROQue se defende não é boboGalo cantou na beirada do terreiroEu me valho com ExúSaravá toda a encruzaValho-me com Exú do Fogo Saravá Exú GuerreiroØ GANGAØ JOÃO CAVEIRAEu fui no mato, oi Ganga João Caveira vem, vem me ajudar >Cortar cipó,oi Ganga Mironga é boa só pra quem sabe girarEu vi um bicho, oi Ganga Eu corro o céu, eu corro a terra, eu corro oDe um olho só oi Ganga marNão era bicho,oi Ganga Também corro a encruzilhadaNão era nada, oi Ganga Para todo o mal levarEra um Exú, oi GangaDe um olho só,oi Ganga Tenda Caboclo Sete Cachoeiras165
  • 170. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ JOÃO CAVEIRAØ LALÚAbram alas que aí vem Seu João| Lalú era um anjo do céuCom sua caveira na mão >E do céu foi despejadoEle vem da calunga, ele vem no congáNa tronqueira da Calunga |Mas ele vem pra ver seus filhos que o amamExú Lalú tem seu ponto firmado >Mas ele vem pra trabalhar O seu ponto é firme, ele é Exú >Exú LalúØ JOÃO CAVEIRAA porta do inferno estremeceu Ø DO LODOVeio todo mundo para ver quem é Cambone segura a gira|Era João CaveiraPai de Santo segura o Congá>Com a mulher de Lúcifer Retentor segura o atabaque |Que Exú do Lodo vai arriar >Ø JOÃO CAVEIRAØ DO LODOAbram alas que vem Seu João | Deu uma ventania,oi GangaCom sua caveira na mão> No alto da serraEle vem da Calunga, ele vem comandarE era o Exú do Lodo, oi GangaMas ele vem Que veio para a terraPelos seus filhos que o chamamØ MANGUEIRAMas ele vem pra trabalhar Viva as almas, viva a coroa e a féOi, viva Exu das AlmasØ JOÃO CAVEIRAQue ele é seu Mangueira de féSeu João Caveira que linda garoaOi, viva as almasQue tá caindo lá no cemitérioÉ chuva grossa com chuva miúdaØ MANGUEIRASeu João Caveira lá na catacumbaExú ganhou garrafa de marafoE levou na capela pra benzerØ JOÃO CAVEIRASeu mangueira correu e gritouMas ele mora na pedra dourada Na batina do padre tem dendê, temOnde não passa água Tem dendê, na batina do padre tem dendê >Onde não brilha o sol,Mas ele é João Caveira auêØ MANGUEIRAO Exú das almas da calunga êExú trabalha de péNão se senta na cadeiraØ JOÃO CAVEIRAGosta de beber marafoQuem nunca viu, vem ver De brincar com seu garfoSeu João Caveira desceSaravá Exú MangueiraDe madrugada na calunga Ø MARABÔNo cruzeiro das almas Oi eu taí, oi eu taí |É Exú quem trabalha Quem foi que me chamou >Olha lá que eu sou Exú,|Me chamam Marabô >166Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 171. EXÚ & POMBA GIRAØ MARABÔØ MARABÔÉ de Marabô, Marabô de sinhá> Na porta do cemitárioPra poder chamar ExúEu vi um moleque sóExu é de querer, querer > A pular de cova em covaA procura de um coraçãoØ MARABÔMas que moleque é aquele, é Seu MarabôNas porteiras das CalungasNos campos de MaraboØ MARÉCorre, corre toda a encruza ô Na beira da praia deram um grito de guerraSeu Marabô é quem chegou Exú êEscutai cá na terra o que é, o que éÉ o povo quimbandeiro que vem lá do lodoØ MARABÔSaravá Exú, Exú Maré, Exú MaréExú Marabo é bom sinháØ DAS MATASJá mandei chamar ExúEu vi um clarão nas matasExú Marabô, é bom sinhá E pensava que era diaEra o Exú das MatasØ MARABÔQue fazia sua magiaEle é Marabô, Exú Marabô, Exú MarabôNa quimbanda ele é Doutor Ø DAS MATASQuando esteve aqui na terra muitas ele aprontou Exú das Matas já chegouEnganava, trapaceava, a muitos prejudicou Lá do alto da serra Exú foi coroadoEle é Marabô, Exú Marabô, Exú MarabôCom seu ponteiro de guerraNa quimbanda ele é Doutor Ilumina o mundo, ilumina o mar, ilumina a terraMas ele foi castigado Que o Exú não traz jamaisDepois que desencarnouA lua vai o sol clareiaPras trevas foi mandado A estrela volta e o Exú fica na aldeiaPagar o mal que aqui causou Ø DAS MATASEle é Marabô, Exú Marabô, Exú MarabôSoltei um pombo lá nas matasNa quimbanda ele é Doutor Na pedreira não pousouDas trevas foi resgatadoFoi pousar na encruzilhadaA Quimbanda ele aceitou Exú das Matas quem mandouE hoje paga os seus pecadosServindo a Nosso Senhor Ø DA MEIA NOITEEle é Marabô, Exú Marabô, Exú MarabôExú da Meia Noite, Exú da encruzilhada >Na quimbanda ele é Doutor Salve o povo de QuimbandaSem Exú não se faz nadaØ MARABÔExú vem da encruzilhada ele é Seu MarabôØ DA MEIA NOITECorre, corre a gira, Marabô Seu Meia-Noite na encruzaExú Tiriri de Ronda, quem mandou ExúGalo canta, gato miaQuem trabalha com ExúNão tem hora, não tem diaBusca sempre a melhoriaTenda Caboclo Sete Cachoeiras 167
  • 172. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ MORCEGOØ PINGA FOGOO céu escureceu| Pinga Fogo lá na encruzaExú bateu asas na calunga> Pinga Fogo lá na serraVoou, voou,| Abre a porta genteExú Morcego saravou> Pinga Fogo tá na terraØ MORCEGOØ PORTEIRAEstava amanhecendo Portão de Ferro |Vi um morcego no arCadeado é de madeira>Pedi a proteçãoNa porta do cemitério |De nosso pai Oxalá Onde mora Exú Porteira>Ø NANGUÊ Ø PORTEIRABalança Figueira3> Portão de ferro, cadeado de madeira >Eu quero ver Exú Nanguê> Exú toma conta, Exú presta contaCadê Exú Nanguê| Seu Exú fecha a nossa porteira>Que eu não vejo ele aí > Ø PORTEIRAØ PAJÉ FEITICEIROQuando eu chegoFiga com fita e gato preto Eu abro e fecho a portaDente de cabra em saco de couroEu sou Exú PorteiraTem mandinga no terreiro | Que alivia as demandasChamei Pajé Feiticeiro > Quem quiser que venha verAuê Pajé, auê Pajé Eu estou pra mostrarTem mandinga no terreiro Eu vejo a demandaChamei Pajé Feiticeiro E depois vou desmancharØ PERNETAØ QUEBRA GALHOQuem é esse negrinho Exú, pisa no toco, pisa no galho|Que vem da barra-funda De um galho só>Ele é Exú PernetaExú se chama Quebra Galho |Perneta da Calunga Pisa no toco, pisa no galho | De um galho só>Ø PIMENTATodo mundo querØ REISó a Umbanda é que agüenta Estava curiando lá na encruza |Chega, chega no terreiro Quando a Umbanda me chamou>Chega, chega Exú Pimenta Exú no terreiro é rei | Lá na encruza ele é doutor>Ø PINGA FOGO Exú quebra a demanda|Não bata na pedra, da pedra sai fogo > Exú é curador >Quem é que está na gira é Seu Pinga Fogo >168Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 173. EXÚ & POMBA GIRAØ ROMPE MATO Ø SETE ENCRUZILHADASNa beira do mato tem mandingaVou passar na 7 encruzaNa beira do mato tem dendê E o Seu Sete saraváNa beira do mato tem despachoVou deixar o meu despachoQue fizeram pra você Pro Seu Sete trabalharNo meio do misticismoEu estou muito doenteVocê precisa aprenderE com a vida embaraçadaVai falar com Rompe Mato Saravá Seu Sete EncruzaQue ele vai te defenderRei das 7 encruzilhadasØ SANTO ANTÔNIOØ SETE ENCRUZILHADASSanto Antônio de batalha As curas do Seu Sete EncruzilhadasFaz de mim batalhadorTêm uma beleza raraCorra a gira Pomba GiraO Seu Sete começa aonde a medicina páraTranca Ruas e Marabô Mas ele cura mesmo? Cura sim senhorØ SETE CAPAS Ø SETE ENCRUZILHADASEu sou Seu Sete Capas, Dizem que Exú só bebe e dá risadaDono das 7 encruzilhadas Mas ele é Exú das Sete EncruzilhadasComigo não quero graça,Sete de Nagô que só tem mistérioEu não sou de caçoadaMas ele é Exú das Sete EncruzilhadasØ SETE CATACUMBASØ SETE ENCRUZILHADASNo corredor do inferno Seu Sete Encruzilhadas|Eu vi Sete CatacumbasVai chegar pra trabalhar|Girava num pé só A mironga dos seus filhos |Pulava toda macumbaO Seu Sete vai levar>Lá no cemitérioO Seu Sete Encruzilhadas|Sete Catacumbas gemeuJá chegou pra trabalhar |Saravou sua encruzaA mironga de seus filhos|E levou o mal que é seuO Seu Sete vai levar>Ø SETE CRUZEIROS 7 + 7 + 7 = 21|Eu corri o mundo inteiro Saravá toda a encruza |Sem saber seu paradeiroUma vez de cada umEu corri sete calungasEncontrei Sete Cruzeiros Ø SETE ENCRUZILHADAS Era meia-noite|Ø SETE CRUZESQuando o malvado chegou >Sete Cruzes no cruzeiroCorre gira, corre giraEstá para nos ajudar Vai chegar a madrugadaSeu marafo e seu dendê Salve Exú, salve ExúEle gosta de cuidarDas Sete Encruzilhadas>Tenda Caboclo Sete Cachoeiras 169
  • 174. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ SETE ENCRUZILHADASØ SETE DA LIRAEm cima daquela mesa tem 7 facas cruzadas O que vós fizeram por mim Seu Rei da LiraEle é o Exú, ele é o Exú das Sete Encruzilhadas Oxalá lhe dê em dobroSó o bem constrói, só o amor constróiØ SETE ENCRUZILHADASSaravá Seu Rei da Lira que o mau destróiÉ para quem tem fé>Quem tem Seu Sete não anda sozinhoØ SETE DA LIRAÉ o Exú da encruzilhada Está formada a corrente, a corrente do amorQue ilumina meus caminhos Entrelacemos os braços emanados com fervorSeu 7 está curando os males de OroxumØ DAS SETE CALUNGAS E nessa hora de um por todos e todos por umElegbaráBará laroiê>Seu 7 Rei da Lira é meu protetorSou Exú das Sete Calungas Seu 7 sara e cura, cura a minha dorPra quem for do mal, tremerNão atravesse o meu caminho Ø SETE DA LIRASe não quiser se perder Assim não dá lhe dá>ElegbaráBará laroiê>Você bebe para esquecerCorri sete cemitérios Mas também bebe para lembrarPro inimigo vencerO Seu Sete Rei da LiraMas não deu nem sete dias Só bebe para trabalharPus o bicho pra correr. Aonde está Seu Sete, está no canaviáEstá trabalhando pra nos ajudarØ SETE DA LIRASou Exú, trabalho no cantoØ SOL E LUAQuando canto desmancho quebrantoMadrugada vai alta,Sete cordas tem minha viola Pensamento distante,Vou na gira de lenço e cartolaEu vejo um homem na esquina,Viola é tridente> Que me faz um sinal,Cigarro é charuto, bebida é marafoSou Sete da LiraEu vou andando na rua,Derrubo inimigo, ponteiro de Aço. > Nessa noite deserta,E quem é esse homem,Ø SETE DA LIRAÉ o Exu Sol e Lua,Tenho 7 no meu corpoSeu sorriso me encanta,|Tenho 7 no chaveiro Seu olhar me seduz,|Tenho 7 meu amigo,Vou abrir seus caminhos, |Me herói, meu companheiro Com amor e muita luz.>Tenho 7X7, 7000, 77Tenho 7 velas acesasØ TATÁ CAVEIRATenho 7 no valete Portão de ferro, cadeado de madeira>Quem é que está na gira é Tatá Caveira >170 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 175. EXÚ & POMBA GIRAØ TATÁ CAVEIRA Ø TIRIRIGargalhou na porteiira ecoou na CalungaExú não vem no clarão do SolÉ o Tata Caveira Ele só vem no romper da Lua Saravá o Exú TiririØ TATÁ CAVEIRA Que é rei da madrugadaEle vem, ele vem, ele vem |Junto com seu Tranca RuasEle vem é de outro mundo>É Seu Tata Caveira|Ø TIRIRIEle vem quebrando tudo>Quando Tiriri casou Um grande banquete haviaØ TIO JOÃO Tinha farofa amarela, espinhela de peixe |Abram alas que vem Tio JoãoE o gato lambia>Com sua caveira na mãoEle vem das calungas Ø TONIQUINHONo terreiro ele vem trabalharPedra rolou em cima da samambaia >Seus que não andam direito Em cima do ToniquinhoDele não vai escapar Balança mas não caia Seu Toniquinho no morro foi batuqueiro>Ø TIRA TEIMA Batucava noite e diaGanga êh, lê, lê, Ganga êh, lá, lá>Derrubando feiticeiroGira com Ganga é malelê |Exú Tira Teima é mojubá >Ø TONIQUINHO Deu uma ventania,oi gangaØ TIRIRI No alto da serraTiriri, faca de pontaMas era seu Toniquinho,oi gangaOlha a capoeira que querem te pegarQue veio na terraOlha a moça que gosta de sambaOlha o moço que quer batucar Ø TONIQUINHOAruê, aruê, aruê, aruê, aruê, aruá Exú Toniquinho Entra em qualquer cantinhoØ TIRIRI Ele é pequenininhoExú Tiriri de UmbandaTira todo cavaquinhoDono da encruzilhadaRisca o ponto, presta contas Ø TRANCA RUAS DAS ALMASAo romper da madrugada Quando o galo cantaO mal que aqui entrouAs almas se levantam e o mar recuaEle entrou e vai sairÉ quando os anjos do céu dizem amémPegou ele pelo raboE o pobre do lavrador diz aleluiaE entrega pro Tiriri Diz aleluia, diz aleluia | Seu Tranca Ruas diz aleluia>Tenda Caboclo Sete Cachoeiras171
  • 176. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ TRANCA RUAS DAS ALMASØ TRANCA RUAS DAS ALMASO sino da igrejinha faz Belém, blem, blom> Estava dormindoDeu meia noite, o galo já cantou A Umbanda me chamouSeu Tranca Ruas que é dono da gira Se levanta minha genteOi corre gira, que Ogum mandou Tranca Rua já chegouØ TRANCA RUAS DAS ALMASQuando a Lua sairEle é capitão da encruzilhada, ele é Eu vou girar, eu vou girarEle é ordenança de Ogum, Chegou Tranca Ruas Pra todo mal levarOi salve o sol, oi salve o céu e salve a luaSaravá Seu Tranca Ruas Ø TRANCA RUAS DAS ALMASQue é dono da gira, que é dono da ruaEstava dormindo na beira do marØ TRANCA RUAS DAS ALMASQuando as Almas me chamaram para trabalharQuem é que desceu do reino, quem é?> Acorda Tranca Rua vai vigiarEle é Tranca Rua das Almas, ele é> O inimigo está invadindo a porteira do CongáØ TRANCA RUAS - PONTO DE TRABALHOPõe a mão nas suas armas e vai guerrearPoder, poder Tranca Ruas é quem traz > Bota o inimigo pra fora pra nunca mais voltarCuidado com o que diz|Tranca Ruas está por trás> Ø TRANCA RUAS DAS ALMASCuidado com o que faz| Na Lua nova ele fez seu pontoTranca Ruas está por trás> Na Lua cheia ele confirmou São Sete Estrelas, são sete LuasØ TRANCA RUAS DAS ALMASSaravá Ogum, saravá Seu Tranca RuasChegou na canjira de Umbanda |Seu Tranca Ruas> Ø TRANCA RUAS DAS ALMASQuem está de ronda é meu Pai > Já deu meia noite Tá na hora da QuimbandaØ TRANCA RUAS DAS ALMASSegura a gira ExúSeu Tranca RuasSeu Ogum é quem mandaMe cubra com sua capaTranca Rua está na terraQuem tem sua capa escapa > Veio combater demandaA sua capa é um manto de caridadeSalve o Povo da EncruzaSua capa cobre tudoSalve Exú e sua BandaSó não cobre a falsidade Ø TRANCA RUAS DAS ALMASØ TRANCA RUAS DAS ALMASQuem trabalha com as Santas AlmasOh! Luar! Oh! Luar! Olha os raios da Lua Não tem medo de assombraçãoEstá chegando na banda Seu Exú Tranca RuaSou filho de Tranca RuasSalve as Almas BenditasTenho as Almas no coraçãoDo cruzeiro das almasEstá chegando na bandaTranca Rua das Almas172Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 177. EXÚ & POMBA GIRAØ TRANCA RUAS DAS ALMAS Ø TRANCA RUAS DA MATACom 7 velas eu firmei meu ponto Seu Tranca Rua da MataE na encruza Exú me saravou Chama, chama que ele vemFirma seu ponto Seu Tranca Ruas|Ele é o Rei da Quimbanda na MataExú da linha de Seu Marabô >Chama, chama que ele vemLá no meio da macaiaØ TRANCA RUAS DAS ALMAS Seu Tranca Rua chegouViva as almas, viva a coroa e a féEle veio tirar despachoSalve Exú das Almas Que você pra mim deixouEle é Tranca Ruas de fé Seu Tranca Ruas da MataChama, chama que ele vemØ TRANCA RUAS DE EMBAÉSeu Tranca Ruas que nasceu no Mato Grosso Ø TRANCA RUAS DA MATAEle é filho de um xavante, ele é de Embaé Ouvi um barulho na mataMas o homem é Tranca Ruas de Embaé >Ai meu Deus o que seráÉ Seu Tranca Rua das MatasØ TRANCA RUAS DA ENCRUZILHADA Que veio trabalharNa sua encruza ele é o ReiNa sua banda ele é o Senhor Ø TRANCA RUAS DA MATAOi, salve o Sol, oi salve a Lua Seu Tranca Ruas nas forças da mataSalve toda a encruzilhada O seu Congá tem segurançaOi saravá Seu Tranca Ruas É nas tronqueiras que ele giraÉ meia noite que o galo cantaØ TRANCA RUAS DA ENCRUZILHADASeu Tranca Ruas me abra os meus caminhosØ TRONQUEIRAQue me foi trancado pelo povo pequenino Chegou na canjira de Umbanda|Saravá o sol, saravá a luaÉ Seu Tronqueira>Saravá a rua, saravá Seu Tranca RuasEstá de ronda meu pai >Ø TRANCA RUAS DA ENCRUZILHADA Ø VELHOEstá iluminando a sua banda|Encontrei com Exú velhoEstá cheirando flor em seu Congá >No alto do chapadãoSeu Tranca Ruas um pedido eu lhe faço | Comendo a jaca maduraMe abre as portas | Jogando a verde no chãoIlumina os caminhos por onde passo >Ø VELUDOØ TRANCA RUAS DA ENCRUZILHADA Eu sou Exú VeludoExú abre os caminhos, foi Xangô quem mandou E vim lá da QuimbandaTranca Ruas nas encruzilhadas Eu vim neste terreiroCorre a gira nas demandas Pra salvar filhos de UmbandaCorre a gira nas Quimbandas,Foi Xangô quem mandouTenda Caboclo Sete Cachoeiras173
  • 178. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ VELUDOPontos de LinhaSua capa de veludo quando veio, deixou láQuando dava meia noite Exú Veludo ia buscarØ 1.Inamojubá ê, inamojubá á Entrei no cemitério às onze horas do dia Exú se levantava e a catacumba tremiaØ VELUDO Din, din, don, a catacumba tremiaComigo ninguém podeExú se levantava e a catacumba tremiaMas eu posso com tudoNa minha encruzilhadaØ 2.Eu me chamo Veludo Quando vou ao cemitérioVeludo, Veludo, Veludo do MarPeço licença para entrarMeu povo é da QuimbandaEntro com o pé esquerdoMeu povo vem trabalhar Firmo a cabeça em OxaláØ VELUDO Mas eu saravo Omolú OmolúLá na mata deu um berroSeu Tranca Ruas tambémDerrubou cerca de aramePeço licença para as almasEstourou portão de ferro E ao povo do alémComigo ninguém podeØ 3.Mas eu posso com tudoExú pisa no toco, Exú pisa no galhoNa minha encruzilhadaO galho balança, Exú não caioi GangaEu me chamo Exú Veludo É ExúComigo ninguém podeEle pisa no toco de um galho sóE nem há de poderMas ele é ExúNa minha encruzilhadaEle pisa no toco de um galho sóSou mais forte que você Marimbondo pequeninoØ SEU ZÉ MARMELEIROBotou fogo no barraco oi GangaZé Marmeleiro é uma belezaEu nunca vi um neguinho assimÉ ExúZé Marmeleiro é uma beleza Ele pisa no toco de um galho sóEle é madeira que não dá cupim Mas ele é Exú Ele pisa no toco de um galho sóØ VIRA MUNDO Chuva forte não me molhaOh, cadê Vira Mundo, pemba>Sereno quer me molhar oi GangaTá no terreiro, oi pembaCom seu cambone, pemba Ø 4.Tá no terreiro, oi pemba Boa noite pra quem é da noiteCom seu cambone e pembaBom dia pra quem é do diaGalinha preta na encruzilhadaEu só queria que Deus me desseGato preto de madrugadaSeu Tranca Gira para ser meu guiaAzeite, dendê, farofa amarelaNego fez uma panela, oi174 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 179. EXÚ & POMBA GIRAØ 5. Ø 9.Cambono segura a cantiga | Oh! Meu Senhor das AlmasQue está chegando a hora > Ai, de mim não faça poucoSaravá toda a encruza| Olha lá que eu é ExúExú é quem manda agora > Eu é Exú Arranca Toco (do Lodo)Ø 6. Oh! Meu Senhor das AlmasÉ mojubá, Seu Exú Rei é mojibá Dizem que eu não valho nadaSeu Tranca Ruas na Quimbanda é mojibáOlha lá que eu é ExúÉ mojubá, Seu Tranca Ruas é mojibá Exú das Sete EncruzilhadasSeu Meia Noite no retorno é mojibáÉ mojubá, Seu Meia Noiteé mojibá Ø 10.Exú Veludo na magia é mojibá Oh! salve Exú, |É mojubá, Exú Veludoé mojibá Salve o rei da encruzilhada|É mojubá, Tata Caveiraé mojibá Que sem Exú, não se pode fazer nada>Exú Caveira na calungaé mojibá Tumba le-lê, tumba la-lá |É mojubá, Exú Caveira é mojibá Que sem Exú não se pode trabalhar>Seu Marabô na trunqueiraé mojibáÉ mojubá, Seu Marabôé mojibá Ø 11.Seu Pinga Fogo na demanda é mojibá Seu caboclo gira girandoÉ mojubá, Seu Pinga Fogoé mojibá Ora vamos saravá o terreiro de QuimbandaSeu Zé Pilintra lá nos trilhosé mojibá Quem manda, gira calungaÉ mojubá, Seu Zé Pilintra é mojibá No terreiro de QuimbandaO Exú Pimenta no terreiro é mojibá Tem barra fundaÉ mojubá, o Exú Pimenta é mojibáExú das Matas na macaia é mojibá Ø 12.É mojubá, Exú das Matas é mojibá Exú que tem duas cabeçasÉ mojubá, todo Exúé mojibá Ele faz sua gira com féLaroyê Exú,inaê mojibá Uma é Satanás no inferno A outra é Jesus de NazaréØ 7.Com sete velas, eu firmei meu pontoØ 13.E na encruza Exú me saravouTem morador, de certo tem morador>Firma seu ponto Exú Serpente Na casa que o galo cantaExú da linha de Seu Marabô Seu Exú é moradorØ 8. Na casa que o galo cantaEstava curiando na encruza | De certo tem moradorQuando a banda me chamou >Exú no terreiro é Rei| Ø 14.Na encruza, ele é doutor > Abre a porta da giraExú quebra demanda, Exú é curador> Deixa a gira girarExú no terreiro é Rei| São os filhos da QuimbandaNa encruza, ele é doutor > Que aqui vêm pra trabalhar Tenda Caboclo Sete Cachoeiras 175
  • 180. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ 15. Ø 20.Abre a porta do teu mundo Esse boi vermelho, oi CalungaE deixa esse povo entrarAmarra na porteira, oi CalungaO Exú é um povo amigo Pra tirar seu couro, oi CalungaEle só quer te ajudar E fazer pandeiro, oi CalungaEu tô cantando, eu tô louvandoEu tô pedindo a proteçãoØ 21.A esse povo de ExúEstava curiando na encruza|Meu camarada, meu irmão Quando a banda me chamou>Exú no terreiro é rei |Ø 16. Na encruza ele é doutor >Eu fui no mato,oi Ganga Exú quebra demanda, Exú é curador >Cortar cipó, oi Ganga Exú no terreiro é rei |Eu vi um bicho,oi Ganga Na encruza ele é doutor >De um olho sóoi GangaNão era bicho, oi Ganga Ø 22.Não era nada,oi Ganga Exú não brinca, Exú não é brincadeiraEra um Exú,oi Ganga Onze horas plantou bananeiraDe um olho só, oi Ganga Meia noite banana deu cachoBanana não madurouØ 17. Exú mandou bananeira abaixoO garfo de Exú é firmeA capa de Exú me rodeia Ø 23.Já passei na encruzilhada Exú que tem duas cabeçasVaguei pela madrugada, Exú não bambeiaEle faz sua gira com féUma é Maioral cá na terraØ 18. A outra é Jesus de NazaréBotaram um feitiço na encruzilhadaPra me derrubar Ø 24.Mas não adianta Exú vem dar proteçãoEu também sou de lá Pra nossa gira de UmbandaExú vem dar sua firmezaSe meu Pai é Ogum Em nome de toda a QuimbandaMinha mãe YemanjáVou falar com Exú Ø 25.Ele é meu compadre, ele vai me ajudar Foi na porteira da CalungaVocê tem que pagar, você vai pagarFoi nos campos de MarabôCorre, corre na CalungaØ 19. Foi Seu Exú...........quem chegouCambono segura a contiga|Que está chegando a hora>Saravá toda a encruzaExú é quem manda agora176Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 181. EXÚ & POMBA GIRAØ 26. Ø 31.Foi dentro da Calunga Eu mandei caiuáEu vi uma panela de Exú Eu mandei caiuá para todo o mal levarGalinha preta, farofa amarelaPescoço de galo, pena de urubuØ 32.Meia noite auê meia noiteØ 27. Meia noite o galo cantaMeu galo preto do pé amareloMeia noite o cabrito berraCanta, meu galo Meia noite a criança choraSó faz o que eu quero No portão do cemitérioNo pingo da meia noiteØ 33.Meu galo preto cantou Diabo velho eu vou serrar seu chifreEle veio tirar despacho Eu vou cortar seu rabo para Exú comerQue pra mim você deixou Com a sua língua eu vou fazer chicoteMeu galo preto do pé amareloPara dar dar nas costasCanta, meu galo De quem fala mau de mimSó faz o que eu queroØ 34.Porque nele tenho féQuem disse que o diabo é feioNa esquerda tenho o meu galoBonito que ele não éQue desmancha tudo com o pé Ele tem cara de homemCinturinha de mulherØ 28.O que é que eu dou pra ExúØ 35.Pra Exú comer Botaram na encruzilhadaUma farofa branca Um despacho para vocêCom azeite de dendê Uma galinha pretaCom azeite de dendêØ 29.Quem pensa que o céu é pertoÊ ê, quero ver você penarDas nuvens não vai passar Ê ,ê quero ver você sofrerTodos os Exús estão rindo Quem entra na macumbaDo tombo que vai levarTem que ter seu protetorPorque mais cedo ou mais tardeØ 30. Vai virar coro chochoEstava curiando na encruzaÊ ê quero ver você penarQuando sua banda me chamouExú no terreiro é Rei Ø 36.Na encruza ele é doutor Deu meia noite, deu meia noite jáExú pega demanda, exú é vencedorOlha o sapo que pula o lagoAndorinha que voa no espaçoExú queria ser doutorMas a mesa de Umbanda lhe chamou Tenda Caboclo Sete Cachoeiras177
  • 182. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ 37. EU TÔ DE PÉ SubidaQuando pensas que eu vou, eu ficoQuando pensas que eu fico, eu vouØ 1.Eu sou filho de Umbanda com muita fé Cambone, camboninho meu, meu cambone |Quando pensas que eu caio, eu tô de pé Olha que Exú vai ao ló>Nos caminhos por onde andeiVai, vai, vai meu Cambone|Tropecei, mas nunca fui ao chãoEle vai numa gira só>Sou igual a madeira de lei Ø 2.Ninguém vai me fazer de carvão Ogum mandou, te coroouE assim continuo a seguirFilho de pemba, pra Exú ir emboraNa corrente do mal, dando nó Miz AngolaE este seu olho grande, canalhaAuê, caminho de Angola(Ele) nunca vai me ver na pior Exú vai emboraQuando pensas que eu vou, eu ficoQuando pensas que eu fico, eu vouØ 3.Eu sou filho de Umbanda com muita fé Chora bananeira, choraQuando pensas que eu caio, eu tô de pé Chora bananeira, seu Exú já vai emboraEu só peço a DeusChorou bananeira chorouEstrada pra caminhar Chorou bananeira, seu Exú já saravouSem pedras no meu caminhoE sem espinhos pra pisar Ø 4.Que a luz divina Vai-te embora ExúVenha sempre me seguindo Não tropeça no caminhoQuando pensas que eu tô caindo | Passa no quintal dos outrosÉ aí que eu tô subindo > Mas não mexa com o vizinhoØ 38.Ø 5.Meu senhor do campo santoA Umbanda me chamouNas horas santas benditasNa Umbanda eu trabalheiQuem louva o povo de Exú Vou embora pra minha QuimbandaNão passa horas malditas Que minha Quimbanda me chamouØ 39.Ø 6.Exú chegou no reinoMaria, amarra que Exú vai emboraMeu Deus quero ver quem éMaria, amarra a saia que está na horaCom licença de Ogum >Candongueiro quando cantaChegou meu Exú de fé É sinal que está na hora Ø 7. Na beirada do caminho Esse Congá tem segurança Na porteira tem vigia Meia noite o galo canta178 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 183. EXÚ & POMBA GIRAØ 8. Pomba-Gira - Pontos IndividuaisPé, pé, péEncruzilhada já lhe chama Ø PONTO DE ABERTURAPé, pé, péUmbanda sua Rainha chegouEncruzilhada lhe chamou Umbanda mais uma estrela brilhouOi salve, salve as Pomba GirasØ 9.Que veio lá das encruzasQuando a Lua surgir Para salvar nossa giraEle vai girar Oi salve os seus ponteiros de açoLá vai Seu Tranca Rua Salve as suas tesourasPara todo mal levar Para cortar embaraçosUmbanda sua Rainha chegouØ 10. Umbanda mais uma estrela brilhouExú chegou e curiou Oi salve, salve as Pomba GirasVamos emboraQue veio lá das calungasPra Exú ir embora Para salvar nossa giraDiz Angola, auê Oi salve os seus ponteiros de açoCaminho de Angola Salve as suas tesourasSeu Exú já vai embora, auêPara cortar embaraçosØ 11. Umbanda sua Rainha chegouAdeus Umbanda Umbanda mais uma estrela brilhouAdeus lindo Congá Oi salve, salve as Pomba GirasEu vou me emboraQue veio lá das campinasMas eu torno a voltar Para salvar nossa giraOi salve os seus ponteiros de açoAdeus Umbanda Salve as suas tesourasUmbanda querida Para cortar embaraçosEu vou me emboraMas eu torno a voltar Ø MARIA PADILHAPadilha eu vou precisarDe um patuá e uma figa de guinéPadilha eu estou com mau olhado,Eu preciso ir á Bahia, cidade do CandombléSe for preciso farofa amarela eu douPra você tirar o mau olhado que eu estou >Ø MARIA PADILHAAonde é que a Maria Padilha mora >Ela mora na mina de ouroOnde o galo não cantaE a criança não chora Tenda Caboclo Sete Cachoeiras179
  • 184. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ MARIA PADILHAØ MARIA PADILHAPomba Gira é uma moça bonita,Ai como é linda essa nossa criaturaAnda do jeito que quer Eu por ela tenho loucuraÉ a Maria Padilha, rainha do Candomblé É linda como a lua, é bela como a aurora Eu daria tudoØ MARIA PADILHASó para ver Maria Padilha nessa horaExú Maria Padilha|Trabalha na encruzilhada > Ø MARIA PADILHARisca ponto, presta conta| Mas ela mora debaixo de uma roseiraAo romper da madrugada > Mas ela samba em cima de uma fogueiraPomba Gira, minha comadreÉ Maria Padilha, deu uma linda gargalhadaMe protege noite e dia Encontrou Seu Tranca-RuasTrabalhando na encruzilhadaNa primeira encruzilhadaCom sua feitiçaria Ø MARIA PADILHAØ MARIA PADILHADizem que a Padilha é uma rosaPadilha soberana da estradaQue a Padilha é uma rosaRainha da encruzilhada Que floresceu no meu caminhoE também do Candomblé, Dizem que a Padilha é uma rosaSuprema é uma mulher de negroQue a Padilha é uma rosaAlegria do terreiroEntão abra os meus caminhosSeu feitiço tem axéMas ela é, ela é, ela éØ MARIA PADILHA DA CAMPINAA rainha da encruza e mulher de Lucifer >Nos sete cruzeiros Ela é uma rainhaØ MARIA PADILHAEla tem a força de OmolúMoça me dá um cigarro do seu prá fumar | É o braço forte de Ogum MegêQue nem dinheiro eu tenho prá comprar >É o raio de luz de IansãVivo sozinho, vivo na solidão, | Ela é coroada de forçaMaria Padilha me dê a sua proteção>Ela é coroada de luzô moça, ô moça, ô moça me tira dessa poçaEla é Maria Padilhaô moça, ô moça, ô moça me dê a sua força Ø MARIA PADILHA DAS SETEØ MARIA PADILHA ENCRUZILHADAS DA CALUNGAMaria Padilha traz linda figa de ouro> Exú Maria Padilha, trabalha na encruzilhada >Oi, saravá rainha linda da Quimbanda |Sua proteção é uma tesouro > Toma conta, presta conta | Ao romper da madrugada >Ø MARIA PADILHAPomba Gira minha comadre |Aquela ventania oi Ganga Me protege noite e dia |Que sopra ao pé da serra E é por isso que eu zombo|Exú Maria Padilha oi Ganga Da sua feitiçaria>Que está firmando em terra180 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 185. EXÚ & POMBA GIRAØ MARIA PADILHA DAS SETE Ø MARIA PADILHA ENCRUZILHADAS DA CALUNGANos sete cruzeiros ela é uma rainhaSe alevante minha gente, Ela tem a força de OmolúMaria Padilha vai chegar É o braço forte de Ogum MegêEla é uma rainha bela e muito formosaÉ o raio da luz de IansãSe chama Maria Padilha das SeteEla é coroada de forçaEncruzilhadas da calunga Ela é coroada de luzE vem neste Congá pra trabalharEla é Maria Padilha Que na calunga tem muita luzØ MARIA PADILHA DAS SETE ENCRUZILHADAS DA CALUNGAØ MARIA PADILHA DAS SETE ENCRUZILHADASChegou neste Congá Ela parou na porta da gafieiraMaria Padilha das 7 Encruzilhadas da Calunga Ela parou mas não entrouTrabalha na UmbandaEla deu uma linda gargalhadaE na Quimbanda tambémMaria Padilha Rainha da EncruzilhadaAjuda o filho de féE arrebenta o inimigo também Ø MARIA PADILHA DO CABARÉSua magia é muito grande Juravam que me matavam|Sua bagagem é infinita Na porta de um cabaré >Tem força firmada no cruzeiros das almas Mas ela é Maria Padilha |E lá é rainha também Não mata porque não quer>Ø MARIA PADILHA DOS 7 CRUZEIROS DA CALUNGAGira Maria Padilha Ø MARIA MULAMBO (LIXEIRA)dos 7 Cruzeiros da Calunga Lá no morro tem, lá no morro há |Ela é Pomba-Gira, ela é Pomba-Gira Uma linda lixeira |Ela vem girar. Para a Mulambo morar>Gira Maria Padilha Bebe Mulambo, bebedos 7 Cruzeiros da Calunga Ensina os seus filhos a viverQuando ela gira, quando ela gira Gira, Mulambo, GiraÉ pro mal levarGira até o dia amanhecerSe você não acredita, nem a ela olhe Ø MARIA MULAMBO (ROSEIRA)Se você a olhar e ela não gostar Lá no morro tem, lá no morro há |Todo mal pode levarHá uma linda roseira, |Pois ela é Pomba-Gira que gira na UmbandaPra Mulambo se enfeitar >E na Quimbanda Gira, Mulambo, giraEla é Pomba-Gira que gira na Umbanda Gira pros seus filhos proteger, ê, êE na Quimbanda Trabalha, Mulambo, trabalhaGira Maria Padilha Trabalha até o dia amanhecerdos 7 Cruzeiros da CalungaOnde ela mora ela é rainha Tenda Caboclo Sete Cachoeiras181
  • 186. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ MARIA MULAMBOØ MARIA MULAMBOAquela rosa que plantei na encruzilhadaMaria Mulambo trazAquela rosa que plantei no meu jardimLinda saia com sete guizosMaria Mulambo, Maria MulherQuando roda nos terreirosMaria Padilha rainha do CandombléTrabalhando nas demandas Mostra que tem muito juízoØ MARIA MULAMBOOlha a saia dela, re rê| Ø MENINAÉ mulambo só > Pomba Gira Menina, Pomba Gira ela é >Sua saia tem sete metros | Gira, gira Menina, gira e vem trabalharSete metros é mulambo só > Gira, gira Menina, gira pra trabalharØ MARIA MULAMBOPomba Gira Menina, Pomba Gira ela é >Boa noite moça, boa noite> Pomba Gira Menina, vem, vem saravar >Dona Maria Molambo como eu lhe procurei> Pomba Gira Menina, Pomba Gira ela é >Andei, andei, andei| Firma, firma seu ponto, firma na encruzilhada >Hoje eu te encontrei >Ø MARIA MULAMBOØ MENINAQuem é essa moça Mas que menina linda,Que vem estalando osso por ossoMas que menina belaÉ Maria MulamboÉ Pomba Gira MeninaQue mora no fundo do poçoDebruçada na janela Ela é uma belezaØ MARIA MULAMBOÉ Pomba-Gira MeninaMas que caminho tão escuro Na demanda não bambeiaQue vai passando aquela moça Sua morada é na esquinaCom sues farrapos de chitaEstalando osso por ossoØ MARIA QUITÉRIA Quando eu bato palmasØ MARIA MULAMBOSaravá a encruzilhada >Os atabaques tocaram na encruzaSaravá Exú mulherPara saudar a Senhora Pomba GiraMaria Molambo, Maria Molambo Quando eu bato palmasMaria molambo que aqui vem trabalhar Saravá Maria Quitéria > Rainha da madrugadaØ MARIA MULAMBOAí vem Sá MariaMulambo, Mulambo, por onde você andou? Dando um axé no péFoi presa e acorrentadaBalançando a sua saiaFoi Tranca-Ruas quem salvou o seu amor Reforçando a nossa féQuem vir você sorri, pensa que é felizMas ela traz uma marca no peitoE só Deus sabe o porque182 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 187. EXÚ & POMBA GIRAØ SALOMÉO seu reino de princesa que bandeira Ø DAS SETE CATACUMBASSua corte real, vem saravarÊh, êh, êh, êh, êh, ahVamos todos receber Pomba Gira SaloméAgüenta a gira, segura o pontoEla gira, ela girá no Congá, saraváDeixa a gira girar Êh, êh, êh, êh, êh, ahØ ROSA BRANCAA Pomba Gira acaba de chegarRosa branca, rosa vermelha e amarela Ela vai trabalhar, ela vai trabalharPomba Gira é faladeiraE todo mundo gosta delaØ POMBA GIRA DO SEU TRANCA RUAS Salve Seu Tranca RuasØ ROSA VERMELHAE também sua mulherEu caminhava pela alta madrugada Formosa, formosa, formosa ela éSob o clarão da lua ouvi uma gargalhadaTrabalha na UmbandaLinda morena formosa me diga quem você é E também no CandombléEu sou a dona da rosa sou Pomba-Gira de fé Pomba Gira formosa, formosa ela éEu levo a vida dançandoTrabalhando com seus filhos de féEu sou a dona da rosaSou Pomba-Gira de fé.Ø CIGANA No caminho do terreiro euØ ROSA VERMELHAEncontrei uma mulherRosa Vermelha... Rosa Vermelha sagrada Vinha linda e perfumadaRosa Vermelha é Pomba Gira das SeteEu quis saber quem ela éEncruzilhadasPomba Gira cigana, Pomba Gira, ela é >Quando ela vem, vem girandoEla vem caminhando, ela chega girando |Cantando e dando risadaNa ponta do pé>Cuidado amigo, ela está de saia rodada Ø CIGANAØ ROSA VERMELHANuma noite de lua Pomba Gira CiganaPomba Gira você é uma rosa Passeava na rua e sorria ao luarUma rosa que não tem espinhosEla era formosa, era dona da rosaPomba Gira você é uma rosa Pomba Gira Cigana vem o mal desmancharUma rosa que abre os meus caminhos Ø CIGANAØ ROSA CAVEIRA Eu bem que avisei |Rosa Caveira, Rosa Caveira Pra você não jogar|Ela é Exú que nasceu na porteira Essa cartada comigo >Não se põe sobre a mataVocê jogou no valeteNão se põe sobre a mesaE eu joguei na damaEla é Exú que acompanha o CaveiraAmigo você não me engana Pomba Gira Cigana | Também è Exú de fama> Tenda Caboclo Sete Cachoeiras183
  • 188. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ MARIA DO BALAIOØ DE MACEIÓNo portão do cemitério Vestidinho de chita, amarradinho de nóEu vi uma mulher a gargalhar > Ela é a Pomba Gira, Pomba Gira de MaceióMas ela é Maria do Balaio> Pomba girê, auê, auê, auê Pomba Gira tem licença do Pai OxaláØ SETE ONDASEu vi um balanço no marØ POMBA GIRA GIRA MUNDOPomba Gira Sete Ondas levantou Giro, giro, gira Gira MundoEla vem no terreiro de Umbanda Pomba Gira que vence demandaDesmanchar mironga Rainha da encruza, saravá UmbandaPro seu filho que chamou Ê ê ê saravá Umbanda>Ø SETE ONDASEla vem no balanço do mar> Ø DA PRAIAPomba Gira Sete Ondas apareceu A marola do mar já vem rolandoEla veio no terreiro de UmbandaPomba Gira da Praia já deu sua risadaVeio remexer mironga pros filhos que tem féEla é mulher bonita, muito formosa Trabalhando na areia ou na encruzilhadaØ ROSITARosita é uma moça bonita Ø DA PRAIAQue usa vestido de chita e vem para girarQuem quiser vá verColar, brinco e pulseira pra todos agradar Quem não crê que vá olharÉ a Pomba Gira Rosita que vem pra trabalharPomba Gira da Praia, meu sinhô Vem nas ondas do mar>Ø DA CALUNGAJá mandaram me chamarØ RAINHA DO CRUZEIROPomba Gira vai girar Lá no cruzeiro da calungaPomba Gira da CalungaEu vi uma farofa amarelaVem aqui pra trabalhar Quem não acredita em Pomba Gira do CruzeiroA moça que está na praia É muito bom não mexer com elaPeixinho sabe quem éÉ vermelha a sua saiaØ DAS ALMASVai chegar Exú mulherMinha Senhora das Almas Atira e não erra miraØ MARIA DAS SETE SAIAS Ela é minha protetoraEla é uma moça bonitaSaravá sá Pomba GiraEla é Cigana das SaiasEla é Pomba Gira da EncruzaPomba Gira das Sete SaiasCom sua saia rodadaEla vem girar, girarEla vence demanda na giraEla vem pra trabalhar184Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 189. EXÚ & POMBA GIRAØ BLUESPontos de LinhaDesempregado, ninguém pra me ajudarAluguel atrasado, agiota cobrandoØ 1.A mulher me avisando que ia me deixarArreda, homem que aí vem mulher> Ela é a Pomba Gira rainha do seu axéFui na macumba para me benzerUma moça bonita parou na minha frenteØ 2.E disse: “Compadre, eu ajudo vocêDe vermelho e negro, vestindo a noitePreste atenção no que é pra fazerUm mistério trazMe acenda uma vela, farofa amarela De colar de ouro, brinco douradoCom o nome dela na encruza de T” A promessa faz Se é preciso ir, você pode ir, peça o que quiserHoje estou bem, toco no meu bar Mas cuidado, amigo, ela é bonita |Com disco gravado, carro importado Ela é mulher>Dinheiro aplicado, é melhor não espalhar E no canto da ruaSó com minha mulher que não deu mais pé Girando, girando, girando estáMas não tem problema, nem é pra ter pena Ela é moça bonitaPorque hoje eu tenho a mulher que eu Oi girando, girando, girando láquiser Oi girando lá, oi lê, lêValeu Pomba Gira da encruza de T Oi girando lá, oi lá, láValeu minha Comadre, Oi girando lá, oi lê, lêEssa eu devo a vocêOi girando estáNesta Pomba Gira minha fé ninguém tiraE o que for pra ela não vou esquecer Ø 3.Eu não vou esquecer, não vou esquecerOlha a Pomba Girê, olha a Pomba Girá, Olha a Pomba Girê, olha a Pomba GirêDe acender uma vela, farofa amarelaOlha a Pomba Girá, olha a Pomba GiráE o que mais for dela na encruza de TNa encruza de T, na encruza de T Pomba Gira dos sete maridos Olha a Pomba Girê, olha a Pomba GiráTudo o que for dela, farofa amarelaPomba Gira da saia rodadaAcender uma vela na encruza de T Que bebe e que fuma na encruza fechadaNa encruza de T 3> Olha a Pomba Girê Olha a Pomba Girê, olha a Pomba Girê Olha a Pomba Girá, olha a Pomba Girá Pomba Gira Maria Mulambo Maria Padilha, Rainha das Almas Pomba Gira das Sete Encruzas Rainha do Lodo, Cigana falada Olha a Pomba Girê Olha a Pomba Girê, olha a Pomba Girê Olha a Pomba Girá, olha a Pomba GiraTenda Caboclo Sete Cachoeiras185
  • 190. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ 4. Ø 11.Que rosa tão bonitaAgüenta a gira, segura a ponta >Que rosa tão encarnada Deixa a gira girar >Pomba Gira da calungaEla vem trabalharE também da encruzilhada A Pomba Gira acaba de chegarEu quero ver Pomba Gira, eu quero verEu quero ver a senhora lá na encruza Ø 12. Pomba Gira cadê sua saia lindaØ 5. Pomba Gira cadê sua saia rodadaExú Maré-Maré, nascido em BelémPomba Gira arriouExú BabalaôLogo deu sua gargalhadaÉ Pomba Gira que aqui vemØ 6. Ø 13.Deu uma ventania,oi GangaPomba Gira, gira, giraNo alto da serra Saravá Pomba Gira na encruzaE era a Pomba Gira,oi GangaPomba Gira, gira, giraQue veio para a terraSaravá os seus manos na encruza Saravá Tranca Ruas na encruzaØ 7. Pomba Gira, gira, giraEstá na atalaia de Pomba Gira| Saravá os Exus na encruzaDe Pomba Gira para que eu não caia > Pomba Gira, gira, giraOi, Pomba Gira, olha a pomba girá> Saravá todo povo da encruzaTem mironga no fundo do marPomba Gira oh>No fundo do marPomba Gira, ê> bisØ 8. Ela é a rainha da encruzaEu vi a moça na beira d’água A encruza de TSolte os cabelos, morena e caia n’água Ela é formosaEla é bonita, ela é faceiraFormosa e rainhaÉ a Pomba Gira mulher do Exú Caveira Rainha da encruza Da encruza de TØ 9. Ela é bonitaPomba Gira que dança é essaBonita e vaidosaQue faz a vida da gente dançar Vaidosa e rainha da encruza de TÉ a dança da lua Pomba Gira, oh |É a dança da rua Pomba Gira, ê|É a dança que traz alegria Ela é rainha, da encruza de T>Ø 10.Ø 14.Exú fez uma casa Gira, gira, giraCom sete portas e sete janelas>bis Vamos todos girarExu não precisa de casaJá chegou a Pomba GiraÉ Pomba Gira que vai morar nelaQue veio trabalhar186Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 191. EXÚ & POMBA GIRAØ 15.Ø 21.Pomba Gira é mulher de sete maridosUma rosa cor de sangueQuem se mete com ela oiCintila em sua mãoCorre perigo Um sorriso que nas sombras Não diz nem sim nem nãoØ 16.Pomba Gira parangole Põe na boca a cigarrilhaQuando é Pomba GiraE mais acende o olharEla gira no seu congáQue conhece o bem e o malQuando é Pomba GiraDe quem quiser amarPomba girê|Pomba girá|Ø 22.Chegou Pomba Gira para trabalhar>Deu uma ventania, oi ganga No alto da serraØ 17.E era a Pomba Gira, oi gangaExu tem chifre Que veio para a terraSeu Omolú tem coroaPassou por lá bela moçaØ 23.Passou por láEstá na atalaia de Pomba GiraFoi beber marafo na encruzaDe Pomba Gire para que eu não caia >E veio saraváOi Pomba Gire, Pomba Girá oi > Oi olha a Pomba Gire, olha a Pomba GiráØ 18.Tem mironga no fundo do marAo subir a serra acima No fundo do marNo rochedo eu fui morarQuem demanda com meus filhos Ø 24.Eu também sei demandar Eu via a moça na beira d’águaCom ajuda de OgumSolte os cabelos morena e caia n’águaEu também sei demandar Ela é bonita, ela é faceira, é Pomba Gira Mulher de Exú CaveiraØ 19.Arreda homem que aí vem mulher>Ø 25.Ela é a Pomba Gira Rainha do CabaréJá mandaram me chamar Pomba Gira vai girarTranca Rua vem na frente Pomba Gira da Calunga vem aqui pra trabalharPra dizer quem ela éÉ uma velha feiticeira Ø 26.Mandigueira é o que ela éA moça que está na praia Peixinho sabe quem éØ 20.É vermelha a sua saiaBoa noite pra quem é da noiteVai chegar Exú MulherBoa noite pra quem vem chegandoOi bate palmas pra chamar Exú MulherBoa noite pra moça bonitaA Pomba Gira é mulher de muita féÉ pra ela que estamos cantandoTenda Caboclo Sete Cachoeiras187
  • 192. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ 27.Ø 34.Me juntei com Tranca Rua Pomba Gira que vemCorri gira o mundo inteiro Ela vem lá da calungaHoje em dia eu é Exú Vem gargalhandoPomba gira de terreiro Passando pelas encruzas Ela vem girandoØ 28.Vem trabalharNaquela ventania, oi ganga Moça formosaQue sopra ao pé da serra Ela vem nos ajudarExú Pomba Gira, oi gangaQue vem girar na terra Ø 35. Umbanda sua Rainha chegouØ 29.Umbanda, mais uma estrela brilhouPomba Gira cadê sua saia linda?Oi, salve, salve a Pomba GiraPomba Gira cadê sua saia rodada? Que veio da encruzilhadaPomba Gira arriouPara alegrar nossa giraLogo deu sua gargalhadaOi salve seu ponteiro de aço Salve a sua tesouraØ 30.Pra cortar embaraçoPomba Gira é uma moça bonitaQue se veste do jeito que quer Ø 36.Ela é a Pomba Gira Pomba Gira ah, Pomba Gira ehÉ mulher de muita fé Ela é rainha da encruza em TØ 31.Ela é rainha, rainha e caridosaPomba Gira é uma moça bonita Caridosa e rainha da encruza em TQue se veste do jeito que quer Pomba Gira ah, Pomba Gira ehEla é da Quimbanda Ela é rainha da encruza em TBonita e formosa mulher Ela é bonita, bonita e vaidosaØ 32.Vaidosa e rainha da encruza em TPomba Gira foi confirmadaNa Umbanda e no CandombléØ 37.Só tem medo quem não conhece A Pomba Gira vem descendo a serraQuem conhece só tem fé Trazendo pinga para beber Ela é casada, é namoradeiraØ 33.A Pomba Gira na Aruanda é feiticeiraPomba Gira ela é bonitinha Ø 38.Ela é engraçadinha Cuidado com o prato que ele é de louçaÉ de ganga lo mé, é, é, é Eu já saudei os homensPomba Gira é de ganga lo mé Agora vou saudar as moças188 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 193. EXÚ & POMBA GIRAØ 39. Subida de Pomba GiraDeu meia noite a lua se escondeuLá na encruzilhada Ø 1.Ouvi uma gargalhadaPomba Gira que vai girar |Pomba Gira apareceuVai girar, vai girar | Vai pro fundo do mar >Ê laroiê, laroiê, laroiê, laroiê |É mojibá, é mojibá, é mojibá, é mojibá | Vai, vai, vai, Pomba Gira|Ela é odara que tem fé | Vai, vai, vai, vai, Pomba Gira >Nessa levada é só pedir que ela dá > Ø 2.Ø 40.A Umbanda me chamouTrago uma rosa vermelhaNa Umbanda eu trabalheiEu arranquei lá no péVou embora pra minha QuimbandaPra dar ao homem casado, Que a minha Quimbanda me chamouNa porta de um cabaré Ø 3.Amor de homem solteiro Vai Pomba Gira passear,>É um amor inseguro Numa estrada tão bonitaAmor de homem casado Numa noite de luarÉ amor diferente, é um amor melhor Ø 4.Ø 41.Maria amarra a saiaPombo gira é dona, promete pra não faltarPomba Gira vai embora14 carros de lenha, pra casinha um gambá Maria amarra a saia que está na horaSe pensa que o céu está pertoCandongueiro quando cantaDas nuvens não vai passarÉ sinal que está na horaE os anjos já estão sorrindoDa surra que vai levar Ø 5. Maria Quitéria se despede e vai emboraØ 42.É na palma as mão, é na palma da mão.Comprei um baralho de ouro Que ela vai girarPra Pomba Gira jogar Ela é Maria QuitériaEmbaralha eu mulher, embaralha eu mulher Mora lá no fogaréuEmbaralha eu da cabeça aos pés Não conhece Jesus Cristo Nem pretende ir ao céu Tenda Caboclo Sete Cachoeiras189
  • 194. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaPontos de Demanda Ø 6.Rodeia, rodeia, rodeia |Ø 1.Meu Santo Antônio, rodeia>Quem nunca viu, vem ver|Cadeirão sem fundo ferver>Santo Antônio pequeninoAmansador de burro bravoDeu meia noite |Quem mexer com Tranca GiraGalo preto canta |Tá mexendo com o diaboCatacumba racha|E o defunto geme >Ø 7.Ø 2.Quem não é de fé |Abre a porta, oh genteNão vai curiá comigo >Que aí vem JesusÊ, ê, a tem mironga>Ele vem cansado Exú vai desmancharCom o peso da cruzØ 8.Vem de porta em porta Comigo ninguém podeVem de rua em rua E nem há de poderPra salvar as almas Minha banda é mais forteSem culpar nenhumaQue a banda de vocêØ 3.Saravá Umbanda, saravá QuimbandaEu estava perambulandoSaravá quem manda, saravá vocêSem ter nada o que fazerFui pedir às Santas Almas Ø 9.Para vir me socorrerCalunga, calungaFoi as Almas que me ajudou 3> Calunga aruêMeu povo é da QuimbandaViva a Deus Nosso SenhorAgora que eu quero verOlha as Almas dão3>Pra quem sabe aproveitarØ 10.Sou Exú lá na encruzaØ 4.E vim aqui pra trabalharEu pedi às Almas |Quem demanda com meus filhosAs Almas me atenderam|Eu também sei demandarSão as Santas Almas lá do cruzeiro >Ø 10.Ø 5.Galinha preta com azeite de dendêMas não mexe comigo não>Não se depena pra quem não sabe fazerQue a porta do cemitérioMeu galo preto do pescoço amareloSerá a tampa do seu caixãoVocê grita você canta, você faz o que eu quero190Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 195. Ø 11.Fim de trabalho com DemandaSeu Caboclo gira girandaVem trabalhar no terreiro de QuimbandaØ 1.Hei manda, gira Calunga Comigo ninguém podeNo terreiro de Quimbanda, tem Barra Funda E nem há de poderMinha banda é mais forteDo que a banda de vocêSaravá Umbanda, saravá QuimbandaSaravá quem manda, saravá vocêØ 2.Só bota fogo quem pode botarMeu ponto é seguro, não pode falharØ 3.Eu sou filho de UmbandaE não vou balancearEu tenho santo forteEle vai me ajudar Descarrego com PólvoraØ 1.Só manda fogo quem pode mandarMeu ponto é seguro, meu Pai OxaláSó manda fogo quem pode mandarSó pega na brasa quem pode pegarTenda Caboclo Sete Cachoeiras 191
  • 196. 1.540 Pontos Cantados de Umbanda Exú MirimØ 1.Oh meu Senhor das Almas |Não faça pouco de mim >Eu sou pequenininho |Eu sou Exú Mirim>Ø 2.Ele é Exu, é Exu MirimNão me nega nadaSempre me diz simØ 3.Exu Mirim é meu Exu de féExu Mirim é pequeno na QuimbandaExu Mirim saravando a encruzaExu Mirim vencendo sua demandaØ 4.Exu Mirim é um Exu formosoEle é Exu de féTem um pai e tem um manoEsse mano é LuciferØ 5.Exú Mirim nasceu lá em LisboaTrabalha na praia na beirada de uma proaMas ele é o rei, ele é o rei, ele é o reiMas ele é o rei na Quimbanda ele é o rei192 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 197. Tenda Caboclo Sete Cachoeiras 193
  • 198. 1.540 Pontos Cantados de Umbanda194 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 199. ENCERRAMENTO Fechamento da GiraEu fecho a nossa giraCom Deus e Nossa SenhoraEu fecho a nossa giraSandorê, pemba de AngolaGira, gira, gira dos caboclos,Sem sua gira eu não posso trabalharAssim, assim na fé de Xangô meu pai,Sem gira eu não posso trabalhar.Ø SAUDAÇÃO A SEU TRANCA RUASExú, Exú Tranca Ruas |Me fecha o terreiro|E me abre a Rua 3>Ø SAUDAÇÃO A EXÚ TRANCA GIRASeu Tranca Gira é rei lá na calungaSem este Exú não se pode fazer nada7 velas encruzadasEm cima daquela tumbaSaravá Seu Tranca GiraSalve o povo da calungaExú o que é?É mojibá. Tenda Caboclo Sete Cachoeiras 195
  • 200. 1.540 Pontos Cantados de Umbanda196 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 201. DIVERSOSPontos de Trabalhos de CuraØ 7. Iansã, Senhora da bandaØ 1. Toma conta deste jacutáSanto Antônio pequeninoLeva ele pra AruandaNão me deixe andar sozinho E proteje os que vão ficarEstou na beira do caminhoTenho medo dos espinhosØ 8.Ø 2. Ogum Megê, não lhe deixe sofrerSanto Antônio pequeninoAs lembranças daquiCorre gira devagar Quando seguir o meu caminho pra AruandaSanto Antônio pequeninoSão Miguel lhe guardeCorre gira sem parar E também a sua BandaSanto Antônio corre giraNo terreiro de Umbanda Ø 9.Santo Antônio desamarraEu curo esse filhoO que está me amarrandoQue aqui na cangira está É filho da minha cangiraØ 3. Oi tá, tá, tá, na cangira táSanto Antônio é filho de PembaSão Benedito é do meu CongáØ 10.Manda e desmanda>Estrela do céu que estais a brilharSanto Antônio arrebenta mirongaRetira deste filho este pobre véu.Ø 4.Santo Antônio de PembaCaminhou muitos anosA procura da UmbandaAi, como caminhou,3>Santo Antônio de PembaA Umbanda encontrou 3>Santo Antônio de PembaA Umbanda encontrouØ 5.Quando Oxalá chama seus filhos pra AruandaPara prestar contas com XangôFilho de fé da terra se despedeLouvando a Deus e a banda em que trabalhouØ 6.Teus caminhos estão abertosCom Deus e Nossa SenhoraOxalá te abençoeOgum te leve emboraTenda Caboclo Sete Cachoeiras197
  • 202. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaDefumação Ø 3.Ovelhas abnegadasØ 1.Do rebanho de Maria >Defuma, defuma 5> Salve o Sete EncruzilhadasSão Jorge defuma seus filhos de féSalve a Estrela da GuiaSalvai, salvai doce nome de MariaØ 2.A virgem da Piedade há de ser a nossa guiaEste terreiro está cheirando ervasEste terreiro está cheirando e vai cheirarØ 4.É na fé de Ogum e Oxalá Olha essa estrada OgumEste terreiro vai descarregar Olha a porta Obaluaê Abertura dos Trabalhos É oxalá quem mandaSanta Bárbara me valerØ 1.Senhora da Piedade |CruzamentosA sua estrela é quem nos guia>Sete Encruzilhadas em seu terreiro |Ø 1. CRUZAMENTO DO MÉDIUME Ogum em toda gira>Cruza, cruza, vamos cruzar >Estes filhos neste CongáØ 2.Com licença de OxaláVou abrir minha Aruanda|Com as forças de Mãe YemanjáVou abrir meu Juremá >Com a licença de mamãe Oxum|Cruza, cruza, já cruzeiE de nosso Pai Oxalá >Estes filhos dentro da LeiCom licença de OxaláØ 3.Com as forças de Mãe YemanjáAbrindo nossos trabalhosNós pedimos proteçãoØ 2. CRUZAMENTO DO TERREIROA Deus Pai Todo-PoderosoVamos cruzar este terreiroE à Virgem da Conceição Vamos cruzar nosso congáVamos bater nossa cabeçaPontos de TronqueiraNa fé de pai OxaláØ 1.Ogum é todo MaléØ PONTO DE COROAÇÃOMalé ô linha Nagô Ele é filho de UmbandaOgum é todo MaléNos caminhos que vaiMalé ô linha ô >Tem a luz de AruandaTem a força de Deus PaiØ 2.Salve filho de UmbandaCortai, cortai, cortouSalve Pai OxaláCortai a mironga de um mal protetor Salve a tua coroaAonde eu laço não há embaraço Feita neste CongáCortai o laço de um braço de aço198Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 203. DIVERSOS BatismoØ PONTO DE CONFIRMAÇÃOFoi na UmbandaØ 1.Que ele se encontrouFlechas de fogo correm pelo vento Foi na UmbandaE atravessam as águas do Jordão Que ele se firmouVem Cristo OxaláReceber mais um cristão Salve filho de UmbandaSalve Pai OxaláVem banhar com teu espírito Salve a tua coroaEste filho de Umbanda Feita neste CongáVem firmar a sua coroaE os senhores da luz de sua banda Encruza, encruzaEle vai encruzarØ 2.Na linha de UmbandaSão João batizou Cristo Ele vai encruzarNas águas do rio JordãoNa Umbanda eu te batizo Salve filho de UmbandaCom a sua proteçãoSalve Pai OxaláSalve a tua coroaØ 3.Feita neste CongáDai pão a quem tem fomeDai água a quem tem sedeØ CANTO DE AMALÁE por Jesus dai o nomeComo é que pode meu irmão>Aquele que dele descendeCinco pães e dois peixesAlimentar a multidãoØ 4.É a fé, a fé, a féVem, vem, vem,A fé em Pai OxaláOh, chama crística, vem Aceite no dia de hoje|Vem, vem, vem,A nossa oferenda |Ascender neste coraçãoO nosso Amalá>Ø AMACI AniversárioA todos que olham, a todos que estão aquiUm abraço dado de bom coração Muita atenção, hoje é noite de amaciÉ mais que uma benção, um aperto de mão Filhos de fé, respeita o pano brancoQue Deus lhe guarde Babalaô preparou teu banho santoQue Deus lhe ajudeFilho de fé, respeita Pemba e CongáQue Deus lhe dê felicidade e saúdeDentro de lei vem louvar teu OrixáSaravá Orixá, tenho a cabeça lavadaFiz meu batismo na UmbandaHei de honrar o meu guia Tenda Caboclo Sete Cachoeiras199
  • 204. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ RECEBIMENTO DE GUIAØ ANJO DA GUARDAReceba esta guia meu filho (a) O anjo da guarda bendito sejaisEsta guia sou eu mesmo quem te dou Em nome de Deus seus filhos guardaiVai livrar nas horas do sofrimento Anjo da guarda vem chegandoNas horas de alegriasTodos os seus filhos ele vem saravandoNas horas de tristeza e na dor Ø SAUDAÇÃO A COSME E DAMIÃOØ BATE CABEÇABrincando no jardim das rosasVou bater minha cabeça Cosme e Damião vem nos abençoarEu vou saldar o meu OrixáLouvando o nome de OxumVou saudar todos os guiasLouvando o nome de YemanjáEu vou saudar meu pai Oxalá Ø CRIANCERÊØ SAUDAÇÃO AOS ORIXÁSCriança-erê, CriancerêO Lu, o lu, o lu, o Luanda Pra receber uma graçaNo terreiro de Umbanda Eu vou fazer numa praçaO Lu, o lu, o lu, o Luanda Uma homenagem a vocêÊ-erêNinguém teme demanda O que mais quer erê, erê quer o queSaravá Pai Oxalá,Quero mais bala, vamos jogar bolaSaravá o Pai Xangô Acende uma vela, me leva pra escolaSaravá meu Pai OgumE nunca na vida me deixe sozinho>Que é nosso guia e protetorQueremos comida e muito carinhoSaravá todas as moçasBrinquedo e bebida pra alegrar o nosso ninhoComeçando por Nanã E nunca na vida nos deixem sozinhos>Saravá dona Yemanjá, mamãe OxumNunca na vida nos deixe Painho Ê-erêE mãe IansãSaravá seu Mata Virgem Ø SAUDAÇÃO A PAI/MÃE DE SANTORei da mata verdadeiro Seja bem vindo Pai/Mãe de SantoSaravá cabocla JuremaMensageiro(a) de OxaláE o caboclo BoiadeiroTua coroa ilumina Revelando o caminho da féSaravá os Pretos VelhosTua guia conta forças e magia|Tia Conga de Aruanda Firmada com a cor do Orixá >Saravá toda entidade O Terreiro do Pai ManecoQue faz o que o mestre manda Está lhe saravando Receba amigo(a) Pai/Mãe de SantoØ ANJO DA GUARDA Esta homenagem dos filhos de AkuanLá do céu desceu um anjoFoi o Divino quem mandouJoão Batista na florestaSeus filhos ele salvou200 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 205. DIVERSOSØ SAUDAÇÃO A PAI/MÃE DE SANTO Ø SAUDAÇÃO AO PAI PEQUENOPai de santoVamos saravá, nosso povo de Umbanda, saraváVamos saravar o Pai de SantoSaravá, Pai Joaquim, saraváQue chegou neste congáSalve Seu Junco Verde, saraváEle é Babalaô, Babalaô de Orixá Vamos saravá nosso povo de Umbanda, saraváSaravá, Pai Pequeno, saravá Mãe de santo Salve Babalaô, saraváVamos saravar a Mãe de SantoQue chegou neste congáOxóssi...Ela é Ialorixá, Ialorixá de Orixá Umbanda tem fundamentoTem mironga e hierarquiaØ HOMENAGEM A PAI DE SANTOPai Pequeno firma pembaBabalaô, que seu sono seja calmoBabalaô firma guiaBabalaô, que seus sonhos sejam lindosBabalaô, Babalaô, nesta noite que se findaVamos saravá, nosso povo de Umbanda, saraváBabalaô, que a estrela D’Alva te ilumineSaravá, Pai Joaquim, saraváBabalaô, Babalaô, Deus te guarde e te ilumine Salve Seu Junco Verde, saraváBabalaô, Babalaô, amanhã é um novo diaVamos saravá nosso povo de Umbanda, saraváBabalaô, BabalaôSaravá, Pai Pequeno, saraváSalve Babalaô, saraváØ XOROG DA CASAVamos saravá o Xorogâ > Oxóssi...Pai Xangô mandou, Preto Velho abençoarSeu terreiro está em festaTêm um Xorogâ neste Congá Vamos todos festejarBate a cabeça pro XorogâChama lá o Pai PequenoFilho de fé lhe pede a benção Para cuidar deste CongáChefe do batuque vai fazer vibrarPai Oxalá lhe deu licença E quem cuida dos meus filhosMerece meu patuá 3>Vamos saravá o Xorogâ >É Oxalá, o Rei de nossa UmbandaVem abençoar o Xorogâ neste CongáVamos saravá o Xorogâ >Pai Oxalá livra seu filho das demandasEle é Xorogâ neste terreiro de UmbandaVamos saravá o Xorogâ >Foi Pai Xangô que fez um pedido a OxaláPra ajudar o Xorogâ a Iluminar nosso congáTenda Caboclo Sete Cachoeiras201
  • 206. 1.540 Pontos Cantados de UmbandaØ PONTO DE CASAMENTO Ø ABERTURA PARA A ESQUERDATocam os sinos lá nas alturasEu abro a nossa giraOs Orixás estão em festa Com Deus e Nossa SenhoraUnindo duas criaturasEu abro a nossa giraNuma única missãoSamdorê pemba de angolaQue Zambi lhes protejaOxalá lhes seja o Guia Zum zum zum olha lá Jesus quem éSua vida sempre seja Eu juro por Deus e as almas inimigo caiAbençoada pela Virgem MariaEu fico em pé nesta casa tem quatro canto Cada canto tem um santo.Quando se unirem na terraOnde mora o cálice bentoUnam-se também no céuE o divino Espírito SantoCom a benção da UmbandaE também de São Miguel Zum, zum zum olha lá Jesus quem éQue Zambi lhes proteja Eu juro por Deus e as almasOxalá lhes seja o Guia Inimigo cai e eu fico em pé.Sua vida sempre seja Dim, dim, dim lá vai violaAbençoada pela Virgem MariaDim, dim, dim vai violero Sô condutor de bonde maquinista do tremCumpra-se, pois, o juramento O viola meu bem violaFeito por Nosso SenhorCrescei e multiplicaiCom muita Paz e AmorQue Zambi lhes protejaOxalá lhes seja o GuiaSua vida sempre sejaAbençoada pela Virgem MariaØ PONTOS DE LOUVAÇÃO DAS 7 LINHASRei da demanda é Ogum MegêQuem rola pedra é Xangô KaôFlecha de Oxóssi é certeira, éÉ Oxalá é meu senhor o,o,oSete linhas de UmbandaSete linhas para vencerDentro da lei de OxaláNinguém pode perecerTem Oxum na cachoeiraYemanjá deusa do marIansã pra defenderPai Ogum pra demandar202 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 207. DIVERSOSA Grande Luz Ø SALVE AS LINHAS DE UMBANDA Saravá OxaláEpa BabáExiste até gente grandeSaravá XangôKaô KabecileCom medo da escuridãoSaravá YemanjáOdoiáTambém existem pessoas Saravá OxumAieiêTemendo uma explicação Saravá Oxóssi OkêOxóssi Orixá das matas Saravá Iansã Eparrei OiáÉ o mesmo São Sebastião |Saravá OgumPatacorê Ogum yêYemanjá é a N. Sra. da Conceição>Saravá NanãSaluba NanãA Igreja tem os seus santosSaravá a Linha do OrienteA Umbanda os seus Orixás Saravá os Pretos VelhosBabaêAs duas se sincretizam Saravá as Crianças Salve Cosme e DamiãoAs duas pregam a paz Saravá os MarinheirosÉ pra Marinheiro Saravá os BoiadeirosGetuáO mesmo Deus numa igreja Saravá os Ciganos Salve Santa SaraÉ Zambi ObataláSaravá os BaianosÉ pra baianoApenas mudando o nome |Saravá os ExúsLaroyê ExúJesus Cristo é Oxalá>Saravá as Pombas-GirasLaroyê ExúNa bondade de Sant’AnaUm bom umbandista crêNa figura venerandaDa mãe Nanã BuruquêMudando até no espaçoO laço que não se vêTemos São Bartolomeu|Orixá Oxumaré >Se alguém que está me escutandoAinda sente temorPermita que lhe esclareçaQue a Umbanda é paz e amorAmor que rejuvenesceEssa força superiorÉ a grande luz que nos guia |É o nosso criador >Tenda Caboclo Sete Cachoeiras203
  • 208. 1.540 Pontos Cantados de Umbanda204 Tenda Caboclo Sete Cachoeiras
  • 209. Tenda Caboclo Sete Cachoeiras 205
  • Fly UP